Acidente coloca em risco o futuro do turismo no espaço

by Diário do Vale

O milionário negócio do turismo espacial sofre um baque com o acidente sofrido pelo foguete New Shepard no último dia 12 de setembro. O foguete explodiu 1 minuto e 5 segundos depois de ser lançado de sua plataforma no deserto do Texas. A cápsula, que costuma levar até cinco passageiros, se separou do foguete em chamas e desceu suavemente, sustentada pelos três para-quedas. Felizmente não havia ninguém a bordo. O New Shepard levava apenas uma carga de 36 experimentos científicos enviados por várias empresas comerciais. Por enquanto os voos com passageiros da empresa Blue Origin estão suspensos até ser concluída uma investigação sobre as causas do acidente.

O Congresso dos Estados Unidos exigiu transparência nos trabalhos. Desde o ano passado os foguetes New Shepard já fizeram seis voos bem sucedidos com passageiros pagantes. Entre eles o ator William Shatner, o capitão Kirk de Jornada nas Estrelas, que se tornou o homem mais velho a ir ao espaço, aos 90 anos de idade. O acidente do dia 12 trouxe a tona os perigos de um voo espacial, mesmo de um voo suborbital como os da Blue Origin, onde a nave só fica alguns minutos fora da atmosfera da Terra.

Se houvesse passageiros dentro da cápsula, no dia do acidente, eles teriam sido submetidos a uma força de aceleração de mais de dez gravidades, quando os retrofoguetes de emergência separaram a cápsula do foguete em chamas. Isso poderia ser fatal para um passageiro idoso como Shatner. Atualmente existem três empresas disputando o negócio das viagens comerciais ao espaço. A mais bem sucedida é a Space X, do bilionário Elon Musk, que já enviou uma cápsula com passageiros para orbitar a Terra durante vários dias. A Space X nunca sofreu um acidente durante seus voos tripulados. A outra empresa é a Virgin Galactic, do empresário Richard Branson.

A Virgin Galactic usa um avião aeroespacial para fazer voos suborbitais, semelhantes aos da Blue Origin. Mas a primeira aeronave da empresa, a VSS Enterprise, se desintegrou no ar em 2014 matando seu co-piloto. A outra nave da empresa, a VSS Unity, fez um voo bem sucedido em julho de 2021, levando o próprio Richard Branson e um grupo de convidados até uma altitude de 82 quilômetros. Mas ao retornar ao espaçoporto a nave sofreu um desvio de trajetória e até hoje a empresa não tentou repetir a façanha.

Apesar desses incidentes de percurso a comercialização do espaço sideral já é um fato consumado. Empresas como a Axiom Space pretendem construir hotéis e laboratórios em órbita terrestre para alojar pesquisadores e turistas. A Axiom já enviou um de seus técnicos astronautas para passar uma temporada na Estação Espacial Internacional ISS e vai testar o primeiro módulo de seu futuro laboratório orbital deixando-o acoplado a ISS durante alguns meses.

Pesquisas médicas e industriais se beneficiam do ambiente de gravidade zero existente a bordo de naves e estações espaciais. Uma pesquisa bem sucedida para um novo remédio usado no combate ao câncer foi feita a bordo da ISS. A Nasa pretendia manter a estação espacial em órbita até o ano de 2030. Mas devido à guerra com a Ucrânia a Rússia, que é parceira na ISS, anunciou que vai desativar a estação em 2024. Daí o interesse das empresas comerciais de montarem seus próprios laboratórios no espaço.

 

Desastre: O foguete se incendiou em voo

You may also like

1 comment

Emir Cicutiano 21 de setembro de 2022, 06:59h - 06:59

Essas viagens só terão um nível aceitável de segurança quando não se utilizar mais combustível fóssil como modo de propulsão das espaçonaves…

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996