segunda-feira, 6 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Fracasso da COP25 deixa ambientalistas preocupados

Fracasso da COP25 deixa ambientalistas preocupados

Matéria publicada em 24 de dezembro de 2019, 07:04 horas

 


Conferência de Madri terminou sem medidas efetivas para conter aquecimento

“Mais uma oportunidade perdida”. Esse foi o comentário mais ouvido no final de mais uma conferência da ONU sobre o clima, a COP25, que aconteceu em Madri, na Espanha. Os grandes poluidores como Estados Unidos, Rússia e China mais uma vez postergaram a adoção de medidas efetivas para conter as emissões de gases do efeito estufa. O que deixou preocupados os representantes dos estados insulares. Aqueles países como Tuvalu e Samoa, situados em ilhas do oceano Pacífico, que já começam a sentir os efeitos da elevação do nível dos mares.
Ouvido pela BBC de Londres, o secretário geral das Nações Unidas, Antônio Guterres, resumiu o sentimento geral, dizendo: “Estou desapontado. A comunidade internacional perdeu uma oportunidade importante de mostrar uma ambição maior na mitigação, adaptação e financiamento para lidar com a crise climática”.
Um dos que concordaram com ele foi o representante de Tuvalu, Ian Fry, que disse: “Existem milhões de pessoas no mundo que já estão sofrendo os impactos da mudança climática. Negar este fato pode ser interpretado como crime contra a humanidade”. Adam Currie, um ativista de organização Geração Zero, desabafou: “Estamos cansados de governos que se aliam aos poluidores. Estamos cansados de ver nossas vidas sendo negociadas por dinheiro. E, enquanto não tirarmos essas pessoas do poder, elas vão continuar a sabotar o nosso futuro”.
Outros culparam líderes como Donald Trump dos Estados Unidos e Jair Bolsonaro do Brasil, de impedirem um consenso mundial com suas atitudes de descrença em relação a mudança climática. Mas, para os povos do Pacífico, do Ártico e da Europa, o aquecimento global já deixou de ser uma teoria e se tornou uma realidade. Uma realidade frequentemente fatal. O verão de 2019 na Europa foi um dos mais quentes da história, com pessoas se atirando em rios e lagos para escapar do calor sufocante. Alguns morreram afogados ou de choque térmico.
No Ártico o derretimento da calota polar voltou a atingir níveis recordes. O que prejudica os povos que vivem em regiões congeladas que começam a desaparecer. Os ursos polares, que viviam na banquisa gelada e dependiam dela para caçar, estão passando fome. E começam a invadir cidades do círculo polar ártico, como aconteceu recentemente na Rússia.
Com a atmosfera mais quente as tempestades se tornam mais violentas e destruidoras. Como o furacão que arrasou as ilhas Bahamas este ano. Incêndios florestais gigantescos atingiram a Austrália e Portugal. E, segundo a Agência Americana de Atmosfera e Oceano, NOAA, e a Nasa (Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço) 2019 voltou a ser um dos anos mais quentes da história.

Consequências

Tudo isso é uma consequência do uso de combustíveis fósseis, como o carvão e o petróleo, que produzem gases, como o dióxido de carbono, que capturam os raios infravermelhos do Sol e tornam o planeta cada vez mais quente. O desmatamento e as queimadas, como as que aconteceram na Amazônia este ano, também contribuem para agravar a situação. Há anos que as Nações Unidas tentam costurar um acordo para reduzir o uso dos combustíveis fósseis e as emissões de gases poluidores. Mas, essas tentativas são sabotadas por governos, como o dos Estados Unidos, onde o presidente Donald Trump tenta proteger os interesses da indústria do petróleo e do carvão. A China e a Rússia também são grandes poluidores com seus sistemas de geração de energia baseados em usinas térmicas alimentadas com carvão e petróleo.
A esperança daqueles que tentam evitar uma catástrofe global encontra-se em uma aliança dos países mais afetados. Que foi sugerida pela ministra finlandesa do meio ambiente Krista Mikkonen que disse: “Parece que agora a União Europeia precisa assumir a liderança. É o que nós queremos fazer e vamos fazer”. A Finlândia tem uma parte do seu território no círculo polar ártico, onde as mudanças estão começando a atingir níveis catastróficos.

Tuvalu: Ilhas serão engolidas pelo oceano


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. Avatar

    Bolsonaro é o nosso rei, nosso deus vivo, ave bolsonaro.

  2. Avatar

    Maior vergonha do BRASIL em 2019….o mundo inteiro estarrecido de ver um semi analfabeto groseeiro boca suja racista e ladrão no poder.

  3. Avatar

    É impressionante, como a esquerda imunda tenta culpar Bolsonaro de tudo que acontece de ruim no Brasil e no mundo. Há 30 anos ouço falar em aquecimento global, não vi nenhum dos presidentes ser tão criticado por ser o destruidor da natureza como o nosso presidente . Isso tudo é política barata, o Brasil não tem nem a metade de indústrias que tem os países da Inglaterra e Alemanha, agora vem dizer que nós somos destruidores da floresta e blá, blá , blá, etc.

  4. Avatar

    Votei em Bolsonaro e não me arrependo porque ele é a encarnação do Espírito Santo, é nosso salvador, que nos conduzirá através do deserto até a terra do leite e do mel. Ele vai ser reeleito para o resto da vida enquanto Deus quiser.

  5. Avatar

    Bolsonaro é um herói da defesa do clima no planeta, ele é enviado de deus para ajudar a fazer um novo dilúvio que extinguirá todos os animais que não rezam direito. Vc que tem pecados esquerdistas será extinto porque deus não gosta de vc. Deus gosta de quem faz tudo o que bolsonaro manda.

Untitled Document