segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Piraí, Rio Claro e Barra do Piraí vão receber equipamentos de combate a incêndios florestais

Piraí, Rio Claro e Barra do Piraí vão receber equipamentos de combate a incêndios florestais

Matéria publicada em 14 de outubro de 2019, 16:50 horas

 


Abafadores de fogo são alguns dos itens recebidos pelas prefeituras
(Foto: Divulgação)

Sul Fluminense- Treze municípios do Estado vão receber gratuitamente do Comitê Guandu-RJ dez itens para combater incêndios florestais, como abafadores manuais para fogo rasteiro, luvas de proteção em altas temperaturas e supressante de chamas. Piraí, Rio Claro e Barra do Piraí estão entre os municípios beneficiados, os equipamentos já começaram a serem entregues. A ação faz parte do Plano Associativo de Prevenção e Combate a Queimadas com o objetivo de contribuir com a estrutura das brigadas de incêndio dos municípios da região da bacia, prevenindo e mitigando os efeitos das queimadas na natureza.

O Plano Associativo de Prevenção e Combate a Queimadas e Incêndios Florestais foi desenvolvido pelo Comitê Guandu-RJ após um estudo na região da bacia, que fez um diagnóstico ambiental, institucional e estrutural. A ideia foi identificar as áreas com maiores incidências de incêndios, suas possíveis causas e os riscos à população a aos recursos naturais, principalmente os mananciais. Além disso, o plano ocupou-se em levantar o quantitativo de brigadas e grupos que atuam no combate às queimadas, as regiões que atendem e a estrutura dessas organizações, com o objetivo de levantar o que seria necessário para contribuir no combate ao fogo.

Após os estudos, foi traçado um plano de ações em conjunto com o Corpo de Bombeiros, Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Defesa Civil dos municípios, brigadas de incêndios, prefeituras e todas as organizações que atuam nesses casos. O objetivo é criar planos e articulações para prevenir e combater os incêndios.

– A importância do plano se dá no tratamento de todas as frentes necessárias para a adoção de medidas de combate a incêndios na região hidrográfica. A frente de articulação permitirá estruturar uma colaboração entre partes. A diretriz institucional permitirá gerar um arcabouço jurídico para formalização desse apoio entre partes e a diretriz estrutural permite compreender as necessidades das brigadas municipais para que haja uma atuação adequada – explicou Caroline Lopes, Engenheira Ambiental e Especialista em Recursos Hídricos do Comitê.

Plano associativo de combate a queimadas

Além do plano de ações, o grupo também recebe equipamentos e suprimentos adquiridos e doados pelo Comitê Guandu-RJ, visando melhorar a estrutura das organizações. O plano associativo de combate a queimadas prevê ainda cursos de treinamentos e ações educativas, com o objetivo de prevenir ou mitigar os efeitos do fogo nas florestas. Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) em julho mostram que em sete meses, o Estado do Rio de Janeiro teve 185 focos de incêndios, enquanto durante todo o ano de 2018 foram 103. O tempo seco e pouca chuva são alguns dos fatores que contribuem para o aumento em 80% do número de queimadas em relação ao ano passado. Entre outros problemas, as queimadas diminuem a fertilidade dos solos e comprometem a qualidade da água, pois destroem as matas ciliares, que são a proteção dos rios, riachos, córregos e ribeirões, contribuindo para a ocorrência de seca e a baixa umidade relativa do ar.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document