quinta-feira, 2 de dezembro de 2021 - 15:28 h

TEMPO REAL

 

Capa / Ciência – Por Jorge Calife / A visita do asteroide e a misteriosa luz zodiacal

A visita do asteroide e a misteriosa luz zodiacal

Matéria publicada em 17 de março de 2021, 15:25 horas

 


Rocha com 600 metros vai passar pela Terra no próximo domingo

Bonita: A luz zodiacal no monte Mauna Kea, no Havaí

No próximo domingo, dia 21 de março, nosso planetinha, a Terra, vai receber a visita de mais um asteroide errante. A rocha, que tem entre 440 a 680 metros de comprimento, esta se aproximando com uma velocidade recorde de 124 mil quilômetros por hora. Mas como diria o Mochileiro das Galáxias, “não entre em pânico”. Em sua maior aproximação o 2001 FO32 vai chegar, no máximo, a 2 milhões de quilômetros de nós. O que é mais de cinco vezes a distancia que nos separa da Lua. Para os astrônomos é uma grande oportunidade para estudar esse corpo celeste, que nos visita periodicamente. Ele só vai voltar a nossa vizinhança no ano de 2052.

A alta velocidade do 2001 FO32 se deve a sua órbita altamente elítica, e muito inclinada em relação ao Sol. Cada vez que se aproxima do centro do sistema solar ele ganha velocidade antes de ser lançado de volta para o espaço profundo. Segundo o Jet Propulsion Laboratory da Nasa o 2001 FO32 completa uma órbita completa uma vez a cada 810 dias. A sua aproximação no domingo vai permitir que os astrônomos observem o tamanho e o brilho do asteroide e possam deduzir melhor a sua composição.

Esse tipo de acontecimento tem se tornado comum, nos últimos meses. No dia 5 de março passado observamos a passagem do famoso asteroide Apófis, que chegou a 150 milhões de quilômetros do nosso planeta. Apófis é menor do que o 2001 FO32, ele só tem 300 metros de largura. Mas é muito mais perigoso. Em 2029 ele vai chegar tão perto da Terra que vai invadir a órbita dos satélites de comunicação, a 36 mil quilômetros de altura. A passagem do Apófis foi usada como treinamento para o sistema de defesa planetária da Nasa. Que agiu como se ele fosse realmente colidir com a Terra e ensaiou seus sistemas de alerta. Na mitologia Apófis é o deus egípcio do caos.

Quando Apófis foi descoberto, em 2004, acreditou-se que ele iria colidir com a Terra em 2029. Mas novos cálculos afastaram totalmente essa hipótese. Atualmente não existe nenhum meio de defesa contra essas rochas celestes. Mas em 2022 a Nasa vai testar o míssil Dart, que deve colidir com a lua do asteroide Didymos para tentar mudar a sua órbita. Se tudo der certo teremos a primeira tecnologia para desviar asteroides perigosos.

O mês de março é também uma boa época para observar a misteriosa luz zodiacal. Trata-se de um cone de luz pálida que aparece um pouco antes do nascer do Sol, ou logo depois do poente. Nesta época do ano, aqui no hemisfério sul, é preciso acordar cedo para ver a luz zodiacal, um pouco antes da alvorada. Mas não perca suas horas de sono se morar em uma grande cidade. A luz zodical é tão pálida que só pode ser vista bem longe das luzes intensas da iluminação pública.

Os astrônomos sempre souberem que esse cone de luz etérea é provocado pela poeira de meteoritos que circunda o Sol. Mas uma nova descoberta abalou esse conceito recentemente. Durante a viagem da sonda espacial Juno para Júpiter, em 2011, a equipe da Nasa usou os instrumentos da nave para medir as concentrações de partículas ao longo da rota. E descobriu que a poeira cósmica forma uma faixa circular em torno do Sol, estendendo-se da Terra até a órbita do planeta Marte. E levantaram uma nova hipótese segundo a qual essa poeira, que causa a luz zodiacal, é produzida pelas tempestades de areia que assolam o planeta Marte. Se a hipótese for comprovada, a luz misteriosa, que brilha em nosso céu, é poeira vinda de Marte.

 

Jorge Luiz Calife

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Tô esperando com ansiedade a grande visita do Zé gotinha.

    Zé gotinha cadê você?

    Zé gotinha nos ajude!!!!!

  2. Muito bom! A educação é o caminho para o progresso.

Untitled Document