sexta-feira, 17 de setembro de 2021 - 14:10 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Resende e Itatiaia fazem prevenção sobre cuidados em cachoeiras e rios

Resende e Itatiaia fazem prevenção sobre cuidados em cachoeiras e rios

Matéria publicada em 12 de janeiro de 2020, 09:14 horas

 


 

Cachoeiras da região atraem muitos turistas e orientações ajudam no passeio seguro-Foto: Divulgação

Resende e Itatiaia- Cidades que atraem muitos turistas que procuram por rios e cachoeiras para afastar o calor, Resende e Itatiaia estão com campanhas importantes em andamento para alertar sobre os riscos oferecidos nestas localidades. Assim como ocorre nas praias, que vai se banhar na água doce também deve tomar certos cuidados para que o passeio corra dentro do programado. Os lugares paradisíacos podem ser desfrutados com segurança, caso as dicas sejam seguidas.

De acordo com o diretor da defesa civil de Resende, Flávio Germano, a região no entorno do Parque Nacional de Itatiaia (que apesar do nome abrange Resende e cidades de Minas gerais e São Paulo) dispõe de uma grande quantidade de cachoeiras. Quando chega o verão, principalmente, a procura por estes locais aumenta bastante. Flávio, porém, alerta que é justamente nesta estação de chuvas intensas que se encontra a maior chance de ocorrência de temporais nas cabeceiras dos rios, Com isso, vem o risco das temidas cabeças d´água.

– Hoje, na região de Resende, são cinco cachoeiras bem frequentadas e conhecidas pelos turistas. As cachoeiras em áreas como Fumaça, Serrinha, Capelinha e Boca do Rego, na região de Vargem Grande, são muito procuradas. E para alertar estes banhistas, a partir deste sábado começamos a distribuir panfletos orientando as pessoas sobre os cuidados e precauções em rios e cachoeiras. Também estamos divulgando nas mídias sociais e rádios locais – disse.

O diretor chama a atenção para o fato de que a Defesa Civil não tem o papel específico de “salva vidas”, mas está se preparando para colocar placas de sinalização e orientações nestes locais alertando sobre os riscos. Entre as principais dicas, o diretor chama a atenção para que antes de entrar numa cachoeira ou rio, acompanhado de uma criança ou sozinho, procure verificar a profundidade. Ele também aconselha ter cuidado com as pedras, pois elas ficam molhadas e, consequentemente, escorregadias, podendo causar sérios acidentes.

– Também não deixe as crianças sozinhas, pois elas não têm dimensão do perigo, das coisas ruins que podem acontecer. Também evite usar os chinelos de dedo para andar sobre as pedras, já que elas são extremamente escorregadias em cachoeiras – alerta.
Em Itatiaia, a Defesa Civil também está preocupada com a segurança dos turistas que buscam as cachoeiras. De acordo com o diretor do órgão, Valdair do Nascimento, para alertar e reforçar a orientação à população e aos turistas, a prefeitura fixou várias placas de alertas em todas as cachoeiras. – Também temos feito vistorias periódicas nas cachoeiras e principalmente quando há previsão de temporal – disse.

O diretor também afirma que foi criado um grupo de WhatsApp entre os membros da prefeitura, Ordem Pública, Defesa Civil, Guarda Municipal, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), funcionários do Posto Marcão e funcionários do Parque Nacional de Itatiaia. Diariamente são repassadas as condições do tempo e previsão de chuva e a possibilidade de cabeça d’agua.

– Antes de tudo os banhistas precisam ficar atentos à previsão do tempo e evitem esses locais ao primeiro sinal de chuva. Aqui, em Itatiaia é possível ver os sinais de mudança do tempo observando a serra do Parque Nacional, onde ficam localizadas as cabeceiras de alguns rios – explicou.

Além dos cuidados com possíveis cabeças d’água, Valdair do Nascimento, também lembra que os banhistas devem evitar ficar debaixo de árvores que podem atrair raios durante as tempestades e evitar mergulhos em regiões desconhecidas, que podem o dificultar a saída do local.

Qual a diferença entre tromba d’água e cabeça d’água?

Cabeça d’água é o termo popular do fenômeno natural utilizado para descrever o aumento rápido e repentino do nível de um rio, quando chove nas cabeceiras (nascentes), ou em trechos mais altos de seu percurso. O volume de água forma uma enxurrada destruidora que pode arrastar árvores, animais, pessoas, blocos de rocha, etc. Já uma tromba d’água é o fenômeno que remete a semelhança ao tornado, que ocorre no mar ou lagos, elevando as águas para o ar no formato de um cone. A mudança misteriosa da água que escoa para alguns rios os deixa mais violentos de um momento para o outro, sem que a chuva seja a principal causa do aumento de seu nível.

Como identificar sinais de cabeça d’água

1. Aumento repentino no volume e força da água;
2. Mudança de cor da água, ficando mais suja e barrosa;
3. Presença de detritos como galhos e folhas na água;
4. Volume de som alto vindo do alto do rio;


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document