quinta-feira, 6 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / ONG de Volta Redonda pode ficar sem sede

ONG de Volta Redonda pode ficar sem sede

Matéria publicada em 26 de abril de 2016, 21:22 horas

 


Local utilizado pelo Dagaz é cedido pela associação de moradores do Volta Grande I e III, que agora está cobrando aluguel

Sede do Dagaz: Espaço serve para a realização de uma série de atividades esportivas e culturais gratuitas (Foto: Libânia Nogueira)

Sede do Dagaz: Espaço serve para a realização de uma série de atividades esportivas e culturais gratuitas (Foto: Libânia Nogueira)

Volta Redonda – Pais de crianças atendidas pela ONG (Organização Não Governamental) Instituto Dagaz, em Volta Redonda, entraram em contato com o DIÁRIO DO VALE para reclamar de uma medida da Associação Pró-Melhoramentos dos Bairros Volta Grande I e II (Aprom-Volgra). É que após ceder o espaço para a realização de uma série de atividades esportivas e culturais gratuitas com crianças e adolescentes por cerca de seis anos, a associação agora cobra o pagamento mensal de cinco salários mínimos (R$ 4.400) para que a ONG permanecesse no imóvel. O instituto, no entanto, não teria meios para pagar e seria obrigado a deixar a sede atual.

O Dagaz alegou que se mantém através de recursos do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente e editais com recursos direcionados aos projetos e não teria meios de pagar a “ajuda de custo” solicitada. Ainda de acordo com o instituto, atualmente são cerca de 700 pessoas atendidas em cursos e oficinas de balé, futsal, violão, circo, dança africana, hip hop, capoeira. O atendimento não é restrito à comunidade bairros Volta Grande I e III, e abrange moradores de bairros adjacentes, como o Santo Agostinho, que também realizam as atividades.
O espaço funciona através de uma concessão municipal, e de acordo com a presidente da associação de moradores, Maria Mercês de Freitas, a gestão vigente desde janeiro deste ano busca regulamentar o contrato, vencido no mesmo mês, alegando que ao longo dos anos, a ONG não fez qualquer pagamento de aluguel. No entanto, todas as despesas do local são de responsabilidade do instituto, que tem como contrapartida o não pagamento de aluguel pela prestação de serviço.

Para Flávio Vieira, pai de uma aluna de balé e capoeira, se a Aprom-Volgra insistir em cobrar o aluguel neste valor, as crianças serão as principais prejudicadas, porque se o instituto encerrar as atividades, ele teme que o local volte a ficar vulnerável, como antes da ONG se instalar.
– Se o Dagaz sair, quem perde é a comunidade. Qualquer outra associação gostaria de ter um instituto no bairro como esse e as atividades que eles oferecem são muito importantes para as nossas crianças. No instituto tem muita cultura, e se acabar vai voltar a ter festas, uso de drogas, como antes da ONG chegar aqui. O Dagaz envolve não só as crianças, mas toda a comunidade. A gente sempre acompanha as ações, estamos sempre nos reunindo e ajudamos no que podemos. É um absurdo agora virem e quererem cobrar cinco salários mínimos de um instituto que oferece atividades de graça para a comunidade – opinou.

A direção da associação de moradores afirmou que o valor proposto à ONG seria destinado à construção de novas salas, reformas e investimento em segurança. Segundo a presidente, a intenção não é interferir no funcionamento das atividades, entretanto disse que devido ao cronograma extenso das aulas diárias, a associação fica sem espaço para reuniões. Por conta disso, houve um impasse na última semana, pois a diretoria utilizou a sala onde acontecem as aulas de capoeira e os alunos tiveram que realizar a atividade no pátio do local. O Instituto Dagaz até o momento não explicitou uma contraproposta, no entanto, o coordenador da Comissão de Professores do Instituto Dagaz, Thiago Miranda, disse que a pretensão é chegar a um acordo.

– A ONG se mantém através de editais para os projetos. As verbas são direcionadas e nenhum dos editais disponibiliza dinheiro para pagamento de aluguel. O Dagaz não teria de onde tirar essa quantia. Nossa verba é marcada e temos que prestar conta. O pagamento desse aluguel não é viável, por isso queremos encontrar uma saída junto à associação. São quase 20 professores envolvidos em atividades que são oferecidas à comunidade de forma gratuita – ressaltou.

Alguns reclamaram que a Associação de Moradores Pró-Melhoramento não fez qualquer reunião para explicar sobre a situação.

– Eles não fizeram contato nenhum com os pais, que são os principais interessados. Ficamos sabendo de uma outra associação que eles estão oferecendo o instituto, já que estão os expulsando do nosso bairro – disse Márcia Aparecida Basílio, mãe de um aluno da capoeira.

Em carta aberta à população, a Aprom-Volgra destacou as atividades desenvolvidas pelo Instituto Dagaz e frisou que não tem intenção de impedir o funcionamento.

“A gratuidade dos cursos e a dedicação dos professores e colaboradores e dignissimamente, dos administradores são de extrema importância para todos nós. Desde a posse até os dias atuais nunca houve e, jamais, haverá impedimento seja ele qual for para destruir sonhos, oportunidades, possibilidades e realizações. O propósito da associação tem como prioridades, possibilidades e passado, valorizar a importância dos acontecimentos e dar seguimentos as sementes que estão frutificando”, diz a carta assinada pela presidente, Maria Mercês de Freitas.

Por Libânia Nogueira
libania@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

20 comentários

  1. Avatar

    Caraca, isso beira o absurdo e pelo que eu saiba está nova associação foi eleita com apoio incondicional das pessoas que trabalham e que são colaboradores do dagaz. Mas como o exemplo de traição vem de cima do vice da república…

  2. Avatar

    Minha filha faz balé no Dagaz já faz 3 anos, só tenho a agradecer, eles tem feito bastante diferença no bairro, oferecendo cursos gratuitos de qualidade. Sou testemunha do bom trabalho que o Dagaz vem desenvolvendo.

  3. Avatar

    Tenho um filho que faz as aulas do chupetinha e conta nos dedos o dia de chegar pra poder jogar .como disse o dr RODRIGO FURTADO.e de extrema importância as partes se reunirem em comum acordo .

  4. Avatar

    Nossos parabéns aos pais, alunos e professores envolvidos!!!
    A luta pelo espaço que é PUBLICO deve ser um bandeira de TODOS os cidadãos de bem!! Essa luta só é enxergada por quem tem o mínimo de inteligência e consciência.
    Àqueles que não conhecem o trabalho desenvolvido pelo Instituto Dagaz, estão convidados a comparecer e comprovar o atendimento dado à crianças e pais no local.
    Funcionamento:
    De segunda a sexta de 9:00f às 20:00h.

  5. Avatar

    O Instituto Dagaz é comandado por pessoas honradas, honestas. Fazem este trabalho há anos. Sou testemunha e parceira das inúmeras alegrias, das lutas para manter o projeto, da incrível realização da Bienal do Livro, do compromisso de fazer das crianças e adolescentes do Volta Grande cidadãos emponderados. Inacreditável o que está sendo feito por uma parte da diretoria da Associação de Moradores. Espero que as coisas se resolvam pelo amplo direito da comunidade continuar usufruindo dos cursos dados no local. Marinez e Márcia estou ao lado de vocês!

  6. Avatar

    Dagaz?…Quero distância das pessoas que as comandam. Quem as conhece sabe do que estou falando…

    • Avatar

      Parabens pela materia excelente! Show de bola! A comunidade esta presente! Vamos que vamos!

    • Avatar

      Nossos parabéns aos pais, alunos e professores envolvidos!!!
      A luta pelo espaço que é PUBLICO deve ser um bandeira de TODOS os cidadãos de bem!! Essa luta só é enxergada por quem tem o mínimo de inteligência e consciência.
      Àqueles que não conhecem o trabalho desenvolvido pelo Instituto Dagaz, estão convidados a comparecer e comprovar o atendimento dado à crianças e pais no local.
      Funcionamento:
      De segunda a sexta de 9:00f às 20:00h.

    • Avatar

      Fabio, concordo com voce!!! conheço esse instituto tanto que ja trabalhei lá e até HOJE nunca vi a cor do meu salário!!
      Não faço questão, quer ser destaque sem valorizar o profissional competente.

    • Avatar

      Prova!!!!!!

  7. Avatar

    Acredito que a representante da ONG e a presidenta da associação deveriam se reunir. O interesse e comum. A população agradece. Transparência, lealdade e trabalho. Isso dá resultado. Estou a disposição para ajudar a dirimir qualquer impasse. O bem comum, a educação e esporte fazem a diferença para os jovens. Unidos somos fortes.

    • Avatar

      Grata Rodrigo, acontece que a comunidade tem tentado, porem ha resistencia não de todos os diretores e sim 3 que não representam os anseios da comunidade. Momento politico tambem e assim….o que ja apareceu de candidato! O certo é a FAM se pronunciar e eu espero que seja a favor do povo e não de 3. contamos com voce.

    • Avatar

      Presidenta???!!!! Essa palavra não existe parceiro! Você fala estudanta????

  8. Avatar

    as frutas podres caem sozinhas o tempo e as pesoas de bem sabem quem sao a dupla feia de irmas
    que por onde passam deixam rastros ruims
    faiz um levantamento se nao tem dinheiro tem sim
    nem funsionario pagam

  9. Avatar

    Ai gente, conta a verdade.
    O Dagaz fez um acordo com a Associação de Moradores de dar uma verba por fora (aquele dinheiro que elas desviam) e não cumpriu o acordo. Aí a presidente da Associação ficou puta e quer botar elas pra correr de lá. Ai que vergonha!

    • Avatar

      Aqui não fazemos acordo por debaixo do pano,ser vc Kelli fazer parte deste político corrupto. Nos não, ser voto e politico desonestos culpa não é nossa.

Untitled Document