quinta-feira, 21 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Secretaria de Estado de Educação antecipa férias em escolas ocupadas

Secretaria de Estado de Educação antecipa férias em escolas ocupadas

Matéria publicada em 19 de abril de 2016, 21:26 horas

 


Mais de sete mil alunos estão sem aula em Angra dos Reis, Barra Mansa e Volta Redonda

Diretor (Foto: Libânia Nogueira)

Diretor da Regional do Médio Paraíba lamentou o impedimento das aulas e disse que ato no Instituto de Educação Professor Manuel Marinho, em Volta Redonda, foi invasão e não ocupação (Foto: Libânia Nogueira)

Sul Fluminense – Por conta das ocupações nas escolas da rede estadual, a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) vai antecipar a data das férias de alunos e professores. De acordo com o calendário escolar, as férias teriam início em agosto, mas foi resolvida a antecipação para começar no dia 2 de maio.
A medida, segundo a secretaria, busca concluir o ano letivo conforme o cronograma estadual, mesmo com greves dos professores e ocupações dos alunos. Nas outras unidades, o recesso ocorrerá como previsto, no período de 1º a 27 de agosto. As escolas que estão ocupadas atualmente terão que funcionar em agosto.
Em Volta Redonda, quatro escolas estão ocupadas: Colégio Estadual Guanabara; Ciep 403 – Professora Maria de Lurdes Giovanetti; Ciep 295 – Profº Glória Roussim Guedes Pinto e Instituto de Educação Professor Manuel Marinho. Em Barra Mansa, os alunos deram início à ocupação no Colégio Estadual Barão de Aiuruoca na última segunda-feira (17), assim como em Angra dos Reis, no Ciep 302 – Charles Dickens.
O governo do Rio diz que há 57 escolas ocupadas em todo o estado. Segundo a Associação Nacional dos Estudantes Livres (Anel), o total chega a 64, conforme publicação feita em sua página no Facebook. O movimento começou com a ocupação do Colégio Estadual Prefeito Mendes de Moraes, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, no dia 21 de março. O diretor da Regional do Médio Paraíba, Marcos Dias Vieira, lamentou o impedimento das aulas, e principalmente, a ação no Instituto de Educação Professor Manuel Marinho, em Volta Redonda.
– No Manuel Marinho, na verdade, aconteceu uma invasão. Desconheço as assembleias que eles dizem (alunos) estar fazendo e até mesmo não sei se o ato é de alunos da instituição mesmo. Não houve qualquer comunicação com a direção, como normalmente os alunos das outras escolas fizeram. Tem outras pessoas por trás disso. É lamentável que por uma minoria, tantos estejam perdendo seus direitos – avaliou.
O diretor estimou que 7.170 alunos estão sem aula, por conta dos demais que ocupam as escolas.
– Infelizmente por conta de seis pessoas, 400 alunos estão sem aula no Guanabara; no Barão, por causa de 16, 1.900 estão sem aula; no Manuel Marinho não sabemos quantos, mas 1.900 estão sem aula; no Ciep 403, 170 estão sem aula por causa de 16; no Glória Roussim, 1.800 estão sem aula por causa de 35 e em Angra, no Ciep 302, mil estão perdendo aula – listou Vieira.

Liminar exige manutenção de serviços essenciais

A Seeduc informou na última semana que a Justiça deu liminar favorável para que seja mantido o quantitativo mínimo equivalente a 70% do total dos servidores em cada unidade de ensino, caso esse percentual aconteça. A liminar visa garantir o cumprimento da exigência legal de manutenção de serviços essenciais e direitos iguais para todos, seja nos colégios com adesão zero ou naqueles onde os percentuais da greve variam de acordo com o turno, o dia e a carga horária. Caso essa orientação não seja atendida, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) será multado em R$ 50 mil reais por dia.
O sindicato de Volta Redonda, em nota, se posicionou sobre a decisão, dizendo que o mesmo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro determinou que o Estado não cortasse os salários dos servidores em razão de adesão à greve e tampouco declarou a greve ilegal. Além do mais, não impôs multa ou penalidade alguma aos servidores individualmente, mas apenas ao sindicato.
Sobre o percentual dos trabalhadores que podem paralisar as atividades (o TJRJ liberou 30%), o Sepe declarou que o Departamento Jurídico apresentará recurso, solicitando o seu aumento.
A próxima assembleia geral está marcada para o dia 28. No mesmo dia, a categoria fará um protesto unificado em frente à sede do RioPrevidência, no centro do Rio, para exigir a regularização do pagamento dos aposentados e pensionistas do estado que recebem mais de R$ 2 mil líquidos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

12 comentários

  1. Avatar
    Professor Luiz Carlos

    Meu Deus !!! Quem é esse paladino do sucesso querendo ser um exemplo para nós professores! Provavelmente não conhece a rotina de um professor e , tem soluções mirabolantes para todos! Sua retórica é influenciada por quais interesses? A luta de uma categoria é justa , seja bancário, seja caminhoneiro etc. Acredito que as escola são um reflexo da sociedade. Quando ela vence todos ganham ! Essa é a questão ! As escolas estão derrotadas pelo sistema que lhes reserva o papel de cuidadoras de jovens e não de fomentadoras do saber! É esse o nosso papel de professor e ele deve ser respeitado ! Esse discurso neoliberal só fortalece o descaso do Estado com esse setor !

  2. Avatar

    Acho ridículo esse historia repetitiva, quando fazem concurso para o cargo sabem quanto vão “ganhar” depois vem com esse mimimimi que é pouco, isso é sacanagem com os alunos … esse ano ainda concordo em parte com vocês pois o governo do estado não está pagando aí fica dificil mesmo, mas nos anos anteriores é sempre a mesma historia de greve por salário digno . . gente todo profissional merece salario digno e no nosso país poucos ganham, imaginem se todos fizerem greve . . Greve só prejudica o próprio povo pois família de governantes estudam fora do país, não usam SUS, não dependem de rodovias pois andam de helicóptero ou jatinhos, não dependem de policia pois tem segurança privada, etc etc etc . .

    Repensem isso nas urnas . . caso não tenha opção de candidato anulem o voto. É melhor.

  3. Avatar

    Leia e reflita…

  4. Avatar

    Que merda hen!

  5. Avatar
    Maria Vanderleia Pereira

    Tolerância Zero , o professor é o único que repõem o dia de greve diferente dos outros profissionais que fazem greve e não repõem nada, se sua memoria e curta lembre-se da greve da previdência, varias pessoas doentes esperando sair o auxilio médico, porém eles estavam em greve não é mesmo? E quanto a estudar para ser professor não é para qualquer pessoa, todo profissional deve ter direito a um salario digno, muitos professores tem mestrado e doutorado, porém o governo quer pessoas como você que não pensam e só reproduzem asneiras, e pelo seu comentário seu salário deve ser ótimo, sendo assim coloque seu filho em uma escola particular onde a professora deve ganhar muito bem não é mesmo. e diga a ele para não estudar não, treine seu filho para a politica pois um deputado ou senador que não tem nem o ensino médio , ganha muito mais que o professor. Mas acima de tudo ensine o seu filho a mentir pq na minha profissão costumo falar a verdade sou professora com ORGULHO ganho pouco mas trabalho com dignidade, porém nossos políticos já não digo o mesmo

    • Avatar

      Estudei desde a 1ª série até terminar o ensino médio no colégio estadual, tenho 45 anos, minha mãe se formou no mesmo colégio que eu, meu filho mais velho tem 17 anos e estuda no mesmo colégio… Ou seja minha família sabe o que é conviver com GREVE por DÉCADAS e RAMENTE a reposição SAI DO PAPEL.
      Pois é SEMPRE O MESMO DISCURÇO da GRANDE MAIORIA DOS PROFESSORES GREVISTAS (não deve ser seu caso que PARECE ser uma profissional EXEMPLAR)…:
      – Olha sábado tem reposição, não acho justo vocês perderem o fim de semana por irresponsabilidade do GOVERNO…
      – Quem não QUISER vir… NÃO PRECISA, porque NÃO vou dar matéria nova e nem vou dar falta…
      Se a SENHORA , NÃO FAZISSO vai dizer que nunca ouviu falar que acontece…
      Vocês fazem greve TODO ANO À DECADAS…
      Com o grau de instrução que vocês têm, QUANTAS DECADAS vão ser necessárias para que entendam que a greve desta categoria SÓ INCOMODA A SOCIEDADE…
      Me desculpe mas o GOVERNO ESTÁ Kgando e andando pra vocês…
      Se vocês pedissem o apoio dos ALUNOS e RESPONSAVEIS, para fazermos uma PASSEATA em um dia em todas as cidades ao mesmo tempo QUAL SERIA O IMPACTO que isto causaria…
      Fazer greve passeando no shopping ou em casa assistindo sessão da tarde, NUNCA TERAM O SALÁRIO DIGNO…

  6. Avatar

    MINHA FILHA ESTUDA EM UMA DESTAS ESCOLAS, OS PROFISSIONAIS TEM O DIREITO DE REIVINDICAR.MAS DESDE O COMEÇO DO ANO LETIVO MINHA FILHA NÃO TEVE UMA AULA DE MATEMÁTICA,ENTRE OUTRAS.AONDE ESTÁ O DIREITO DO ESTUDANTE SR.GOVERNADOR?POR FAVOR OS GOVERNANTES DO ESTADO NÃO ESTÃO DE GREVE,REAVALIE AS PROPOSTAS DOS PROFISSIONAIS PRA QUE ESTES ALUNOS TENHAM O DIREITO DE ESTUDAR E SER ALGUEM DIGNO.

  7. Avatar
    Pagador de impostos

    Nenhum comentário até aqui. Esperava encontrar como sempre vários, com posições diversas. Triste ilusão. A educação realmente não é uma preocupação para a grande maioria da população deste país. Todo o discurso de que a edução é isso, é aquilo, que só a educação nos salvará, tudo isso é apenas discurso para a grande maioria da população. Os dirigentes ? Esses nunca se preocuparam com esse assunto. Aff…….esse país está cansando.

  8. Avatar

    Em NENHUMA CATEGORIA existe greve por tempo indeterminado…
    Professores estaduais NÃO TEM COMPROMISSO COM A MISSÃO DE ENSINAR…
    Meu filho de 10 anos me perguntou se os professores vão receber pelos dias parados, quando eu falei que sempre recebem, ele me disse:
    – Pai porque você não quis ser professor você só recebe se trabalhar de segunda a sábado, e não dá nem pra passear, quando eu crescer quero ser professor…
    – Por que o senhor não volta a estudar pra ser professor também…???
    E eu respondi a ele :
    – Eu vou escolher uma profissão onde eu NUNCA VOU ESTAR FELIZ COM MEU SALÁRIO, PASSAR A VIDA RECLAMANDO…???
    Então ele me disse :
    – Isso é verdade, QUANDO tem aula a professora fica TODAHORA RECLAMANDO QUE GANHA MAL… Se ela é professora por que ela não estudou pra trabalhar igual o senhor “né” …???
    FALAR O QUE …???
    ELE SÓ TEM 10 ANOS…

    • Avatar
      Maria Vanderleia Pereira

      Tolerância Zero , o professor é o único que repõem o dia de greve diferente dos outros profissionais que fazem greve e não repõem nada, se sua memoria e curta lembre-se da greve da previdência, varias pessoas doentes esperando sair o auxilio médico, porém eles estavam em greve não é mesmo? E quanto a estudar para ser professor não é para qualquer pessoa, todo profissional deve ter direito a um salario digno, muitos professores tem mestrado e doutorado, porém o governo quer pessoas como você que não pensam e só reproduzem asneiras, e pelo seu comentário seu salário deve ser ótimo, sendo assim coloque seu filho em uma escola particular onde a professora deve ganhar muito bem não é mesmo. e diga a ele para não estudar não, treine seu filho para a politica pois um deputado ou senador que não tem nem o ensino médio , ganha muito mais que o professor. Mas acima de tudo ensine o seu filho a mentir pq na minha profissão costumo falar a verdade sou professora com ORGULHO ganho pouco mas trabalho com dignidade, porém nossos políticos já não digo o mesmo

    • Avatar

      Falar o quê? Dê a ele uma aula de cidadania, explique a ele que toda a pessoa que trabalha tem direito à uma remuneração digna, inclusive direito a receber seus proventos nos dias certos, porque os boletos de água, luz, telefone etc… não aceitam desculpas. Explique também a ele que mesmo quando estes profissionais não recebem , seus credores (neste caso o próprio patrão) querem receber IPVA, Imposto de Renda…Ah , tem outra coisa, professor é como outra profissão, merece respeito e salário decente,sem essa de “compromisso com a missão de ensinar”. Em que mundo você vive? Sobre perguntar sobre “estudar para trabalhar igual ao senhor…” responda que se não fosse o professor, nem você estaria postando este comentário porque certamente seria analfabeto. Este é um país que vai pra frente…

    • Avatar

      Se a rede pública não paga um salário digno (o que eu concordo), resta a opção de trabalhar na rede privada, lembrando que na rede privada NÃO EXISTE ESTABILIDADE…
      Que tal AO INVÉS de aumento de salário fosse criado ABONO por PRODUTIVIDADE, onde o abono fosse VINCULADO ao rendimento dos alunos em provas como o ENEM…???
      Pois o mesmo professor que no colégio particular se desdobra para ensinar os alunos… Quando chega ao colégio público passa umas matérias no quadro, enquanto os alunos copiam ficam trocando mensagens no CELULAR…
      Em último caso Tania, já que NÃO EXISTE COMPROMISSO COM A MISSÃO DE ENSINAR, caso se julgue CAPACITADA resta ainda a alternativa de migrar para outra profissão…
      Uma pessoa formada em Biologia NÃO tem de ser professor… Formado em Matemática, idem …
      Eu mesmo me formei em uma profissão na qual eu entendi que se trabalhava demais e se ganhava de menos. Sai de minha ZONA DE CONFORTO e iniciei minha carreira em outra onde teria muito mais oportunidades de crescimento na carreira e PRINCIPALMENTE ECONOMICO…
      Já OBITIVE 3 PROMOÇÕES… Como dizem no futebol JOGO NAS ONZE (sei fazer todas as funções dentro da empresa em que trabalho) e se ela não me pagar em dia tiro meu traseiro da cadeira e procuro um lugar melhor… Trabalhei 6 anos sai direto para uma concorrente, 2 anos depois fui chamado de volta para ganhar mais… Enquanto vocês se contentarem com estabilidade, vão continuar a ganhar pouco. Tenham coragem VALORIZEM – SE
      A greve por tempo indeterminado extrapola o teu direito de trabalhador e fere o direito dos estudantes e odo restante da população que paga impostos para ter esse serviço e NÃO TEMCULPA se NÃO É JUSTA A QUANTIA PAGA A VOCÊS…

Untitled Document