quarta-feira, 23 de junho de 2021 - 06:27 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Projetos gratuitos beneficiam Terceira Idade em Valença

Projetos gratuitos beneficiam Terceira Idade em Valença

Matéria publicada em 26 de dezembro de 2015, 10:30 horas

 


Valença – Cerca de trezentos idosos participam semanalmente de atividades de convivência, capacitação, eventos e passeios culturais em localidades de Valença. Isso é possível com apoio de entidades da sociedade civil e de pessoas autônomas, além de profissionais voluntários.

Todos os projetos são gratuitos, e a principal contribuição é propiciar um envelhecimento ativo dos cidadãos, sempre em espírito de união e interatividade. Um dos pontos positivos da iniciativa é a interação entre os moradores das localidades onde são realizadas as atividades. Atualmente são onze os pontos, que foram expandidos gradativamente após o início do programa em 2001, por iniciativa dos idosos da associação de moradores do bairro Benfica.

Nesta época um grupo conseguiu abrir espaço no salão paroquial da Igreja Santa Rosa de Lima, na Rua Getúlio Vargas, para promover reuniões e atividades entre os aposentados. Em 2009, a convite do presidente da Associação Valença Integrada ao Desenvolvimento de Ações Sociais (ONG VIDAS), Maxwell Alves, foi concretizada uma parceria visando agregar este e otros grupos, caracterizando assim uma ação agregada.

De acordo com o professor de Educação Física Rafael Tavares, um dos incentivadores do projeto, a união entre várias pessoas é a força motriz que mantêm as iniciativas.

– Ninguém faz nada sozinho, conseguimos sobreviver graças à ajuda de outros grupos da sociedade civil, que compactuam do mesmo espírito de ajuda e protagonismo dos idosos, enquanto agentes motivadores de suas localidades.
Cidadania

Ao todo são três profissionais de educação física, um assistente social, uma professora e dois auxiliares em eventos. A função é estabelecer parcerias com a iniciativa privada, a fim de contribuir com uma ajuda de custo pela prestação do serviços com os grupos, porém o foco não é a relação cliente/prestação de serviços, mas sim a cidadania.
Ednea Lucia, autônoma, afirma que o projeto melhorou sua autoestima. “Acho ótimo, levanta o ego de todas e melhora muito a saúde, o convívio social. Fora que é de graça”.

Atualmente, o objetivo é acrescentar ações de áreas de abrangência em que o poder público não consegue atingir, com isto o próximo passo é completar os distritos que ainda não são atendidas como Pentagna e Santa Isabel, além de ofertar as oficinas de artesanato e de memória para idosos de diversos bairros. Rafael observa o crescimento do projeto. “O grupo se uniu, e foi fundada a entidade fundadora do conselho municipal do idoso em 2011”.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document