segunda-feira, 24 de janeiro de 2022 - 19:23 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Serviço de Acolhimento Familiar de Volta Redonda é referência para outros municípios

Serviço de Acolhimento Familiar de Volta Redonda é referência para outros municípios

Matéria publicada em 23 de abril de 2021, 09:32 horas

 


Equipe do Serviço do Acolhimento Familiar (SAF) de Itaguaí veio ao município conhecer o projeto

No Brasil, o serviço é realizado em 380 municípios, sendo que 28 deles estão no Estado do Rio de Janeiro – Foto: Divulgação PMVR.

Volta Redonda- Há nove anos em atividade no município, o Serviço de Acolhimento Familiar (SAF) de Volta Redonda já é referência no Estado do Rio. O bom trabalho desenvolvido pela Secretaria Municipal de Ação Comunitária, chamou a atenção da equipe do Serviço do Acolhimento Familiar (SAF) da cidade de Itaguaí, composta por assistente social, coordenadora, psicóloga, além da gerente do Departamento de Proteção Especial local, que visitaram a cidade esta semana.

No encontro, foi destacado que Volta Redonda foi uma das primeiras cidades do Sul Fluminense a implantar o SAF. No Brasil, o serviço é realizado em 380 municípios, sendo que 28 deles estão no Estado do Rio de Janeiro.

De acordo com a psicóloga Ana Cláudia de Lima Domingues, coordenadora do Serviço de Acolhimento Familiar em Volta Redonda, os resultados obtidos no município já atraíram outras cidades, como Barra do Piraí, Pinheiral e Resende.

Durante os encontros, os visitantes passam a conhecer o trabalho desenvolvido na cidade, observando na prática a metodologia e ações aplicadas. Entre as principais situações apresentadas, está à forma de captação das famílias acolhedoras, divulgação do trabalho, acolhimento no dia a dia, como é feito o trabalho com a família de origem e a reintegração da criança. Além disso, é focada a transição dos casos de crianças que não retornarão para a casa e vão para adoção.

O serviço

De acordo com a coordenadora Ana Cláudia, o equipamento prevê o atendimento de crianças e adolescentes de zero a 18 anos incompletos, que estejam em situação de risco social. Ou seja, crianças que estão diante de situação de vulnerabilidade social, com a vida em risco diante de negligências, maus tratos, abandono ou qualquer outro tipo de violência. A criança que precise temporariamente ser afastada do convívio da família de origem entra no SAF.

Nesses casos, é aplicada uma medida de proteção – expedida pela Vara da Infância – e a criança é inserida em acolhimento familiar numa residência de Família Acolhedora. São pessoas da comunidade, devidamente habilitadas através do SAF. Essas famílias passam por capacitação e são acompanhas sistematicamente no acolhimento.

Segundo a coordenadora do SAF em Volta Redonda, as Famílias Acolhedoras são responsáveis pela guarda da criança e por seu cuidado, oportunizando o acompanhamento na sua individualidade com foco no seu desenvolvimento.

– Durante esse processo percebemos o quando isso beneficia a vida dela, em todos os seus aspectos de desenvolvimento. A criança abrigada melhora a autoestima, a aprendizagem, se torna mais confiante e segura, até para poder retornar para conviver na sua família. Queremos que a criança retorne ao convívio familiar. Para isso fazemos um trabalho intenso, em parceria com a rede de atenção do município, com a família de origem para que seja revertido o quadro que gerou a violência e para que a criança retorne de uma maneira segura para casa – destacou Ana Cláudia.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document