segunda-feira, 6 de dezembro de 2021 - 20:53 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Secretaria vai agilizar atendimento em UBSF de Volta Redonda

Secretaria vai agilizar atendimento em UBSF de Volta Redonda

Matéria publicada em 24 de maio de 2017, 18:47 horas

 


Volta Redonda –  A partir da próxima segunda-feira (29) as UBSF (Unidades Básicas de Saúde da Família) passarão a agendar consultas e a realizar todos os atendimentos, das 7h às 17h. Antes, os procedimentos eram realizados com horários pré-estabelecidos pela unidade. Com a mudança os pacientes serão atendidos para procedimentos a qualquer momento em que comparecerem às unidades. A iniciativa é para agilizar o atendimento à população.

– Essa mudança está pautada nos princípios norteadores do SUS no que diz respeito à universalidade, equidade e integralidade. A população merece todo nosso respeito e ser atendida com qualidade, acolhimento e segurança. Nós investimos na compra de 12 carros e, em breve, vamos resgatar também as visitas médicas domiciliares – disse a secretária de Saúde, Márcia Cury.

As melhorias também incluem investimentos na infraestrutura das unidades. “Em breve, serão instalados, em todas as UBSF, bebedouros novos e ar condicionado. Além disso, a SMS vai uniformizar as equipes, e todos os funcionários passarão a ter crachás de identificação. Estamos investindo na saúde da população e vamos fortalecer, cada vez mais, as unidades básicas e também os profissionais que lá trabalham”, explicou a secretária.

De acordo com a secretária, o objetivo das mudanças nas UBSF´s é também fortalecê-las, tanto na parte de estrutura, quanto de atendimento, visando “desafogar” os dois hospitais públicos de Volta Redonda (Hospital Municipal Dr. Munir Rafful e Hospital São João Batista).

'Nós investimos na compra de 12 carros e, em breve, vamos resgatar também as visitas médicas domiciliares', diz Márcia Cury (foto: Divulgação)

‘Nós investimos na compra de 12 carros e, em breve, vamos resgatar também as visitas médicas domiciliares’, diz Márcia Cury (foto: Divulgação)

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

11 comentários

  1. Essa mudança é muito significativa, pois deixaremos de ir pro postinho às 6:00h da manhã. Já que poderemos ir a qualquer momento e ser atendido.

  2. Lá no bairro que resido já é uma realidade há tempos. Desde janeiro de 2017 não há mais filas.

  3. JOSÉ CARLOS SILVA

    As ruas estão muito cheia de buracos no bairro belo horizonte,a estrada para st• Rita está cheia de matos só passa um carro de tanto mato,a ciclovia da beira rio está cheia de buracos,o SAAE faz os consertos e não arumar os buracos, muitas pedras da calçada soltas os sinais luminosos eram ciclonizados hoje não estão mais fiz um exame de PSA no laboratório central já faz 4 meses e não saiu o resultado ainda,no posto que distribui medicamentos atraz do Royal não tem medicamentos, ajude a nós nosso prefeito Samuca,nos temos muita confiança em que a nossa cidade vai melhorar ok

  4. SAMUCA RESPONDENDO A TODOS OS ELEITORES.

    agradeço a mensagem e a confiança. Diante de um cenário de extrema dificuldade financeira encontrada, temos trabalhado incansavelmente para reorganizar a casa. Há muitas coisas a serem feitas e serão realizadas, com certeza. No momento temos que priorizar a manutenção da saúde, educação, emprego e reestruturar as contas da prefeitura. Podem contar que ao final dos quatro anos teremos uma cidade bem melhor e mais organizada do que a que encontramos. Abraços

  5. Ricardo - cidadão voltarredondence

    Inicialmente, como especialista em Direito Constitucional, venho corrigir a V.Sª. Sra. secretária de saúde do município de Volta Redonda em relação ao real significado do art. 196, caput, combinado com o art. 198, caput, ambos da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Isto é, os princípios norteadores do SUS (Sistema Único de Saúde), como à universalidade, equidade e integralidade sinalizados como justificadores das ações promovidas por V.Sª., na reportagem jornalística, não tem nada a ver com o seu valor axiológico. Bem se vê, com isso, o despreparo e a falta de conhecimento na área técnica em que comanda.

    A universalidade possui duas dimensões: a objetiva é voltada a universalidade de cobertura; a subjetiva busca a universalidade do atendimento. A equidade significa que todos devem participar do custeio do Sistema Único de Saúde – SUS, de modo direto ou indireto. A integralidade significa que o SUS é formado por uma rede regionalizada e hierarquizada com descentralização visando o atendimento integral com a participação da comunidade.

    Não há dúvidas que no governo do Sr. Antônio Francisco Neto V.Sª. fez uma ótima administração financeira no Hospital Munir Rafful, na época como diretora administrativa. Na verdade, o Exmo. prefeito Samuca Silva, em quem votei, muito me surpreendeu ao convidar a diretora administrativa do Hospital Munir Rafful do governo Neto para ser a secretária de saúde. Isso porque, a Sra. Márcia Cury nem sequer tem formação médica, desconhecendo profundamente a medicina e, por consequência, as necessidades médicas da população.

    Não há dúvidas da sua competência como gestora do hospital Munir Rafful, entretanto, há imensas dúvidas quanto à sua competência técnica em ser secretária de saúde do município.

    Outro ponto que merece destaque em sua fala é a falta de conhecimento técnico em relação ao programa de saúde da família e comunidade, desconhecendo os protocolos, portarias e diretrizes do Ministério da Saúde, bem como a historia e as características do programa de saúde da família e comunidade.

    Prezada secretária de saúde o programa de saúde da família e comunidade iniciou em países desenvolvidos por volta da década de 60, há atualmente duas grandes escolas de estratégia, uma no Canadá e a outra no continente europeu, mais especificamente na Holanda, França, Dinamarca e Noruega, entre outros.

    O programa de saúde da família e comunidade surgiu como uma estratégia para reduzir os custos com a saúde pública nesses lugares. Na verdade, a receita é muito simples, mantendo um médico mais próximo da família e com consultas periódicas e ELETIVAS poderia realizar a educação em saúde visando prevenção ao acometimento da doença e, paralelamente, diagnosticar doenças na fase inicial, aumentando, com isso, o êxito no tratamento e reduzindo os custos. A ideia do tratamento preventivo e do diagnóstico precoce da doença, por exemplo, é para reduzir as intervenções cirúrgicas, tratamentos invasivos (como a quimioterapia) e reduzir os exames de alto-custo.

    O que observo, por outro lado, é que V.Sª. desconhece que aproximadamente 60% dos atendimentos de urgência, emergência e pronto atendimento nos hospitais São João Batista e Munir Rafful são de pacientes de outros municípios, inclusive baixada fluminense. Portanto, o grande volume de paciente nos hospitais se deve aos moradores de outros municípios, conforme trabalhos de científicos arquivados na biblioteca da UniFoa.

    Os atendimentos, por sua vez, nas unidades básicas de saúde – programa de saúde da família e comunidade, é de aproximadamente de 98% da população de Volta Redonda, ou seja, é o serviço de saúde pública que mais atende os munícipes hipossuficiente de Volta Redonda.

    Desse modo, como podemos perceber, melhorando o atendimento nas unidades básicas de saúde não necessariamente haverá a diminuição nas demandas dos hospitais, uma vez que a grande demanda vem de pacientes de outros municípios.

    Importante ressaltar, aliás, que o tipo de atendimento prestado nas unidades básicas de saúde é diferente dos atendimentos nos hospitais, o primeiro é de consulta eletiva e de baixa complexidade, ao passo que o segundo é consulta de urgência e emergência de alta complexidade ou pronto atendimento.

    Diante disso, temo que as ações em saúde pública no município sejam apenas e tão somente pautadas por questões POPULISTAS e DEMAGOGAS, visando o voto daquele que desconhece os aspectos técnicos de uma saúde pública de qualidade.

    • Infelizmente VR atende muitos de fora prejudicando os necessitados daqui.

    • Concordo com o Ricardo!
      Até mesmo no setor privado, hospital privado e consultório particular, a gente fica aguardando a consulta por horas em razão da quantidade de pacientes, no setor público não poderia ser melhor não é mesmo.
      Muito embora tb tenha votado no Samuca Silva, observo, infelizmente, que o governo dele tem sido altamente POPULISTA e muito ineficiente e incompetente com quase 6 meses de governo.
      A única coisa, aliás, que o Samuca Silva sabe fazer é dar desculpas e justificativas vagas e genéricas.
      De fato, não tem mais espaço para o Neto em VR, contudo, sua eguipe técnica é infinitamente superior ao corpo técnico escolhido pelo Samuca Silva, sobretudo na secretaria de saúde, mais especificamente a secretária de saúde.
      A atual secretária de saúde é arrogante, não sabe absolutamente nada de saúde pública e nem sequer se interessa em aprender para fazer as coisas certas.
      Sendo assim, não há outra conclusão, a não ser de uma política pública de saúde pautada no POPULISMO e na DEMAGOGIA!

  6. Sabemos q tem procurado fazer o melhor pôr VR, preciso de ser acompanhada pelo clínico pôr causa da pressão alta, só q nunca consigo vaga, só tem um clínico no posto,ainda assim mesmo tem os idosos agendado e com isso só sobra 10 vagas ,,,, precisamos de muita melhoria no posto Saúde do bairro Dom Bosco!

  7. O único acerto no secretariado do PREFAKE é essa Dra.
    e com certeza não ficará muito tempo.

  8. Obs.: Muito funcionário e péssimo atendimento.

  9. Só não entendo pra que tanto funcionário no posto da Vila Mury, muito funcionário é péssimo atendimento.

Untitled Document