quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Resende quer proteger jovens da criminalidade com arte, esporte e capacitação

Resende quer proteger jovens da criminalidade com arte, esporte e capacitação

Matéria publicada em 16 de março de 2017, 20:54 horas

 


Social: Iniciativa é idealizada pelo comandante do 37º Batalhão da Polícia Militar, Rogério Jackes da Silva (à direita) (Foto: Divulgação PMR)

Social: Iniciativa é idealizada pelo comandante do 37º Batalhão da Polícia Militar, Rogério Jackes da Silva (à direita) (Foto: Divulgação PMR)

Resende – Um projeto vai reunir órgãos públicos municipais, estadual e federal, além de representantes da sociedade, para combater a violência e criminalidade juvenil. A ideia é oferecer oportunidades de arte, esporte, lazer, além de capacitação profissional para adolescentes e jovens da cidade.

A iniciativa, idealizada pelo comandante do 37º Batalhão da Polícia Militar, Rogério Jackes da Silva, ganhou o apoio da prefeitura, com o envolvimento de diversas secretarias municipais, e do Promotor da Infância e da Juventude do município, Afonso Henrique Lemos.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Rosa Frech, o projeto deverá beneficiar, inicialmente, quatro escolas da rede municipal de ensino, todas localizadas na região da Grande Alegria: o Colégio Getúlio Vargas, a Escola Antonina Ramos Freire, e os Cieps Municipalizados 347 – Jorge Miguel Jayme, e 489, Augusto de Carvalho.

Nessas unidades serão realizadas atividades esportivas, artísticas e profissionalizantes, que atraiam os estudantes no contraturno escolar, evitando desta forma que eles fiquem nas ruas e possam se envolver em atos ilícitos. A faixa etária a ser atendida é de alunos acima de 12 anos, que estejam cursando a partir da sexta série do ensino fundamental.

Na tarde de quarta-feira (15), durante um encontro realizado na Escola Municipal Maria de Assis Barboza, no bairro Cabral, foi definida a composição da comissão que vai elaborar o projeto, no qual serão definidas quais as atividades serão oferecidas aos estudantes. O colegiado será composto por 10 membros, quatro representantes das escolas beneficiadas, um da Polícia Militar e um das secretarias municipais de Educação, Esporte e Lazer, Assistência Social e Cultura, além da Fundação Confiar.

A iniciativa, que também deverá contar com o apoio de patrocinadores e voluntários, já foi aprovada pelo prefeito Diogo Balieiro (PSD) que determinou às secretarias municipais que priorizem as áreas de risco e as comunidades mais vulneráveis com ações sociais.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar
    agafjgjjkWantuil fortes Silvério

    Melhor caminho reabrir os Brizolão. É prá isso que existe o Brizolão . Para acabar com essa ociosidade dos jovens, Não existe outro caminho Essas reunião,sem o conteúdo que é à educação O resto é conversa para boi dormir !…..

Untitled Document