quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Novo espaço de formação cultural quer descartar ‘amarras ideológicas’

Novo espaço de formação cultural quer descartar ‘amarras ideológicas’

Matéria publicada em 11 de agosto de 2019, 07:30 horas

 


Instituto foi criado para promover um novo espaço de formação cultural – Foto:  Divulgação

Volta Redonda – O Instituto Cultural Santo Antônio foi criado em março para servir como um espaço de formação cultural para o público em geral. De acordo com o idealizador e atual presidente, Sergio Resende, o instituto é uma associação de leigos, cuja finalidade é promover publicamente a formação continuada para a vida intelectual, atendendo principalmente à exortação final das premissas cristãs católicas. O Instituto Cultural Santo Antônio fica localizado na Rua Luiz Alves Pereira, nº 115, sala 508, no bairro Aterrado.

– Através de palestras, seminários e cursos oferecidos gratuitamente, abordando temas como ciência, psicologia, literatura, direito, história, filosofia e teologia, o Instituto pretende promover um ambiente cultural saudável, no qual as sementes da Santa Doutrina possam encontrar a fertilidade necessária para a produção de boas obras, assim como a sabedoria humana – filosófica e científica – possa encontrar um desenvolvimento livre das amarras ideológicas e compromissado com a busca da verdade – destaca.

O Instituto Cultural, afirma Sergio, não possui vínculo formal ou ideológico com nenhuma instituição, apoiando-se unicamente nas intenções de seus fundadores. O pilar, garante ele, é seguir no plano cultural do que prega a Igreja. “O Instituto constitui, portanto, uma forma agregativa de participação na vida da Igreja, cuja finalidade última é participar responsavelmente da missão de levar o Evangelho de Cristo como fonte de esperança para o homem e de renovação para a sociedade”.

Outra característica importante do instituto, explica Sergio, é que ele se insere dentro do movimento “pró-vida”, cuja finalidade é combater a “Cultura da Morte”.

– “Cultura da morte” é o nome pelo qual São João Paulo II se referia ao conjunto de concepções ideológicas que, por meio do cultivo da ignorância e de práticas imorais, tais como o aborto e a eutanásia, procura destruir a integridade humana e a civilização – disse.

O responsável pelo centro cultural explica que a maior parte do público que procura o espaço é formada de jovens universitários, mas que há também uma notável presença de adultos, principalmente de professores e psicólogos. “Boa parte do público professa a fé católica, mas há alguns protestantes e mesmo pessoas que não professam fé alguma”.

Há uma média de cinco palestras ou aulas por mês, geralmente às quintas-feiras, das 19h às 21h30.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Desculpe mas está mais do que clara a “amarra ideológica” desta instituição. Melhor era não ter falado nada disso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Untitled Document