quinta-feira, 21 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Volta Redonda diminui tempo na fila de espera para vasectomia e laqueadura

Volta Redonda diminui tempo na fila de espera para vasectomia e laqueadura

Matéria publicada em 23 de agosto de 2019, 15:40 horas

 


Volta Redonda- Segundo a secretaria de Saúde, a procura pela Laqueadura e Vasectomia tem aumentado nos últimos anos, em Volta Redonda, por isso foi necessário ampliar também a oferta dos serviços, enfatizou o secretário da pasta, Alfredo Peixoto. De 2012 a 2016 a fila de espera era de mais de cem mulheres e o tempo para realizar a cirurgia demorava um ano. Desde 2017, esse prazo foi reduzido para cinco meses e fila não passava de 40 mulheres. Isso graças ao investimento com a contratação de profissionais, que possibilitou aumentar da oferta e consultas, cirurgias e exames pré-operatórios em tempo oportuno.

– Em Volta Redonda o Planejamento Reprodutivo, um direito assegurado na Constituição Federal, é tratado de forma séria. Nos últimos anos temos divulgado e ampliado, cada vez mais, o acesso dos usuários as reuniões de planejamento reprodutivo, dando condições para que eles possam tomar uma decisão mais acertada sobre os métodos contraceptivos reversíveis e os métodos irreversíveis como a Vasectomia e Laqueadura – destacou o secretário.

Em 2018 foram realizadas 43 cirurgias de laqueadura eletiva, sendo ofertadas duas cirurgias por semana. Em 2019 o número de cirurgias realizadas por semana dobrou, passando para quatro. Até o final do mês de julho desde ano apenas 13 mulheres estão aguardando para realizar a cirurgia de Laqueadura Eletiva que hoje é realizada em 90 dias.

– Desde que assumi, meu objetivo era de retomar os cuidados com o planejamento reprodutivo, com a possibilidade da laqueadura e da vasectomia, procedimentos que contavam com pacientes que esperavam mais de um ano na fila, desde 2012. Aumentamos nossa equipe para receber os pacientes e reduzir o tempo de espera. Hoje à cirurgia é realizada, no máximo, em três meses – frisou o prefeito Samuca Silva.

A Laqueadura na hora do Parto também foi ampliada. Em 2017, eram ofertadas 04 vagas de consultas e realizadas 04 cirurgias por semana, sendo que o tempo de espera dessa cirurgia demorava em média 08 meses. Nesse mesmo ano foram encaminhadas 113 gestantes para cirurgia de Laqueadura de Trompas. Já em 2018 esse número subiu para 148 gestantes.

Com a contratação de mais dois médicos a cirurgia passou a ser realizada também no hospital do idoso – além do Hospital Munir Raffur -, o que diminuiu a demanda reprimida e o tempo e espera. Em 2019, até o mês de julho, já foram encaminhadas 113 gestantes. A recomendação para esse tipo de cirurgia é para gestantes com cesarianas sucessivas anteriores ou com risco a saúde da mulher ou do bebê, para uma próxima gestação.

Já a Vasectomia, em 2018 era realizada apenas por um urologista que atuava no Hospital Munir Raffur e eram ofertadas quatro vagas de consulta e quatro cirurgias por semana, sendo que o tempo de espera dessa cirurgia demorava em média 06 meses. Hoje temos 02 médicos e são oferecidas 09 consultas e, em média, 08 cirurgias por semana, com um tempo de espera de três meses.

Com três filhos, Débora Cristina de Oliveira, de 45 anos, moradora do bairro Jardim Cidade do Aço, conta que se realizou como mãe e, agora, optou pela laqueadura. 

– Tenho três filhos maravilhosos e não queria mais tomar anticoncepcional e nem ter outra gravidez. Há três dias fui operada e estou muito bem. Me senti acolhida e segura. Tive apoio de todos os profissionais que me atenderam, desde a equipe da unidade de saúde do meu bairro, da Policlínica da Mulher e também do Hospital Munir Rafful, onde passei pelo procedimento cirúrgico – contou Débora.

Antes da cirurgia ela passou por reuniões de planejamento reprodutivo que acontecem nas unidades de saúde de todos os bairros do município. Durante os encontros, os participantes conheceram um pouco mais sobre métodos contraceptivos e receberam orientações sobre os procedimentos cirúrgicos, que serão realizados por uma equipe especializada no Hospital Municipal Munir Rafful.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document