quarta-feira, 26 de junho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / 2019: O ano da exploração dos asteroides

2019: O ano da exploração dos asteroides

Matéria publicada em 12 de abril de 2019, 08:39 horas

 


Japoneses abrem cratera na superfície do Ryugu

Bennu: Superfície é coberta de pedras soltas.

O escritor Larry Niven costuma dizer que os dinossauros foram extintos porque não tinham um programa espacial. Eles viviam tranquilos na Terra, que tinha o clima e as condições perfeitas para a vida deles. Até que um dia um cometa despencou na região de Chicxulub e acabou com o mundo dos dinos. A humanidade corre o mesmo risco, a diferença é que nós temos um programa espacial. E já começamos a contra-atacar, bombardeando os asteroides que por milhões de anos tem despencado sobre o nosso planeta.

Atualmente há duas sondas espaciais orbitando pequenos asteroides. A Hayabusa 2, do Japão, e a Osiris Rex, dos Estados Unidos. Na semana passada, dia 4 de abril, a Hayabusa 2 lançou um projétil de cobre sobre o asteroide Ryugu, uma rocha em forma de diamante com 900 metros de largura. O projétil acelerou até uma velocidade de sete mil quilômetros por hora antes de colidir com a superfície. Para se proteger dos destroços a sonda japonesa se escondeu do outro lado do asteroide e lançou uma câmara robô para filmar o impacto. A experiência foi um sucesso e o impacto lançou um jato de poeira e partículas no espaço.

Essas experiências ajudam a entender a composição desses corpos celestes. Para criar uma tecnologia capaz de desviar um asteroide, ou núcleo de cometa, que ameace o nosso planeta no futuro. A Hayabusa 2 já pousou três robôs na superfície do Ryugu e colheu um pedaço do asteroide para traze-lo de volta para a Terra no ano que vem.

Enquanto a Hayabusa 2 abria uma cratera no Ryugu, a sonda americana Osiris-Rex continua orbitando o asteroide Bennu, que é um pouco menor do que o Ryugu, ele tem 492 metros de largura. Ao contrário do Ryugu, Bennu não precisa da ajuda do homem para lançar matéria no espaço. As câmeras da Osiris-Rex detectaram pedras do asteroide sendo lançadas no espaço. Atualmente a NASA está mapeando a superfície do Bennu para que a sonda possa descer e recolher uma rocha da superfície com sua garra mecânica.

O estudo de Bennu é importante porque existe uma chance dele colidir com a Terra entre os anos de 2175 e 2199, o que seria catastrófico. O meteorito que explodiu sobre a cidade de Chelyabinski, na Rússia, no dia 15 de fevereiro de 2013, tinha apenas 20 metros de largura e produziu uma explosão 33 vezes mais poderosa do que a bomba nuclear que destruiu Hiroshima. Agora imagine o estrago que seria produzido pelo impacto de uma rocha de meio quilômetro de largura. Bennu poderia devastar um continente inteiro e até alterar o clima do planeta durante séculos.

Felizmente temos mais de um século para nos prepararmos para alterar a orbita de Bennu, caso seja necessário. O primeiro passo é colher amostras do asteroide para estudar sua composição, algo que será feito em 2020 pela Osiris Rex. O formato de diamante do asteroide e sua baixa gravidade tem dificultado a navegação da sonda ao seu redor. Por isso a equipe de controle no centro espacial Goddard tem sido muito cautelosa, ajustando a orbita da sonda gradualmente a medida que ela gira em torno deste rochedo celeste.

Os primeiros asteroides foram descobertos no século dezenove e estimularam a imaginação dos escritores que sonharam com viagens até a superfície desses minimundos. Mas até a década de 1990 eles não passavam de pontinhos de luz no céu. Em 1993 a humanidade pode contemplar as primeiras fotos de um asteroide tiradas pela sonda espacial Galileu, que viajava para Júpiter.

O primeiro pouso de uma sonda em um asteroide aconteceu em 2001, quando a sonda Near-Shoemaker pousou suavemente na superfície do asteroide Eros. Nos últimos anos houve varias missões semelhantes com nave robôs se encontrando no espaço com núcleos de cometas e asteroides. Tudo para garantir que a humanidade não terá o mesmo fim dos dinossauros.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar

    Nunca tinha visto uma matéria tão inútil!

  2. Avatar
    MARCOS ELENILDO FERREIRA

    Porque nao vao se preocupar em curar a humanidade , trazer paz e condições financeiras justas e dignas a todos ???? Bando de egoístas e manipuladores da Matrix !!

Untitled Document