domingo, 8 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Mutirão contra a dengue visita mais de cinco mil imóveis

Mutirão contra a dengue visita mais de cinco mil imóveis

Matéria publicada em 26 de fevereiro de 2019, 20:04 horas

 


Agentes da saúde e aliados trabalham para evitar o surgimento de focos (Carina Rocha)

Resende – A prefeitura de Resende divulgou o balanço de mais um mutirão contra a dengue, zika e chikungunya, realizado no último final de semana. Nesta etapa, o Comitê Municipal de Combate à Dengue contemplou os bairros Vila Julieta – conhecido como Alvorada, no sábado, dia 23, e Liberdade e Nova Liberdade, no domingo, dia 24. Com a missão de eliminar os possíveis criadouros dos mosquitos Aedes Aegypti e Albopictus, aproximadamente 170 pessoas percorreram 5.184 imóveis. No sábado, foram coletadas 89 amostras de larvas dos mosquitos para análise em laboratório, enquanto, no domingo foram 45.

A força-tarefa contou com as equipes das Secretarias Municipais de Saúde, Obras e Serviços Públicos e Educação, vigilantes sanitários do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e agentes da Divisão de Fiscalização de Posturas, Defesa Civil e da Agência do Meio Ambiente de Resende (Amar). A mobilização ainda teve a participação de grandes aliados como o Exército Brasileiro e a Cruz Vermelha. No decorrer das ações prioritárias, foram recolhidos 41 caminhões de entulhos e lixo no primeiro dia; já no segundo, foi contabilizado o total de 32 veículos. No sábado, o mutirão aconteceu de 8h às 17h e, no segundo dia, entre 8h e 14h. Também houve a utilização de carro fumacê.
De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Carolina Bittencourt Castro Ferraz, os locais fiscalizados durante o mutirão foram classificados em situação de médio risco, conforme apontado pelo Levantamento de Índice Rápido para o Aedes Aegypti (LIRAa).

A superintendente reforçou quais são as medidas importantes para eliminar possíveis focos dos mosquitos transmissores. “Desenvolvemos ações estratégicas visando evitar a infestação, tais como: visitas domiciliares para tratamento de focos, orientações à população, recolhimento de entulhos, entre outras. As pessoas devem cuidar de seus quintais e recipientes que possam virar depósito de acúmulo de água, como baldes, pratos de plantas, potes, calhas, garrafas e pneus. Com o lema ’10 minutos salvam vidas’, o governo estadual recomenda que a população dedique este tempo semanalmente em casa, com o objetivo de eliminar possíveis criadouros”, frisou.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document