quinta-feira, 9 de abril de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Despertando hoje com sua mais nova idade, Marízia Braga

Despertando hoje com sua mais nova idade, Marízia Braga

Matéria publicada em 25 de março de 2020, 07:15 horas

 


Túnel
Do Tempo

*O imperador Dom Pedro I, aprova a Primeira Constituição do Brasil (1824).
*Começam a funcionar os primeiros lampiões a gás no Rio de Janeiro (1854).
*O fonógrafo é patenteado (1857).
*A Rua 25 de Março é Inaugurada (1865).
*Fundação do Clube Atlético Mineiro (1908).
*Fundação do Partido Comunista Brasileiro, o PCB (1922).
*O presidente Médici amplia o mar territorial brasileiro de 12 para 200 milhas marítimas (1970).
*Morre Ema D’Ávila, atriz e comediante brasileira (1985).
*O cosmonauta Sergei Krikalev retorna à Terra após uma permanência de dez meses a bordo da estação espacial Mir (1992).
*A União Europeia proíbe a exportação de carne bovina britânica e seus derivados em consequência do mal da vaca louca (BSE) (1996).
*Um sismo no norte do Afeganistão mata pelo menos duas mil pessoas e deixa mais de quatro mil feridos (2002).
*Arábia Saudita e seus aliados realizam ataques aéreos contra militantes houthis após seu avanço sobre Áden, no Iêmen.

Zig-Zag

*Fazendo sete anos, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) chamava a atenção, durante o “Dia Mundial de Combate à Tuberculose” (que sempre acontece no dia 24 de março), de como anda a doença ao redor do planeta.
*Muito embora a mortalidade tenha caído além de 40%, desde o ano de 1990, ainda existe muitos desafios para se vencer.
*Pasmem. Em suas estatísticas no ano de 2017, estima-se que 10 milhões de pessoas adoeceram por tuberculose e que a doença tenha causado 1,3 milhão de óbitos, o que a mantém entre as 10 principais causas de morte no planeta.
*Comunidades pobres e grupos vulneráveis são os mais afetados pela tuberculose – a OMS declara que 95% das mortes ocorrem em países de baixa e média rendas.
*Porém, por se tratar de uma doença transmitida pelo ar, o risco é para todos.
*Outra barreira importante que mereceu ser destacada pela OMS é a lentidão do progresso no combate à tuberculose resistente a medicamentos.
*A diretora-geral da organização, Margaret Chan disse que aproximadamente 4% das pessoas com a doença mostraram resistência ao medicamento.
*Outro alerta, importante a destacar e que publiquei nesta coluna e volto lembrar, está diretamente ligada à cidade de Volta Redonda.
*Ao contrário do passado, onde a população alvo, era originada de bairros carentes e residências humildes, na atualidade, tem sido monitorada a abrangência da doença também em bairros nobres da cidade.
*A Secretaria Municipal de Saúde de Volta Redonda, ano passado, através de seu Centro de Doenças Infecciosas (CDI), localizado no bairro Aterrado, tem a disposição da população a realização dos testes de PPD e nos casos positivos o tratamento.
*Até março do ano passado, o CDI havia notificou em torno de 253 casos de Tuberculose.
*Para a grande quantidade de pessoas que não sabem: O que é a tuberculose?
*Uma doença causada por uma bactéria que atinge principalmente os pulmões, mas também pode aparecer em outras partes do corpo como ossos, rins e outros.
*Como se pega a tuberculose? É transmitida de uma pessoa para outra pelo AR.
*Quando o doente com tuberculose no pulmão tosse, espirra ou fala, espalha bacilos no ambiente que podem ser aspiradas por outras pessoas.
*O que sente um doente com tuberculose no pulmão? O sintoma mais frequente da TB pulmonar no adulto é a tosse com ou sem catarro.
*Outros sintomas são: febre (mais frequente ao entardecer), suores noturnos, falta de apetite, emagrecimento rápido e cansaço fácil.
*O que pode ser feito para evitar a transmissão? A melhor forma para evitar a transmissão é descobrir a doença o mais cedo possível e fazer o tratamento correto. Também ajuda se o doente cobrir a boca e o nariz, ao tossir ou espirrar e manter a casa bem ventilada, abrindo a janela para permitir a entrada de ar e sol.
*Como é feito o tratamento? Através de medicamentos distribuídos pela rede pública de saúde, sem custo para o paciente.
*A tuberculose tem cura, desde que tratada o mais rápido possível, adequadamente e por um período mínimo de seis meses (sem interrupção).
*O tratamento não deve ser abandonado mesmo com o desaparecimento dos sintomas.
*Não esqueça: Tosse por mais de 3 semanas, com ou sem catarro pode ser tuberculose.
*O tratamento só termina quando o profissional de saúde confirmar a cura por meio de exames.
*Compartilhar talheres, copos ou toalhas não transmite tuberculose, beijos e abraços também não.
*Qualquer unidade de saúde do SUS pode diagnosticar a tuberculose.
*Informe-se, acesse riocomsaude.com.br.
*Existe na cidade um surto de Tuberculose.
*A doença não está escolhendo classe social.
*Vem acontecendo nas populações dos bairros mais pobres aos de pessoas de maior poder aquisitivo.
*Bairros como Laranjal, Jardim Amália, Conforto, tem registros no Centro de Doenças Infecciosas de Volta Redonda.
*Agora, a população no mundo vem sofrendo com o aparecimento do corona vírus.
*Mais um enorme desafio para a ciência. Existe possibilidade de que a vacina para a Tuberculose possa servir para o combate ao COVID – 19. Vamos aguardar mais esta ‘luz no fim do túnel’.

Homenagem Póstuma

*O meio médico e social, ainda muito triste com a morte do oftalmologista Marcus Marassi.
*Ocorrido na sexta-feira, em consequência de um grave acidente automobilístico, nas proximidades de um cruzamento na BR 393, na altura do bairro Jardim Amália II.
*Considerado uma grande figura humana, excelente profissional, deixa uma enorme saudade nos familiares e da grande legião de amigos.

Homenagem póstuma ao médico Marcus Marassi

Sala Vip

*Despertando hoje com sua mais nova idade, Marízia Braga.
*Ganha os primeiros abraços e beijos de seu bem amado, o engenheiro Celso Braga, da filha Christiane Roma, do genro Waldir Roma e do neto Rafael Roma.
*Depois serão inúmeras homenagens à distância.
*Outros aniversariantes do dia: Maria Rita Yacoub; Thatiane Hayashi; o promoter Jean Fragoso; Elena Moreira; Jéssica Muniz; Paola Franklin; Luciana Oliveira; Marina Miller.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document