;
terça-feira, 24 de novembro de 2020 - 09:15 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Via Dutra tem o menor índice de vítimas fatais em 20 anos

Via Dutra tem o menor índice de vítimas fatais em 20 anos

Matéria publicada em 11 de janeiro de 2016, 20:46 horas

 


Redução de 73% no número de mortes na rodovia corresponde ao início da administração da CCR NovaDutra

(Foto: Paulo Dimas)

(Foto: Paulo Dimas)

Sul Fluminense – Em 2015, a Rodovia Presidente Dutra atingiu o menor índice de vítimas fatais desde 1996, ano em que a CCR NovaDutra assumiu a sua administração. Neste período, as mortes na Via Dutra foram reduzidas de 520 ocorrências, registradas em 1996, para 140, registradas em 2015, o que significa queda na ordem de 73%.

As estatísticas são ainda mais favoráveis considerando o aumento progressivo do volume de tráfego na rodovia neste período, chegando a uma redução de 79% no índice de mortos.
O número de acidentes também teve uma redução de 14% comparado ao ano de 2014: de 11.535 acidentes em 2014, para 9.950 acidentes em 2015. O mesmo ocorreu com o número de feridos. Em 2014, foram 3.418 feridos em acidentes e, no ano passado, 3.025, uma queda de 11,5%.
Quando assumiu a administração da Via Dutra, em março de 1996, a CCR NovaDutra deparou-se com uma rodovia em estado precário, com pontos de travessia em nível, inexistência de muros de separação de pistas, sinalização deteriorada e pistas esburacadas. Vinte anos se passaram e a Dutra foi transformada em uma rodovia segura, que hoje oferece diversos serviços para motoristas e passageiros que a utilizam a trabalho ou a passeio.
De acordo com o diretor da CCR NovaDutra, João Daniel Marques, a redução no número de vítimas fatais confirma o acerto da política de investimentos da empresa.
– Desde que assumimos a administração da Via Dutra, trabalhamos para a diminuição dos acidentes graves e, por consequência, para a redução do número de mortes na rodovia. Este sempre foi um ponto primordial na atuação da concessionária. O trabalho em parceria com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), obras de segurança aliadas a melhorias permanentes de pavimento e sinalização; ampliação da capacidade de tráfego da rodovia, campanhas de segurança para motoristas e pedestres e a instalação de controladores de velocidade, que complementa o trabalho de fiscalização realizado pela PRF com radares móveis, foram fundamentais para combater a violência dos acidentes – ressaltou.
A concessionária também vem realizando campanhas de conscientização mensalmente, com distribuição de folhetos informativos, instalação de faixas com dicas de segurança e informações importantes nos Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs), instalados em pontos estratégicos da rodovia. Projetos como o “Estrada para a Cidadania”, que leva noções de trânsito e cidadania a crianças de escolas públicas dos 36 municípios que cortam a rodovia, e o “Estrada para a Saúde”, que conscientiza os motoristas de caminhão sobre a importância dos cuidados com a saúde, são algumas das ações que contribuem para a diminuição de mortes na Via Dutra.
Além disso, a CCR FM 107,5 NovaDutra é um importante canal, que leva informação em tempo real sobre as condições de tráfego da rodovia, dicas diárias de direção segura e informações que contribuem para a conscientização dos motoristas da Via Dutra.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

9 comentários

  1. Avatar

    Notícia boa, com redução de acidentes e mortes os hospitais tem menos pacientes devido acidentes, mais ainda temos muito que caminhar para a melhoria dos números o principal é mudar a mentalidade dos motoristas temos que praticar direção defensiva sempre.

  2. Avatar

    As estradas estiveram lotadas, como em todos os outros anos. Agora, quem deixa de viajar por causa de preço de pedágio ou de gasolina, sinceramente, nem carro deveria ter.

    • Avatar

      Geralmente quem deixa de viajar pelo preço da gasolina são os mesmos que tem suas contas em dia bem como não devem cartão de crédito e cheque especial, logo não vivem de aparência.

    • Avatar

      Não podemos aceitar tudo. Preço elevado de pedágio, gasolina e inflação acima de 10%.
      É fácil deixar de viajar mesmo, ainda mais sendo família. Levando em conta estadia, alimentação, pedágio, combustível. O cidadão gasta mais de um salário mínimo fácil.
      A média da nossa região é 2 salário s mínimos, cerca de 1600 reais. O q é melhor, pagar contas ou fazer aparências?

    • Avatar

      Pois é, verdade. Em VR, por exemplo, uma cidade de peão, sujeito se espreme num puxadinho, rifa a mãe, só pra poder pagar seu Paliozinho em 856 vezes e dar aquele rolê dominical com IPVA atrasado…

  3. Avatar

    Motivo: o povo ferrado e sem emprego , gasolina a US 1 dólar o litro ,pedágio R$12.70 ou seja US.3.13 cents . Vendemos gasolina a preço de banana para o mercado externo e para nós eles (desgoverno) lascam impostos .Brasil terra de oportunidades(para os larápios)

  4. Avatar

    Olha a justificativa a para o pedágio alto. Fala sério.

    Agora vamos ao que interessa.
    Para se fazer uma pesquisa e definição desta magnitude, deveríamos utilizar como referência outras rodovias federais não administradas pela CCR. Foi o primeiro erro ao meu ver.
    Vamos considerar que a Dutra sempre foi uma rodovia expressa, então a qualidade do asfalto nunca foi tão ruim desde que me conheço por gente.
    Agora pra justificar a redução dos acidentes. Devemos considerar a evolução dos veículos, legislação de trânsito, idade da frota predominante na via.
    Veículos de hoje são modernos, estáveis e mais seguros. Na época o carro do ano era o Gol bola seco, desconfortável e ainda tínhamos carros com apenas 1 retrovisor externo;
    Em 1996 não vigoravam lei seca, multas pesadas e a vistoria obrigatória para veículos do RJ;
    Hoje quem transita pela rodovia identifica a frota de veículos mais nova, tanto para carros, como para caminhões.
    A CCR melhorou poucas coisas e muitas na marra.
    Curva sentido São Paulo no final da descidona após edimetal. Quando chove atravessa rio que desce do morro. Acontece a mesma coisa na curva da Pedreira Pombal.
    Retão de Resende cheio de buracos e imperfeições nos dois sentidos, faixas da direita. Me lembrei que a CCR deu fim nas 500 árvores que formavam túnel na reta de 12 km. Nos deu uma vista da Serra da Mantiqueira.
    Sinceramente acredito que poderíamos diminuir mais os acidentes.

  5. Avatar

    Com essa crise tá todo mundo ficando em casa, quase ngm viajando, por isso a queda! Informa aí a quantidade de veiculos q vcs vão ver que estou falando certo!

  6. Avatar

    A mais de 20 anos que a crise não era tão feia também! Com essa gasolina ta difícil pegar estrada!

Untitled Document