domingo, 20 de setembro de 2020 - 17:54 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Voluntários se mobilizam para ajudar instituições de Barra Mansa

Voluntários se mobilizam para ajudar instituições de Barra Mansa

Matéria publicada em 9 de abril de 2016, 18:30 horas

 


‘Pra correr’: Iniciativas visam ajudar asilos e entidades como a Apae, que passa por dificuldades financeiras (Foto: Divulgação)

‘Pra correr’: Iniciativas visam ajudar asilos e entidades como a Apae, que passa por dificuldades financeiras (Foto: Divulgação)

Barra Mansa – Buscar ajudar ao próximo sem ter nada troca, a não ser o prazer de fazer o bem com a consciência de que, dessa forma, também estão praticando um ato de cidadania e solidariedade. Esse tem sido o lema de voluntários, pessoas de diversos segmentos da sociedade, que têm se empenhado em criar ações para ajudar instituições filantrópicas do município como, por exemplo, os asilos e a Apae (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais), que há algum tempo vem enfrentando dificuldades financeiras.

A professora e empresária Bianca Santiago, de 38 anos, faz parte desse time. Ela é a idealizadora do “Bazar da Bi & Amigas” que nos dias 16 e 17 deste mês, das 9h às 17h, será promovido no salão da Apae.

– Já acompanho o trabalho da Apae há muito tempo, e sei da importância dessa instituição na vida das pessoas porque tenho uma prima que é assistida por eles. Tenho visto as dificuldades que eles vêm enfrentando, através de reportagens na mídia,  e não pensei duas vezes para tomar a iniciativa de ajudá-los – disse Bianca.

Com o apoio de amigos e familiares, a professora está arrecadando artigos como roupas, sapatos e acessórios que serão comercializados durante o bazar. Os interessados podem fazer as doações no Café da Bi, que fica localizado na Rua Arthur Oscar, nº 342, na Vila Nova. Ou entrar em contato com ela através do telefone (24) 99941-1630.

– Quem for nos prestigiar, além de peças em ótimo estado que poderão ser adquiridas, também estará ajudando uma instituição muito séria, que hoje atende mais de 200 alunos com idades entre quatro meses indo até mais de 50 anos, todos portadores de alguma necessidade especial. Hoje em dia as pessoas estão mais solidárias e o que percebemos é que a ajuda, principalmente, parte de quem já enfrentou alguma dificuldade. Muitas pessoas aderiram a nossa iniciativa e nossa expectativa é que o bazar seja um sucesso e, realmente, possa fazer a diferença para a Apae – ressaltou.

Solidariedade através da música

Idealizada em dois grupos de WhatsApp, a roda de samba em prol do asilo Vila Vicentina, localizado no bairro Ano Bom, é mais uma iniciativa voluntária, criada por um grupo de amigos compositores. De acordo com o comerciante Rogério dos Santos, de 38 anos, ao acompanharem nas redes sociais que os idosos estariam precisando da doação de fraldas geriátricas, ele e os amigos pensaram em criar uma ação para ajudar. O evento, uma roda de samba com integrantes de diferentes grupos, será realizada neste domingo, dia 10, na praça do Loteamento Novo Horizonte, na Colônia Santo Antônio.

– Nossa expectativa é arrecadar o máximo de fraldas para ajudar esses idosos. Fizemos uma divulgação muito grande nas redes sociais e muitos amigos já tinham confirmado presença. Foi uma forma que encontramos de praticar a solidariedade e, ao mesmo tempo, levar entretenimento para quem se dispôs a nos ajudar. Só temos que agradecer a todos que apoiaram a nossa iniciativa, que tem o objetivo de conscientizar as pessoas a fazerem o bem e ajudar ao próximo, sem fins lucrativos – afirmou Santos, que é o compositor de um dos grupos participantes.

Corrida pela solidariedade

Idealizador do grupo de corrida “Pra Correr”, que se reúne semanalmente em Barra Mansa, o Policial Militar Marcelo Oliveira, de 37 anos, estudante de Educação Física, tem colocado o voluntariado à frente do grupo desde que o criou. Diversas foram as campanhas realizadas pelos corredores, que já doaram roupas de inverno para o SOS (Serviço de Obras Sociais), já arrecadaram tênis para um projeto social voltado a adolescentes, além de fraldas para os asilos do município. A última ação, no mês passado, também ajudou o asilo Vila Vicentina.

– Nessa fase que o país está passando, se nós, pessoas de bem, não ajudarmos, essas instituições vão fechar e muitas pessoas que precisam vão ficar desamparadas. Praticar a solidariedade já é um princípio do nosso grupo e, a cada campanha que fazemos, somos surpreendidos com a participação e ajuda dos nossos atletas. Temos como lema o seguinte: se cada um fazer um pouquinho, viveremos em um mundo melhor. Se podemos ajudar hoje, quem sabe amanhã não precisaremos de ajuda? – enfatiza o policial.

Por Roze Martins
(Especial para o DIÁRIO DO VALE)


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document