domingo, 17 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Dava Newman: Uma mulher espacial

Dava Newman: Uma mulher espacial

Matéria publicada em 29 de outubro de 2019, 09:44 horas

 


Ex vice-diretora da Nasa, ela criou um novo traje extraveicular; Bio-Suit é só um protótipo

Ex vice-diretora da agência espacial americana Nasa, Dava Newman pertence aquela geração de crianças que viu os primeiros homens andarem na Lua, em 1969. Em suas memórias a engenheira espacial do MIT conta que ficou fascinada quando os astronautas da Apollo 15 apareceram pulando sem peso na superfície lunar. Decidiu na hora que queria ser engenheira aeroespacial e desenvolver roupas melhores para os astronautas. Formando-se em Engenharia Biomédica Aeroespacial pelo Massachusetts Institute of Technology, o famoso MIT, Newman passou a pesquisar um meio de livrar os astronautas dos pesados trajes espaciais usados atualmente nas caminhadas fora da nave.
A principal função de uma roupa espacial é proteger o ser humano do vácuo que existe no espaço. Sem a roupa o corpo do astronauta se dilataria com a pressão interna. E o sangue ferveria dentro das artérias provocando a morte em poucos minutos. Para evitar que isso aconteça o astronauta usa uma roupa que envolve seu corpo em um verdadeiro balão cheio de ar. Ela é tão folgada que os astronautas ficam com os dedos esfolados quando trabalham fora das naves espaciais, devido ao atrito da pele das mãos com o interior das luvas. Outro problema é que os trajes atuais só funcionam à baixa pressão. Por isso, os caminhantes espaciais precisam passar uma hora respirando oxigênio puro antes de vestirem a roupa. Do contrário, o nitrogênio do ar, dissolvido no sangue, formaria bolhas provocando outra embolia fatal.
Dava Newman usou uma abordagem diferente para criar o seu Bio-Suit (biotraje). O biotraje da Dava Newman envolve o corpo da pessoa em uma trama justa que impede que o corpo se dilate no vácuo espacial. Um capacete e uma pequena mochila nas costas fornecem o ar necessário para a respiração. Como é a roupa que exerce pressão sobre a pele do astronauta, o biotraje não precisa usar o sistema de baixa pressão das roupas atuais. E, por ser justo no corpo, ele não provoca atrito e facilita os movimentos. Com as roupas atuais os astronautas não podem se sentar nem se abaixar para pegar um objeto no chão. Com o biotraje a flexibilidade e a liberdade de movimentos será quase total.
Recentemente a Nasa apresentou um novo tipo de traje lunar que será usado na próxima década, durante as missões do projeto Artemis. Embora mais flexível que as roupas atuais ele ainda usa o sistema antigo, de camada de ar exercendo pressão sobre a pele. Além disso, os trajes atuais exigem que o astronauta use uma malha de refrigeração por baixo. Ela é cheia de tubos por onde circula a água, refrigerando o corpo do astronauta. Isso é necessário porque a luta contra a resistência exercida pela roupa deixa os astronautas suados e precisando de um tipo de refrigeração.
Por enquanto, o Bio-Suit é só um protótipo, sendo testado nos laboratórios do MIT. Mas, poderá ser usado nas futuras expedições ao planeta Marte, na década de 2030. Dava Newman foi vice-diretora da Nasa durante o governo Barack Obama. Ela renunciou ao cargo após a eleição do Donald Trump. E voltou a trabalhar no MIT onde participou do projeto da sonda ANITA, um laboratório suspenso em um balão que estudou a emissão de raios cósmicos e neutrinos sobre o continente Antártico. Sem esquecer o Bio-Suit que ela usa nas fotos aí.

 

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document