segunda-feira, 6 de dezembro de 2021 - 21:32 h

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / E só a cachorrinha se salvou

E só a cachorrinha se salvou

Matéria publicada em 26 de maio de 2015, 15:01 horas

 


Acidente com wingsuit mostra os perigos e abusos do esporte radical; impacto deixou os dois esportistas inconscientes e eles nem chegaram a acionar a abertura do velame

wp-coluna-espaco-aberto-jorge-calife

espaco aberto

Roupa: O traje em ação durante um salto de um avião
(Foto: Divulgação)

Na semana passada o americano Dean Potter, praticante de esportes radicais, morreu em um salto de wingsuit. Ele e um amigo colidiram com uma pedreira no parque Yosemite, conhecido pelos brasileiros devido aos filmes de “Jornada nas Estrelas”. Era lá que o capitão Kirk e sua turma costumavam passar as férias. Potter ficou conhecido na internet por saltar com sua cadelinha, Miss Whisper, presa nas costas. Ele filmava tudo com uma câmara presa ao capacete e postava nas redes sociais.
Sociedades protetoras dos animais já tinham protestado contra a brincadeira. Como disse uma vez Saint Exupéry “somos responsáveis pelos seres que cativamos”. Todo mundo tem o direito de arriscar a vida em esportes radicais, mas não é correto arrastar seres inocentes, como crianças ou animais para situações de risco. Por sorte da Whisper ela não estava com o dono no dia do acidente fatal e sobreviveu a um relacionamento muito perigoso.

Wingsuit

Alguns leitores podem estar se perguntando o que é um wingsuit. É uma roupa com umas abas, usada por paraquedistas em saltos de alta performance. O traje imita o corpo de um esquilo voador, animal que consegue planar em grandes saltos entre as copas das árvores. Como os seres humanos são pesados demais a velocidade atingida chega aos 200 quilômetros horários. E é preciso um paraquedas para evitar um impacto fatal com o solo.
Por causa disso o wingsuit (literalmente traje-asa) só é recomendado para saltos de aviões. Como bem lembra a Wikipédia, entre 1930 e 1960, 72 dos 75 pioneiros desse tipo de esporte morreram em acidentes. Apesar disso a roupa passou a ser usada para os chamados saltos de BASE. BASE no caso é a junção das palavras inglesas para prédios, antenas, pontes e montanhas. No salto Base o praticante salta de cima de um prédio, uma ponte ou uma montanha muito elevada. No mês passado o Fantástico mostrou um desses esportistas usando um wingsuit para saltar em cima da cachoeira do Anjo. A queda de água mais alta do mundo, com mil metros de altura, que fica na Venezuela. Cenário de filmes como “Amor Além da Vida” do Robin Williams e o desenho “Up, Altas Aventuras”. Outro sujeito saltou de cima do El Califa, o prédio mais alto do mundo em Dubai. Tudo para ganhar alguns momentos de glória na internet.

Acidente com Dean Potter

O problema de saltar de lugares assim é que o tempo de queda é muito menor. E qualquer erro na abertura do paraquedas provoca um impacto fatal. No caso de Dean Potter e de seu colega parece que eles foram apanhados por uma corrente de ar imprevista, que os lançou de encontro à encosta do penhasco antes que pudessem abrir o paraquedas. Os corpos foram encontrados com os paraquedas ainda dentro dos invólucros. O impacto deixou os dois esportistas inconscientes e eles nem chegaram a acionar a abertura do velame.
O corpo humano é uma estrutura demasiadamente frágil. Um impacto a uma velocidade de cem quilômetros horários é fatal. Provavelmente Potter e seu colega já estavam mortos quando rolaram para o fundo do desfiladeiro.
Infelizmente o vicio da adrenalina vai continuar a atrair seres humanos para atividades de alto risco.

Lição aos esportistas

No final do século passado a moda era o bungee jump. O sujeito amarrava uma corda elástica ao tornozelo e saltava de cima de um penhasco ou de uma ponte. E muita gente morreu devido a falhas no equipamento. As vezes a corda se rompia, ou então o comprimento era mal calculado.
De toda essa tragédia fica uma lição. As autoridades deviam ser mais rigorosas na fiscalização desse tipo de esportes. E não permitir que os praticantes levem animais indefesos, como a cachorrinha Whisper nessas loucuras. Nos vídeos postados na internet dá pra ver que a cadela esta apavorada.

Jorge Luiz Calife | [email protected]

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. ai eu te pergunto ,ele nao foi la pra desafiara amorte entao 1 a 0 pra morte

Untitled Document