;
sábado, 5 de dezembro de 2020 - 18:24 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Unidades de saúde de Resende intensificam vacinação no combate ao sarampo

Unidades de saúde de Resende intensificam vacinação no combate ao sarampo

Matéria publicada em 7 de outubro de 2019, 16:27 horas

 


Primeira etapa, que segue até o dia 25 de outubro, com faixa etária prioritária de 6 meses a menor de 5 anos de idade
(Foto: Carina Rocha- Secom PMR)

Resende- A primeira etapa de intensificação da vacinação contra o sarampo começou nesta segunda-feira (07), nas unidades de saúde de Resende, para a faixa prioritária de 6 meses a menores de 5 anos de idade. O calendário nacional prevê o processo de imunização da primeira fase até o dia 25 de outubro. Ainda haverá o “Dia D” em 19 de outubro deste ano. Neste período, as crianças já imunizadas na intensificação, que foi iniciada em agosto, não devem ser vacinadas novamente.

A vacina tríplice viral, que também previne contra a caxumba e a rubéola, já está disponível em todos os postos de saúde da cidade. Depois, será realizada a segunda etapa do combate ao sarampo, voltada para o subgrupo da faixa etária de 20 a 29 anos de idade, entre os dias 18 e 30 de novembro. A última data da mobilização, 30 de novembro, também será instituída como o “Dia D”. Segundo dados de boletim epidemiológico publicado pelo Ministério da Saúde no mês passado, foram confirmados 5.346 casos de sarampo no Brasil, sendo a maior parte no Estado de São Paulo. Mesmo assim, o número de estados com transmissão ativa da doença já chega a 17.

Em relação à situação do sarampo no Estado do Rio de Janeiro, entre o período de 1 de janeiro a 20 de setembro de 2019, foram notificados 377 casos suspeitos de sarampo em residentes nos municípios fluminenses. Desta total, 34 casos foram confirmados, 106 descartados e 237 estão sob investigação. Oito cidades tiveram os casos confirmados. Os dados são do relatório divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde do Estado do Rio. De acordo com o secretário municipal de Saúde de Resende, Tande Vieira, até o momento, não há nenhum caso da doença confirmado na cidade. O secretário explicou como será a estratégia de imunização durante a mobilização nacional.

– Os postos de saúde de Resende vão seguir orientações estabelecidas pelo Ministério da Saúde. Os dois subgrupos deste período de luta contra o sarampo terão prioridade. Serão aplicadas as vacinas em pessoas de todas as idades que possuam indicação, com exceção daquelas que já receberam a dosagem necessária. O momento é oportuno ainda para atualizar a caderneta de vacinação. Além do período de intensificação, a triviral é dada durante a rotina de trabalho das unidades, observando alguns critérios. Entre 1 ano e 29 anos de idade, serão duas doses de vacina. Aos 15 meses de idade, além da tríplice viral, a criança recebe a primeira dose da varicela. Para pessoas de 30 anos a 49 anos, será aplicada somente uma dose da vacina. Também há recomendação para que os profissionais da saúde, mediante comprovação de atuação na área, sejam imunizados com dose dupla. Vale destacar que, na intensificação, pessoas acima de 50 anos devem ser imunizadas, caso viajem para municípios com sarampo ativo, respeitando a avaliação médica. O calendário preconizado pelo governo federal também estipula requisitos para ações de bloqueio, quando houver necessidade – informou.

Tande Vieira acrescentou sobre a importância da mobilização para a proteção da família brasileira.

– É importante frisar que tanto a vacina tríplice viral como a tetraviral (que previne contra a catapora) são aplicadas na rede pública o ano todo, dentro ou fora de surtos. Para repor os estoques de imunizantes, o Ministério da Saúde adquiriu mais que o dobro de doses em relação a 2018, subindo de 30,6 para 60,2 milhões. É considerada a maior distribuição de tríplice viral feita pelo Brasil nos últimos 10 anos – alertou.

Todos os casos devem ser analisados, visando verificar quem nunca foi vacinado ou já teve sarampo em determinado momento da vida, além daqueles que não apresentam carteirinha de imunização. A vacina é contraindicada para gestantes e imunodeprimidos. Também há alerta para que as mulheres em idade fértil evitem engravidar por, pelo menos, 30 dias após a dose da vacina.

No ato da vacina, deverá ser apresentado documento de identidade e, se possível, caderneta de vacinação.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document