segunda-feira, 17 de maio de 2021 - 20:13 h

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Erros do “Vem Pra Cá” começam pelo jeito antigo do SBT fazer televisão

Erros do “Vem Pra Cá” começam pelo jeito antigo do SBT fazer televisão

Matéria publicada em 30 de abril de 2021, 08:05 horas

 


Erros do “Vem Pra Cá” começam pelo jeito antigo do SBT fazer televisão

No SBT a decepção é grande com o “Vem Pra Cá”, esfacelado depois das tantas mudanças, entre horários e alterações no formato, observadas antes mesmo do seu lançamento.
O projeto original foi em grande parte descaracterizado.
Na sua concepção, pensava-se em uma opção para o público das manhãs, sem grandes pretensões de audiência, mas com o propósito de oferecer um produto de qualidade e uma nova janela para o mercado comercial.
Só que muito pouco, ou praticamente nada, sobrou do seu primeiro piloto. Alguns quadros foram eliminados e até os apresentadores Ticiana Villas Boas e Ivan Moré trocados por Patrícia Abravanel e Gabriel Cartolano.
As diversas alterações observadas até aqui, especialmente a última, faixa da manhã pela tarde, embora próprias e bem costumeiras em se tratando do SBT, além de insegurança e certo desespero, passam a sensação de um novo e irremediável fracasso.
Então, por que não colocar vaidades ou interesses de lado, e voltar ao começo? Resgatar o que foi inicialmente planejado.

(Patrícia Abravanel – Crédito: Rafael Cardoso)

TV Tudo

Tem outra

A televisão mudou. Algumas práticas do passado não se ajustam mais aos tempos de agora.
E para todo e qualquer programa, é necessário dar um tempo para a sua maturação e até para que o público, aos poucos, possa descobrir a sua existência e se acostumar com ele. Interferências e julgamentos precipitados, na maioria das vezes, são injustos e cruéis.

Desvantagens

A confusão em torno do “Vem Pra Cá” não para só nisso. O programa era nacional, agora virou local. Ou seja, no campo comercial, teve quem comprou uma coisa e agora corre o risco de receber outra.
Não fosse também o fato da sua exibição agora acontecer em um horário de enorme disputa entre Record e Globo. Enfim…

Em busca

Globo vai estrear “No Limite” e a Record já está anunciando “A Ilha” para junho ou julho. Entre outras iniciativas.
Pequena amostra dos investimentos que essas duas TVs devem fazer no gênero reality show nesses próximos tempos. Vem mais por aí.

Brilho diferente

A Band deu início nas gravações do próximo “MasterChef”, com a apresentação, sempre, de Ana Paula Padrão.
Além da jurada Helena Rizzo ao lado de Henrique Fogaça e Erich Jacquin, o cenário também será diferente das edições anteriores.

Na fila

Depois da sinopse, Alcides Nogueira agora está esperando a aprovação do primeiro bloco de “Amor com Amor se Paga”, novela na fila das 18h.
Mas com exibição prevista, se nada se alterar, só em 2023.

Engajada

Xuxa gravou uma chamada para a campanha “Cultura Contra a Fome”, promovida pela TV Cultura.
A vinheta entra no ar nesta semana, e a campanha visa arrecadar alimentos para a população carente do Estado de São Paulo.

(foto Xuxa)

Rádio

A EPTV, afiliada da Globo, está próxima de realizar um velho sonho, o de ter uma rádio em Campinas.
Informa-se que está muito bem encaminhada a negociação para a compra da Cultura FM, do Grupo Pedroso de Comunicação, que já transmite a CBN.

Ligeiramente inspirado

Como muita gente deve se lembrar, a próxima novela das sete, uma comédia, escrita por Mauro Wilson, deveria se chamar “A Morte Pode Esperar”. Por causa da pandemia e prevalecendo o bom senso, a Globo decidiu mudar o nome para “Quanto Mais Vida, Melhor”.
Que foi ligeiramente inspirado em um sucesso do cinema das antigas, “Quanto Mais Quente Melhor”, com Marylin Monroe, Tony Curtis e Jack Lemmon.

Tudo na mesma

Apesar do silêncio que cerca Zeca Camargo na Band, nada mudou em relação às últimas informações.
Tem a garantia de um espaço no novo canal de culinária e continua aguardando aprovação para os projetos apresentados.

Modo diferente

A pandemia e os cuidados que são necessários têm exercido uma influência muito grande nas gravações das novelas.
Hoje, Globo e Record, no caso, trabalham com prazos bem diferentes, muito maiores em relação ao passado.

Primeiro dele

Na última fase de “Gênesis”, Juliano Laham fará o seu primeiro protagonista como “José do Egito”.
Preferido por seu pai, ele acaba sendo vítima dos irmãos e se torna escravo no Egito. A história de José é uma jornada de superação.

(Juliano Laham – Crédito: Marília Cabral)

Bate – Rebate

• Geraldo Luís continua totalmente dedicado à sua recuperação. Muita fisioterapia.
• Globo está gravando cenas da quarta temporada de “Sob Pressão”, mas com todos os cuidados…
• … O seu texto, inclusive, foi totalmente adaptado para este tempo de pandemia.
• Roberto Cabrini já está há alguns meses na Record…
• … Além da “Grande Reportagem” do “Domingo Espetacular”, apresenta o “Repórter Record Investigação”…
• … Só que também continua aparecendo em todas as madrugadas do SBT com o “Conexão Repórter”.
• Pessoal da Mix FM informa que, diferentemente do que foi publicado por aqui, ninguém foi demitido do seu quadro de funcionários…
• … E que não há qualquer planejamento neste sentido. A equipe é a mesma desde o começo da pandemia.
• Luiz Henrique Mandetta será o entrevistado do Marcelo Tas, terça-feira, 22h, na Cultura…
• … O programa já está gravado, mas, curiosamente irá ao ar no mesmo dia do depoimento do ex-ministro na CPI da Covid-19.
• “BBB – Dia 101” é o especial que a Globo vai mostrar dia 8 de maio, sábado, com apresentação de Tiago Leifert e a participação de todo o elenco da edição…
• …Pelo menos essa é a promessa… Mas parece que Nego Di é dúvida.

C´est fini

E como não pode ser diferente, essa nova maneira de produzir dramaturgia também tem uma influência direta em seus custos.
Agora, também, muito maiores.

Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document