sexta-feira, 15 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / ‘Roda Hans’ capacita profissionais para diagnóstico precoce na Hanseníase em VR

‘Roda Hans’ capacita profissionais para diagnóstico precoce na Hanseníase em VR

Matéria publicada em 8 de setembro de 2019, 06:05 horas

 


Município será pólo de atendimento da Carreta Hans e base para cidades de Pinheiral, Barra do Piraí, Piraí, Rio das Flores e Valença

Volta Redonda- Nos dias 23 e 24, Volta Redonda será pólo regional de atendimento e capacitação no combate à hanseníase. O “Projeto Roda Hans – Carreta da Saúde”, do Ministério da Saúde, que conta com o apoio do Governo do Estado, acontecerá na Praça Brasil, das 8h às 17h, com toda estrutura focada para a conscientização sobre a importância da identificação precoce de hanseníase. Volta Redonda sediará a ação, sendo pólo para os municípios vizinhos de Pinheiral, Barra do Piraí, Piraí, Rio das Flores e Valença.

O prefeito Samuca Silva ressaltou que o projeto “Roda – Hans” é uma iniciativa que busca não apenas diagnosticar novos casos da doença, mas também conscientizar a população das cidades por onde passa. “Estamos engajados em contribuir com o Ministério da Saúde nesse processo de prevenção da hanseníase. Além disso, vamos melhorar a capacidade técnica dos profissionais de saúde e descentralizar o atendimento”, explicou o prefeito.

O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, explicou que o projeto é importante, pois prepara os profissionais para realizar o diagnóstico precoce da doença. “É nesse momento que iremos aplicar os conceitos teóricos, orientando os profissionais de saúde e realizando diagnósticos” disse o secretário.

O objetivo é de capacitar os profissionais para realizar o diagnóstico precoce da hanseníase, além de informar a população sobre os aspectos clínicos de reabilitação e sociais da doença. A capacitação teórica sobre a hanseníase, que foi realizada em junho, reuniu 17 profissionais de saúde de Volta Redonda, além de outros do Médio Paraíba, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeuta, técnico de laboratório e dentista. Na ocasião, eles puderam esclarecer o manejo clínico da doença. Já nos dia 23 e 24, quando a Carreta Hans estiver no município, os profissionais terão as aulas práticas, com o atendimento dos pacientes.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Milene Paula de Souza, essa ação é de fundamental. “Nesse momento é extremamente importante a captação precoce dos casos de Hanseníase, a fim de diagnosticar e tratar a hanseníase evitando as complicações graves da doença. Além disso, os profissionais de saúde serão atualizados e poderão fazer o diagnóstico nas unidades de saúde de toda cidade”, disse a coordenadora.

O Roda Hans é uma unidade itinerante com cinco consultórios e um laboratório para realização da baciloscopia (exame que detecta a hanseníase), além de biopsia. O projeto inclui também um treinamento prático com profissionais da rede municipal de saúde. Novos casos diagnosticados iniciam o tratamento imediatamente, e são direcionados para acompanhamento nas unidades de saúde do município de residência.

A hanseníase é transmitida pela via respiratória e o tratamento, que varia de 6 a 12 meses, é feito através de medicamentos específicos para a doença. De acordo com a Coordenadora da Divisão de Média Complexidade do município de Volta Redonda, Flavia Lipke, atualmente em Volta Redonda existem 12 pacientes em tratamento de hanseníase. Segundo ela, a doença está ativa, pois do total de casos existentes, dez são do tipo multibacilar, que é a forma contagiosa da doença, sendo os outros dois sem qualquer risco de transmissão, tipo paucibacilar.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document