;
domingo, 29 de novembro de 2020 - 05:29 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Prefeitura mantém intervenções em área de risco no bairro São Sebastião

Prefeitura mantém intervenções em área de risco no bairro São Sebastião

Matéria publicada em 28 de agosto de 2020, 19:25 horas

 


Serviço de sondagem já foi iniciado para obter informações do solo (Foto: Evandro Freitas/SecomVR)

Volta Redonda – Os trabalhos na área de risco no bairro São Sebastião continuam. No local, há um talude de aproximadamente 70 metros de altura que apresenta risco de deslizamento de terra, que pode afetar cerca de 20 imóveis. Desde o último final de semana, quando as residências foram interditadas pela Defesa Civil do município, atendendo a uma ordem judicial, as equipes da prefeitura intensificaram o trabalho no local.

De acordo com o diretor do Furban (Fundo Comunitário de Volta Redonda), Davi Silva, nesta semana foi iniciada a sondagem do solo para obter informações específicas, como o tipo de solo por camada (perfil geológico), possível nível de água (lençol freático), entre outras informações importantes.

– Com o resultado deste laudo nossa equipe técnica vai obter a informação da capacidade de carga das diferentes camadas do subsolo. A determinação do tipo de interdição e o volume de movimentação de terra serão avaliados logo após os resultados da sondagem – explicou o diretor do Furban.

As famílias afetadas estão sendo acompanhas pela Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac), que está prestando suporte necessário. De acordo com a Smac, onze famílias já entregaram a documentação para solicitar o aluguel social e nenhuma quis utilizar o abrigo.

A localidade já vinha sendo acompanhada por equipes da Defesa Civil e da Smac, que estavam fazendo um trabalho de conscientização com os moradores, que se recusavam a deixar os imóveis. No domingo, dia 23, uma ordem judicial foi expedida para que as residências fossem desocupadas.

De acordo com a avaliação feita pelos técnicos, o talude de aproximadamente 70 metros de altura, apresenta erosão, solo desagregado, degrau de abatimento, trincas e rachaduras no solo, que não tem cobertura vegetal, além de parte de uma canaleta de escoamento de águas pluviais danificada.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    No meu ponto de vista essa Prefeitura tem que entrar com equipamentos PESADOS e não ficar brincando com uma RETRO ESCAVADEIRA até as eleições para angariar votos na região.

Untitled Document