sexta-feira, 18 de setembro de 2020 - 16:44 h

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Amamentação: Ato de amor

Amamentação: Ato de amor

Matéria publicada em 27 de julho de 2017, 07:00 horas

 


Veja alguns mitos e verdades sobre as cirurgias na mama e o aleitamento materno

wp-coluna-papo-de-mulher-paula-duarte

Em 1º de agosto é comemorado o Dia Mundial da Amamentação, data criada em 1992 pela Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação (World Allice for Breastfeeding Action – WABA) com a finalidade de promover o aleitamento materno e a criação de bancos de leite, garantindo, assim, melhor qualidade de vida para crianças em todo o mundo. A data é comemorada dentro da Semana Mundial de Aleitamento Materno, que ocorre em 120 países anualmente entre os dias 1º e 7 de agosto. Segundo a (OMS) Organização Mundial de Saúde, a amamentação é a principal forma de fornecer ao bebê os nutrientes necessários para sua sobrevivência e seu desenvolvimento.

Mas quando o assunto é amamentação muitas mulheres que ainda não são mães e têm vontade de realizar uma cirurgia na mama – seja mamoplastia redutora ou o tão falado implante de silicone -, criam um receio à cirurgia. Tudo por medo de o procedimento afetar no futuro a amamentação. Para esclarecer essas e outras dúvidas, a cirurgiã plástica Mirella Oliveira explica algumas questões relacionadas ao tema.

Segundo ela, entre os vários mitos sobre o assunto a grande preocupação ainda é sobre a prótese de silicone atrapalhar a amamentação.

– O implante de silicone é feito de um gel coeso, que não vaza nem escorre, revestido por outra cápsula de silicone. Durante o procedimento cirúrgico não há nenhum tipo de lesão direta aos ductos lactíferos, que são as estruturas responsáveis por transportar o leite para fora da mama. O silicone é colocado atrás da glândula mamária, a fim de evitar essa situação. O que pode acontecer é a colocação de uma prótese grande o suficiente para comprimir os ductos, diminuindo o seu calibre e, por consequência, a quantidade de leite que sai – esclarece.

De acordo com Mirella Oliveira outra dúvida frequente entre as pacientes é com relação à cirurgia de redução, se pode ou não atrapalhar a amamentação. “Existem várias técnicas cirúrgicas de mamoplastia. Aproximadamente 50% das pacientes que se submetem a mamoplastia redutora poderão apresentar dificuldade para amamentar, pois a diminuição glandular pode levar à diminuição do volume lácteo. Outros 50% das pacientes amamentarão sem dificuldade alguma”, garante.

A amamentação é um ato de amor da mãe com o filho, então, é normal que se tenha esse medo.

É importante ressaltar que cada caso é um caso e a mulher que tem vontade de realizar qualquer tipo de cirurgia na mama deve procurar um cirurgião plástico para que, juntos, tomem a melhor decisão diante de cada situação.

 

Mirella Oliveira: ‘Aproximadamente 50% das pacientes que se submetem a mamoplastia redutora poderão apresentar dificuldade para amamentar’

Mirella Oliveira: ‘Aproximadamente 50% das pacientes que se submetem a mamoplastia redutora poderão apresentar dificuldade para amamentar’

 

PAULA DUARTE | pauladuarte@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    excelentes dicas sobre amamentação, principalmente sobre a do siilicone, muitas mães de primeira viagem tem essa dúvida.

Untitled Document