segunda-feira, 18 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Roda de Conversa orienta professores sobre H1N1, em Volta Redonda

Roda de Conversa orienta professores sobre H1N1, em Volta Redonda

Matéria publicada em 19 de abril de 2016, 21:39 horas

 


Sem dúvida: Evento realizado pela Secretaria Municipal de Saúde reuniu diretores e professores

Sem dúvida: Evento realizado pela Secretaria Municipal de Saúde reuniu diretores e professores

Volta Redonda – Docentes e diretores de escolas particulares e da rede pública participaram, na tarde desta terça-feira (19), da Roda de Conversa sobre Prevenção à H1N1, promovida pela Secretaria Municipal de Saúde de Volta Redonda (SMS/VR), no auditório da Secretaria Municipal de Educação, no bairro Niterói. O objetivo do evento foi orientar profissionais da educação sobre a prevenção à gripe dentro das escolas e creches.

A iniciativa atendeu a expectativa da diretora da Escola Municipal Amaral Peixoto, Roseli Negreiros, que acompanhou atentamente a explicação sobre a doença e cuidados para se prevenir a gripe, apresentada pelo médico infectologista, do Setor de Epidemiologia da SMS/VR, Eduardo Candanoza. Um dos itens que mais chamou atenção da professora foi a importância de se manter o espaço interno da escola bem arejado.
Roseli, que é responsável por uma unidade de ensino fundamental com quase 400 alunos matriculados, com faixa etária entre 6 a 11 anos, disse ainda que está realizando uma campanha na escola: de incentivo a higienização das mãos dos alunos. O objetivo da educadora, segundo ela, é conquistar atenção das crianças e pais para a importância da limpeza das mãos, um dos principais fatores que ajuda a eliminar germes da gripe.

– Estamos ainda tomando um maior cuidado com a limpeza dos nossos bebedouros e incentivando o uso de copos e garrafas descartáveis – comentou a professora.

A exemplo de Roseli, a diretora da Creche Municipal Amor Perfeito, Patrícia Coelho, também tem priorizando a higiene das mãos dos alunos como tarefa diária na escola, na campanha contra o H1N1. A professora ao acompanhar a apresentação do médico da SMS/VR, foi, inclusive, uma das que indagou sobre a importância do uso constante do álcool gel e teve a dúvida rapidamente sanada pelo infectologista, que alertou para a importância do produto na desinfecção das mãos.

– Ao aplicar o álcool gel a 70% nas mãos há de fato eficácia na eliminação dos germes, mas a utilização desse produto deve e precisa ser acompanhada com o hábito de lavar as mãos com água e sabão – alertou o médico.

Outra dúvida frequente entre os professores foi quanto ao público-alvo da vacina e as datas diferenciadas para o inicio da campanha de vacinação contra H1N1, que em Volta Redonda e no Sul do Estado passou a ser aplicada nesta segunda-feira, dia 18, para gestantes, crianças de seis meses a menores de cinco anos, além de pacientes renais crônicos. Este item foi esclarecido pela médica da SMS/VR, doutora Rosa Maria de Jesus, que falou sobre critérios adotados pelo Ministério da Saúde e pelas Secretarias Municipais de Saúde para aplicação da vacina.

– Existe uma estratégia epidemiológica de distribuição de vacina e estamos priorizando uma parcela do público-alvo que representa um grupo menor de pessoas a serem vacinadas, além de representarem ainda um público com maior risco para a doença – completou a médica.

Apresentação

Durante as orientações, o médico Eduardo Candanoza repassou aos profissionais da Educação as principais recomendações do Ministério da Saúde a serem adotadas nas escolas e creches em casos suspeitos de H1N1.

Uma delas é orientação quanto ao afastamento, temporário, por até 48 horas, de alunos, professores ou funcionários que adoecerem, com suspeita clínica de Influenza, podendo ser liberado o retorno à escola, quando estiver clinicamente estável, sem uso de antitérmico e sem febre por 24 horas. Outra recomendação para estes casos é o fato de ao retornar à escola, esta pessoa deverá manter medidas simples como cobrir o nariz e a boca com lenço, ao tossir ou espirrar, e descartar o lenço no lixo após uso; lavar as mãos com água e sabão após tossir ou espirrar; evitar tocar olhos, nariz ou boca; evitar contato próximo com pessoas doentes, são fundamentais para evitar a doença. Outra orientação do médico é o fato de que não havendo disponibilidade de água e sabão, o uso de álcool gel é recomendado.
Durante as orientações previstas para as escolas, o Ministério da Saúde destaca outras medidas a serem adotadas que evitam a transmissão da influenza e outras doenças respiratórias, confira abaixo.

• Frequente higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento
• Utilizar lenço descartável para higiene nasal
• Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir
• Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca
• Higienizar as mãos após tossir ou espirrar
• Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas
• Manter os ambientes bem ventilados
• Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de influenza
• Evitar sair de casa em período de transmissão da doença
• Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados)
• Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos
• Orientar o afastamento temporário (trabalho, escola etc.) até 24 horas após cessar a febre


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document