segunda-feira, 15 de julho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Ciência – Por Jorge Calife / Aquecimento global ameaça a “Ilha do Amor”

Aquecimento global ameaça a “Ilha do Amor”

Matéria publicada em 28 de fevereiro de 2019, 07:00 horas

 


2018 foi um dos anos mais quentes da História segundo a NASA

Ilha do Amor: Moorea tem a forma de um coração

Se o leitor acha que esta fazendo muito calor, pode ter certeza de que não é impressão. Segundo a agência espacial americana NASA e a agência da atmosfera e do oceano NOAA, 2018 foi um dos anos mais quentes da história. Somente 2015, 2016 e 2017 tiveram temperaturas mais altas, isso comparando com registros históricos que vão de 1880 a 2014. Os dados das duas agências são obtidos a partir de estações meteorológicas espalhadas por todo o planeta. Já os satélites meteorológicos e de observação apenas ajudam a observar as consequências desse calor: Grandes tempestades, degelo das calotas polares e aumento do nível dos oceanos.
Quanto mais quente fica, mais gelo derrete e o nível do mar sobe. Ameaçando regiões muito baixas como a famosa “Ilha do Amor”. Trata-se de uma ilha de coral, em forma de coração, que fica na Polinésia Francesa. Seu nome oficial é Moorea e ela foi fotografada recentemente, em vários comprimentos de onda pelo satélite europeu Copernicus Sentinel 2 da Esa, a Agência Espacial Europeia. As imagens revelaram uma deterioração do ecossistema da ilha em forma de coração. Os recifes de coral, que a protegem do impacto das ondas do oceano Pacífico estão morrendo. E isso não acontece só em Moorea, é um fenômeno mundial. Os ecologistas acham que ele é provocado pela acidificação dos oceanos, que também é um resultado do aquecimento do planeta. A Ilha do Amor nasceu de uma erupção vulcânica no fundo do oceano e pode não durar muito tempo.
Na foto do Sentinel 2, a vegetação da ilha aparece vermelha porque a foto foi feita com sensores infravermelhos. A borda verde em torno da ilha são as águas rasas que cobrem os recifes de coral. Moorea tem sido habitada pelos polinésios durante mais de mil anos e é muita procurada pelos turistas.
Outro sinal do aquecimento do planeta é o degelo das calotas polares. Que é mais intenso no ártico, que é um oceano congelado, do que na Antártida, que é um continente. Fotos feitas por satélites revelaram que a enorme geleira Petermann, na Groenlândia, esta cheia de rachaduras e pode se fragmentar novamente. Em 2012 uma rachadura nesta mesma geleira produziu um dos maiores icebergs já registrados. Um bloco de gelo flutuante que era do tamanho da ilha de Manhattan quando se soltou. A Petermann é uma das maiores geleiras da Groenlândia, que já foi uma ilha totalmente congelada e vem sofrendo um degelo cada vez maior.
Enquanto esculhambam com o meio ambiente da Terra, os seres humanos tentam encontrar vida em outros mundos. Na semana passada o diretor da NASA, Jim Bridenstine ,anunciou que a agência espacial espera encontrar o primeiro exemplar de vida extraterrestre “em breve”. As observações feitas pelos robôs da agência espacial sugerem que este extraterrestre é um habitante de Marte, oculto em algum lugar do planeta vermelho. Bridenstine explicou as descobertas que levaram os cientistas da agência a acreditarem na existência de vida marciana.
Dados dos robôs Spirit, Oportunity e Curiosity mostram que a superfície marciana está cheia de moléculas orgânicas complexas, e o gás metano, que costuma ser produzido por seres vivos costuma brotar do solo, variando com as estações do ano. O que pode ser um sinal da existência de bactérias no subsolo marciano. Além disso, a sonda europeia Mars Express descobriu indícios de um enorme lago, de água líquida, escondido embaixo da calota polar sul.
Atualmente só o robô Curiosity ainda funciona, o Spirit deixou de funcionar em 2011 e o Oportunity foi danificado por uma enorme tempestade de areia e foi considerado perdido na semana passada. Mas a NASA pretende enviar outro robô para Marte, em 2020 para continuar essa busca por sinais de vida. Ele vai pousar na cratera Jezero, que já foi um lago marciano.
Curiosamente, no romance de ficção científica “A guerra dos mundos” os marcianos resolviam invadir a Terra devido ao colapso do meio ambiente marciano. Na vida real são os terráqueos que estão arruinando com a Terra e pensando em se mudar para Marte.

Por: Jorge Luiz Calife


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    A farsa do Aquecimento Global e Mudanças Climáticas
    Assistam os vídeos e saibam a verdade!
    Não existe aquecimento Global!!!

    https://www.youtube.com/watch?v=hXFsLCbonXw
    https://www.youtube.com/watch?v=Z8eqJquw5Wo

Untitled Document