quinta-feira, 2 de abril de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Até onde a internet tem interferido nas suas relações pessoais?

Até onde a internet tem interferido nas suas relações pessoais?

Matéria publicada em 2 de fevereiro de 2020, 07:05 horas

 


Estamos cada vez mais conectados, principalmente pelo celular; vamos aproveitar mais o nosso tempo

Não sei se já imaginou como seria a sua vida sem internet, WhatsApp e todas as outras redes sociais que lançam todo o tempo para nos entreter e também divulgar nossos trabalhos.
A tecnologia tem evoluído muito com o objetivo de proporcionar praticidade e levar informações de forma rápida para as pessoas. Podemos nos manter informados em segundos sobre notícias e fatos que acontecem em qualquer lugar do mundo.
Estamos cada vez mais conectados, principalmente pelo celular, mas até onde isso pode interferir nas relações pessoais, com a família, filhos?
Quando eu era criança as brincadeiras eram incríveis, os passeios com a família tinham mais interação, mas, sabemos que tudo muda, que tudo evolui. Porém, precisamos medir tudo na vida. Vou falar por mim: Meu filho é gamer, joga muitas horas por dia (nas férias) e durante a semana passa um tempo também no computador. Todos os amigos dele estão jogando, aquele falatório alto e eu e minha mãe o dia inteiro gritando para ele falar baixo, para vir comer, para tomar banho. A resposta é: “Espera só terminar essa partida”. Já chutei o computador dele (me julguem, rs), mas confesso que foi a melhor sensação nos últimos dias, ainda bem que não quebrou, porque, com certeza, eu que iria mandar arrumar. No final do ano, passamos as férias na praia, e tivemos que levar o computador para que eles não ficassem ociosos. Ué, mas, espera aí, ociosos na praia? Na piscina? Com churrasco? Tem algo errado aí.
Na última semana de férias, inclusive, estou aqui na praia escrevendo essa coluna. Resolvi não trazer eletrônicos (só o celular e olhe lá). Como eles estão? Ótimos! Vendo televisão, fomos tomar café na padaria, vendo vídeos e às vezes conversando. Vamos jogar dominó, cantar no karaokê e aproveitar para conhecer cada canto de onde estamos.
Eu uso bastante o celular, muitas pessoas reclamam disso, mas eu vivo disso, tento explicar, mas quase ninguém entende. Já gostei muito, hoje uso por necessidade, mas confesso que diminuí bastante. Hoje, prefiro aproveitar a família, passear, brincar de outras coisas e criar opções para que eles esqueçam aquele jogo que precisa ficar gritando o tempo todo.
Vamos conversar mais em casa, tomar café com a família, almoçar com eles, sair com os amigos e deixar um pouco o celular na bolsa para dar atenção a quem realmente merece.
Ficar online por muito tempo traz consequências que atrapalham a relação social.
É necessário que a tecnologia venha ser utilizada de forma consciente e benéfica. Porque um uso excessivo implica com falta de contato físico, que acaba distanciando as pessoas cada vez mais umas das outras. Conte-me sua história com a rede social que na próxima coluna vou contar sua experiência.

Tire um tempo off: Ficar online por muito tempo traz consequências que atrapalham a relação social (Foto: Divulgação)


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document