sexta-feira, 30 de julho de 2021 - 05:35 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Vacinas contra dengue devem chegar a Volta Redonda em julho

Vacinas contra dengue devem chegar a Volta Redonda em julho

Matéria publicada em 14 de junho de 2016, 20:58 horas

 


Desenvolvida por um laboratório francês, doses podem custar aproximadamente R$ 600 e estarão disponíveis em rede particular

Volta Redonda – A primeira vacina contra a dengue no Brasil foi aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no ano passado e a previsão é de que as doses cheguem a Volta Redonda no início do mês que vem. Segundo o proprietário de uma central de vacinas de uma clínica particular na cidade, que fica no bairro Niterói, Artur Fernandes, as doses são quadrivalentes, ou seja, imuniza contra os quatro tipos existentes da doença, inclusive a hemorrágica.

Fernandes explicou que a vacina será aplicada em três doses, em intervalos de seis meses. Cada uma pode custar aproximadamente R$ 600 e está liberada para pessoas de nove a 45 anos.
– É uma vacina quadrivalente e foi liberada apenas para esta faixa. Cada dose pode custar aproximadamente R$ 600 e a previsão é que as vacinas cheguem no início de julho, e deverão ser aplicadas três doses com intervalo de seis meses. Ou seja, para a pessoa ficar totalmente imune pode demorar um ano – comentou, frisando que o preço pode retrair a procura pela vacina.
Fernandes esclareceu que a vacina vem em um frasco multidoses, com cinco doses, sendo que uma vez aberto o frasco, todas as doses deverão ser utilizadas no prazo máximo de seis horas. Ou seja, a central de vacinas só poderá abrir o frasco se haver cinco clientes prontos para serem imunizados.
– Ainda temos essa questão, se aparecer menos de cinco pessoas querendo a vacina não vou poder abrir, pois perderei a última dose – relatou.

A vacina

A vacina Dengvaxia, nome comercial do imunizante, foi desenvolvida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur, a promessa do fabricante é de 93% de proteção contra casos graves da doença, redução de 80% das internações e eficácia global de 66% contra os quatro tipos de dengue.

O desenvolvimento da vacina francesa levou 20 anos e foi concluído em 2014. Segundo a diretora do laboratório, a médica Sheila Homsani, 21 mil pessoas participaram da fase três de testes da vacina na América Latina e 11 mil na Ásia, sendo que dois terços delas receberam a vacina e um terço receberam placebo.

No final do ano passado, o México foi o primeiro país a registrar a vacina contra a dengue da Sanofi. Em seguida o produto teve liberação nas Filipinas, e em fevereiro deste ano começou a campanha de vacinação, com aplicação foi feita inicialmente pelos planos de saúde, mas o país pretende ampliar o atendimento para a rede pública.

O Brasil é o terceiro país a ter o registro do imunizante. O desenvolvimento clínico do produto envolveu mais de 20 estudos, e mais de 40 mil participantes, entre crianças, adolescentes e adultos, em 15 países. A Sanofi também está pesquisando uma vacina contra o vírus Zika e deve começar a recrutar voluntários para testes no ano que vem.

Versão nacional

O Instituto Butantan começou em fevereiro deste ano a fase final de desenvolvimento de uma vacina brasileira contra a dengue, que deverá imunizar em apenas uma dose. O teste clínico do imunizante nacional deve durar um ano e a expectativa do instituto é que a vacina esteja disponível a partir de 2018. Em 2015, foram registrados no Brasil mais de 1,6 milhão de casos de dengue e mais de 800 pessoas morreram em decorrência da doença.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. É isso ai!

    O Brasil, um país da dengue e não fomos capazes de desenvolver uma vacina. A França que não existe a dengue conseguiu.

  2. Mais uma conquista que consigo para nossa região.

Untitled Document