quarta-feira, 19 de junho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / A hora do almoço

A hora do almoço

Matéria publicada em 17 de janeiro de 2017, 07:05 horas

 


Quando se sentir mal por volta do meio dia fica proibido…

wp-coluna-espaco-aberto-jorge-calife

Semana passada eu saí do restaurante que fica na Praça Teixeira Campos, em Pinheiral, e resolvi dar uma atenção para a minha saúde. Não sou hipertenso, mas depois que virei idoso gosto de verificar a pressão pelo menos uma vez por semana. Caminhei até o Posto de Saúde que fica em uma rua vizinha, ao lado da praça. Deviam faltar uns dois minutos para o meio dia, o posto estava vazio. Mas a atendente disse que não podia aferir a minha pressão “porque era hora do almoço”. Eu teria que esperar a enfermeira voltar do almoço. Fui embora e deixei para aferir a pressão outro dia.

Afinal, “a hora do almoço” é o único período do dia em que as pessoas que trabalham (a maior parte da população) tem para ir a banco, pagar contas e, entre outras coisas, dar uma verificada na pressão. Lugares como bancos e postos de saúde deviam funcionar nesse horário. Afinal, ninguém tem hora marcada para se sentir mal ou precisar de um atendimento. Mas ficou anotada a descoberta. Em Pinheiral você não pode passar mal na hora do almoço.

Depois reclamam que o brasileiro tem mania de se automedicar. Acontece que o acesso aos profissionais da Medicina é tão difícil aqui no Brasil, que as pessoas se viram sozinhas. Acabam aferindo a pressão na casa de um vizinho que comprou um aparelho ou tomando um remédio que o farmacêutico indicou. A vida moderna é frenética e não dá para ficar sentado esperando a enfermeira voltar do almoço. E se ela só volta às 14h?

Já comentei aqui, neste espaço, que em Pinheiral as coisas vivem piorando. Teve uma época, não faz tanto tempo assim, que tinha um enfermeiro de plantão, na entrada do PS, aferindo a pressão das pessoas o dia inteiro. Era só andar até lá, e verificar na hora. Mas, como outros serviços em Pinheiral, esse aí acabou no início do ano passado. Agora tem que esperar a enfermeira voltar do almoço.

Sei que há leitores que preferiam que o cronista só falasse de coisas boas. Do céu estrelado ou da beleza dos dias de verão. Mas uma das funções da imprensa é sugerir mudanças, e chamar a atenção da sociedade sobre o que está errado. Afinal, como diz o velho ditado, “quem cala consente”. Lembram daquela crônica sobre a falta de luz, que saiu na semana passada? Depois que o pessoal fez um abaixo assinado e levou na companhia de eletricidade a situação melhorou 90%. Há uma semana que não temos mais aqueles cortes de energia que duravam horas. Agora se a luz apaga volta em poucos minutos.

Quase todo dia viajo nos ônibus lotados que fazem a ligação de Pinheiral com Volta Redonda. O calor é sufocante e as mulheres reclamam o tempo todo. Algumas dizem que a solução é Jesus. Quando ele voltar o problema do ônibus quente e superlotado será resolvido. E exclamam “Só Jesus!”. Compreendo a religiosidade do povo, mas esperar que a solução dos problemas do dia a dia seja resolvida por um milagre dos céus é uma garantia de que o problema jamais será resolvido.

Nossos políticos e empresários adoram esse tipo de conformismo. Enquanto o povo fica esperando a volta do Salvador ninguém contesta o poder estabelecido aqui na Terra. A incompetência, os preços absurdos, a má qualidade dos serviços. O negócio é ficar em casa e esperar que a solução desça do céu em meio a anjos e trombetas. O que pode não acontecer nunca ou levar mais uns dois ou três mil anos.

Felizmente, no meu bairro, ninguém esperou um milagre bíblico para resolver o problema da falta de energia. As pessoas se organizaram, colheram assinaturas, foram na sede da empresa. Reclamaram publicamente e houve um retorno. O caso do transporte público é parecido. A solução é formar um grupo, reclamar com os órgãos competentes e exigir uma solução dos políticos. Que foram eleitos para isso mesmo.

 

Saúde: As vezes não dá para ficar esperando

Saúde: As vezes não dá para ficar esperando

 

 

JORGE LUIZ CALIFE | jorge.calife@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    Vcs não tem nada.pra fazer. Fica andando na rua o dia todo e quer aparecer nas repartições públicas na hora do almoço e ser atendido imediatamente? Faça-me o favor, vai arrumar o que fazer sem atrapalhar os outros.

  2. Avatar

    Tá ótimo no Belvedere no postinho aferir pressão só com hora marcada…

  3. Avatar

    MORA Á 50 ANOS EM PINHEIRAL E SÓ AGORA PERCEBEU ISSO, VIVE NO MUNDO DA LUA MESMO.

  4. Avatar
    pagador de impostos

    Perfeito. Parabéns!

Untitled Document