quarta-feira, 8 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Secretaria realizará debate com o tema ‘Cultura do Estupro’, em Volta Redonda

Secretaria realizará debate com o tema ‘Cultura do Estupro’, em Volta Redonda

Matéria publicada em 5 de dezembro de 2016, 13:25 horas

 


Evento faz parte da Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres 2016

Volta Redonda- A prefeitura junto à Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPPM), realizará, na próxima sexta-feira (9), às 14h, o debate com tema “Cultura do Estupro”. O evento acontecerá no auditório da Prefeitura e faz parte da Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres 2016 no município – iniciada no dia 21 de novembro. O debate contará com a presença da socióloga Adriana Mota.

A campanha é uma mobilização anual, praticada simultaneamente por diversos atores da sociedade civil e Poder Público engajados nesse enfrentamento.

– Desde o ano de 2010 nosso município vêm desenvolvendo atividades para a Campanha dos 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher. Este ano, a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres conta com a presença da Patrulha Maria da Penha, além da equipe técnica do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) – Casa da Mulher Bertha Lutz – explicou a secretária de Políticas Públicas para Mulheres, Glória Amorim.

Números

Os dados sobre estupro são alarmantes. Conforme aponta pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea), no ano de 2015 ocorreram 5 estupros por hora, sendo 1 caso a cada 11 minutos. A cada ano são registrados pela polícia cerca de 50 mil casos. A estimativa é de que existe muita subnotificação, e o número total de casos pode chegar a 500 mil a cada ano no país. Estima-se que chegam à polícia somente 10% dos casos. Em Volta Redonda, conforme dados estatísticos retirados do Dossiê Mulher 2016 (referente ao ano de 2015), foram registrados 56 estupros.

Campanha

Desde sua primeira edição, em 1991, já conquistou a adesão de cerca de 160 países. No Brasil, a campanha acontece desde 2003 e, para destacar a dupla discriminação vivida pelas mulheres negras, as atividades aqui começam em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra. As mulheres negras são as que estão na base da pirâmide social e, por conta disso são as maiores vítimas da violência de gênero.

Mundialmente, a campanha se inicia em 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos, passando pelo dia 1º de dezembro, Dia Mundial de Combate a Aids, e 6 de dezembro, que é o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres (Campanha do Laço Branco).

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document