terça-feira, 20 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Paixão de Cristo atrai milhares de fieis em Barra Mansa

Paixão de Cristo atrai milhares de fieis em Barra Mansa

Matéria publicada em 21 de abril de 2019, 18:07 horas

 


Atores amadores voluntários contaram a via Sacra do Senhor até a sua Ressurreição

Moradores de Rialto participam de encenação (Foto: Chico de Assis)

Barra Mansa – Nesta sexta-feira, 19 de abril, centenas de fieis acompanharam em Barra Mansa o sofrimento e a ressurreição de Cristo. Os espetáculos foram realizados no bairro Vista Alegre, às 7 horas, e no distrito de Rialto, às 16 horas e emocionaram muita gente.

Na Vista Alegre, cerca de 80 jovens amadores voluntários da própria comunidade ensaiaram durante dois meses para o evento que foi realizado num percurso de 2 Km. Já em Rialto, a história foi retratada por cerca de 150 atores amadores, também da própria comunidade. As cenas tiveram duração de aproximadamente quatro horas, com atos que abordaram desde a entrada de Cristo em Jerusalém até o seu renascimento.

O presidente da FCBM (Fundação Cultura Barra Mansa), Marcelo Bravo, acompanhou os dois eventos. Ele afirmou ser a maior manifestação cultural e religiosa popular do nosso município e também a mais tradicional. “É feita na garra pela comunidade. A FCBM apóia cedendo estrutura, equipamentos e serviços, além do controle de tráfego e atendimento médico de emergência”, destacou.

Organizadores dos espetáculos disseram que o ápice das cenas é a ressurreição. “Não faria sentido encerrar encenação com a crucificação e morte de Cristo. O grande significado para os cristãos é a passagem da morte para vida nova”, disseram.

Moradora do bairro São Judas, na Região Leste, Regina Célia Gonçalves, 60 anos, disse que há mais de 10 anos acompanha a programação em Rialto. Ao lado do marido Afonso de Souza, 65 anos, ela disse que ainda se emociona muito. “É um momento em que paramos para pensar em todo o sofrimento vivido por Jesus para salvar a humanidade”, lembrou.

As adolescentes Michele de Oliveira, moradora da Colônia Santo Antônio, e Juliana Cunha Rodrigues, do bairro Perimetral, ambas de 12 anos, disseram da importância de acompanhar o evento. “Vivemos focadas nas redes sociais e muitas vezes não nos damos conta da vida religiosa e espiritual”.

Jeovana Correa, 31 anos, revelou que seu filho de 13 anos estava no elenco. “Me sinto extremamente orgulhosa pela iniciativa dele. É sempre muito bom estar envolvido com atividades que ensinam o bem e a paz”, concluiu.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document