quinta-feira, 6 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Ciência – Por Jorge Calife / Europa prepara sonda para explorar luas de Júpiter

Europa prepara sonda para explorar luas de Júpiter

Matéria publicada em 30 de março de 2017, 07:05 horas

 


wp-cabeca-ciencia

A agência espacial europeia Esa terminou o projeto preliminar da sonda espacial Juice, que será enviada para as luas de Júpiter em 2022. O projeto pronto será enviado para a Airbus industries que vai começar a construir a nave robô. O nome Juice vem da sigla em inglês de Explorador das Luas Geladas de Júpiter. A agência espacial americana Nasa tem um projeto semelhante, o Europa Clipper, que deveria pousar uma sonda na lua gelada Europa. Todavia o orçamento para a construção do módulo de pouso foi cancelado pelo governo Donald Trump.

O interesse pela lua Europa é porque ela tem um oceano de água coberto por uma calota de gelo. Onde pode existir vida semelhante a dos oceanos da Terra. A Juice europeia é mais modesta e vai observar as luas jovianas do alto.

Mesmo não sendo tão complexa quanto a sonda americana, a Juice vai custar 1,5 bilhão de euros e levará sete anos para chegar nas vizinhanças de Júpiter. Ouvido pelo site Space.com o gerente do projeto Giuseppi Saerre disse que a missão será um passo a frente para a agência espacial europeia. “Nunca tentamos algo tão complexo, para chegar a Júpiter a sonda terá que realizar cinco flybys e o ambiente em torno de Júpiter é extremamente hostil. Teremos que garantir a proteção dos sistemas eletrônicos da espaçonave contra a alta radiação”.

O termo flyby se refere a uma manobra onde uma nave espacial usa a gravidade de um planeta para ganhar velocidade sem gastar combustível. No caso da Juice ela vai passar perto da Terra, de Vênus e de Marte, até ganhar velocidade suficiente para chegar em Júpiter. A eletricidade para os instrumentos da nave será produzida por dois enormes painéis solares com uma área de 100 metros quadrados. Mesmo assim, quando a nave estiver perto de Júpiter eles só poderão gerar 820 watts, porque a luz do Sol em Júpiter é 25 vezes mais fraca do que aqui na Terra.

Quem critica o alto custo das missões aqui na Terra não entende que esse dinheiro todo (1,5 bilhão de euros) é usado para gerar empregos aqui na Terra. Mais de 60 companhias europeias estão envolvidas na construção dos instrumentos da sonda. Os painéis solares, por exemplo, serão construídos pela empresa alemã Azur Space, que construiu os painéis solares do telescópio Hubble. A Itália vai construir quatro instrumentos para a sonda, a Alemanha e a Suécia dois, a França e o Reino Unido um. A nave será lançada por um foguete Ariane 5, que também é fabricado na Europa.

O objetivo da missão é verificar se o ambiente nas luas de Júpiter pode sustentar a vida. A nave chegará a Júpiter em 2029 e passará três anos e meio sobrevoando suas enormes luas de gelo. Os instrumentos da nave medirão a espessura do gelo na superfície desses satélites, verificando a que profundidade o gelo se transforma em água. Também vão medir o campo magnético dessas luas o que revelará outros detalhes sobre o seu interior. Depois de observar as luas maiores, Ganimedes, Calisto e Europa a nave de 5,3 toneladas entrará em órbita ao redor de Ganimedes para procurar sinais de água embaixo de sua crosta de gelo.

Enquanto a Esa aponta para Júpiter a equipe internacional da Breakthrough Starshot prepara uma missão ainda mais difícil. O envio de uma sonda do tamanho de um selo postal para um planeta de outro sistema solar. A sonda será puxada por uma vela impulsionada por raios laser. Os primeiros desenhos da equipe mostravam uma vela metálica semelhante a uma enorme pipa. Mas esse tipo de configuração apresentou problemas durante as análises.

A vela em forma de paraquedas é instável, e se ela se inclinar levemente a nave pode se desviar do laser propulsor. A equipe concluiu que a melhor forma é uma esfera. Uma bola de material refletor, com os instrumentos da sonda no meio.

A Starshot ainda não tem data para decolar, já que envolve o desenvolvimento de um material refletor capaz de suportar a energia dos lasers sem derreter.

 

Missão: A Juice chegará a Júpiter em 2029

Missão: A Juice chegará a Júpiter em 2029

 

 

JORGE LUIZ CALIFE | jorge.calife@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Espero ainda testemunhar a exploração de Europa nos mesmos moldes da exploração de Marte atualmente. Esta lua de Júpiter é realmente fascinante. Quanto à uma nave capaz de viajar até às estrelas distantes no tempo de vida de um ser humano, este é um sonho mais distante. Mas as sementes desta conquista devem ser lançadas hoje.

Untitled Document