ÔĽŅ Hor√°rio eleitoral bem caro - Di√°rio do Vale
terça-feira, 14 de agosto de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Hor√°rio eleitoral bem caro

Hor√°rio eleitoral bem caro

Matéria publicada em 22 de julho de 2018, 07:47 horas

 


De gratuito, período destinado à divulgação de candidaturas e partidos na TV aberta não tem nada

Engano: De gratuito, horário eleitoral não tem nada РFoto: Marcello Casal Jr. РAgência Brasil

No dia 16 de agosto vai ser dada a largada para a campanha eleitoral, com a permiss√£o para partidos e candidatos come√ßarem a pedir votos. Mas a data em que a popula√ß√£o em geral vai tomar consci√™ncia das elei√ß√Ķes √© 31 de agosto, quando come√ßa a propaganda eleitoral na TV, que costuma ser chamado de ‚Äúhor√°rio eleitoral gratuito‚ÄĚ. Gratuito pra quem, cara p√°lida?
Esse hor√°rio √© destinado aos partidos pol√≠ticos e aos candidatos para divulgarem suas ideias e plataformas, mas est√° longe de ser ‚Äúgratuito‚ÄĚ. Partidos e candidatos n√£o pagam nada pelo tempo na TV e no r√°dio, mas as emissoras t√™m direito a ‚Äúcompensa√ß√£o fiscal‚ÄĚ pelos minutos que destinam, a cada dia, √† divulga√ß√£o de propaganda pol√≠tica.
Assim, se elas deixam de pagar imposto para divulgarem a propaganda, quem paga por ela √© a sociedade como um todo, que deixa de receber os benef√≠cios que poderiam ser trazidos por esse dinheiro ‚Äď que n√£o √© pouco. Uma estimativa conservadora √© que o tempo de TV e r√°dio, este ano, vai custar uma cifra de 10 d√≠gitos (mais de R$ 1 bilh√£o) em compensa√ß√£o tribut√°ria.
E isso é só referente ao tempo de exibição.
A cria√ß√£o e produ√ß√£o da propaganda pol√≠tica ficam a cargo de ag√™ncias de propaganda especializadas, que cobram por isso ‚Äď e nem poderia ser diferente.
Como a lei agora pro√≠be doa√ß√Ķes de pessoas jur√≠dicas, esse servi√ßo tem que ser cobrado. E o pagamento vai sair do chamado fundo eleitoral ‚Äď aquela grana dos nossos impostos que √© destinada √†s campanhas pol√≠ticas.
Então, quando você estiver em frente à TV ou ouvindo a propaganda política pelo rádio, lembre-se de que o dinheiro que financia todas aquelas promessas sai do seu, do meu, dos nossos bolsos.

Distribuição justa?

Se somos n√≥s que pagamos pela propaganda eleitoral gratuita, o certo seria que todos os candidatos, independente do n√ļmero de parlamentares filiados ao seu partido, deveriam ter o mesmo tempo.
‚ÄúAh, mas s√£o 35 partidos com representa√ß√£o no Congresso Nacional e isso ou daria um tempo enorme de propaganda ou muito pouco tempo para cada partido‚ÄĚ. Ent√£o, que se diminua o n√ļmero de partidos, com um padr√£o mais alto de exig√™ncia, o que for√ßaria uma reorganiza√ß√£o e afastaria as chamadas ‚Äúlegendas de aluguel‚ÄĚ.
Talvez a própria disputa ideológica ganhasse com isso. Esquerdistas poderiam se juntar com outros esquerdistas e direitistas com outros direitistas, cada lado defendendo suas ideias mais amplas, em vez de ficarem brigando com seus afins ideológicos por causa de detalhes.

Por que não deixar o horário político ser pago?

Sabe quem paga pela propaganda de um autom√≥vel ou de qualquer outro produto, no r√°dio, na TV, no DI√ĀRIO DO VALE ou em qualquer meio? Quem j√° comprou o produto.
Isso porque parte da receita obtida pela empresa com a venda daquele produto é destinada à propaganda. E aí, quanto mais o produto vende, mais propaganda ele pode fazer, e quanto mais propaganda ele faz, mais ele vende.
Assim, as pessoas que ‚Äúcompram‚ÄĚ a candidatura de algu√©m deveriam poder pagar pela propaganda dessa mesma candidatura.
Poderia haver ‚Äúb√īnus eleitorais‚ÄĚ que as pessoas poderiam comprar para financiar a campanha.
Quem n√£o conseguisse vender b√īnus, teria uma indica√ß√£o de que suas ideias n√£o foram bem recebidas, e poderia tratar de pensar em contribuir para a sociedade de outro jeito (o que √© uma forma educada de dizer que essa pessoa deveria enfiar a viola no saco ou ir tocar bandolim em outra freguesia).
Ali√°s, a pr√≥pria arrecada√ß√£o de fundos eleitorais seria uma forma de indicar quem tem mais apoio, principalmente se houvesse uma limita√ß√£o do valor de b√īnus que cada CPF pode comprar. Pessoas jur√≠dicas poderiam ser proibidas, ou poderia haver uma limita√ß√£o por CGC, e essa limita√ß√£o, assim como no caso das pessoas f√≠sicas, deveria ser √ļnica. Assim, teria mais dinheiro o candidato que vendesse mais b√īnus, n√£o o que tivesse apoiadores mais ricos.

5 coment√°rios

  1. Concordo que quem deveria pagar essas despesas, deveriam ser os pol√≠ticos. Milh√Ķes de reais s√£o distribu√≠dos para os partidos, “trabalharem” a candidatura de seus AFILHADOS. Quanto MAIOR o Partido mais grana ele recebe. Isso √© o custo da Democracia, o que n√£o √© exclusividade do Brasil. N√≥s os eleitores √© que PRECISAMOS saber escolher melhor.

  2. Meu nome é Zé Pequeno!

    Em minha opini√£o n√£o existem mais esta defini√ß√Ķes de “esquerda” e “direita” dos Tempos da “Guerra Fria”.
    O que existe s√£o aqueles partidos “mais” ou “menos” sociais hoje em dia.
    O aumento da popula√ß√£o mundial e a crescente automa√ß√£o e mecaniza√ß√£o de v√°rios segmentos econ√īmicos est√£o desempregando cada vez mais pessoas.
    Exemplos? Trocadores de √īnibus pois os motoristas passaram a acumularem as duas fun√ß√Ķes, embaladores de supermercados pois os caixas passaram a acumularem as duas fun√ß√Ķes, etc.
    N√£o faltam exemplos e fora aqueles que ainda n√£o chegaram aqui, mas que j√° s√£o comuns no exterior contudo n√£o citarei para n√£o estimular.
    Mas a pergunta é?
    Por que temos que financiarmos os partidos e os políticos?
    Afinal! S√£o cargos p√ļblicos e quando “n√≥s” nos candidatamos a algum cargo p√ļblico algu√©m paga um curso preparat√≥rio e ou mesmo a taxa de inscri√ß√£o deles?
    Se querem “moralizar” a gest√£o p√ļblica por que ainda existem cargos comissionados?
    E a√≠ vamos n√≥s…!!!

  3. Isso √© sem gra√ßa! Lembra os treze anos do PT onde se gastavam bilh√Ķes de reais para mostrar como o governo deles era ‘superior’ a todos os outros que j√° passaram no Brasil…. Era tudo mentira! E levou o Brasil √† sua PIOR CRISE ECON√ĒMICA DESDE A PROCLAMA√á√ÉO DA REP√öBLICA!
    Como diria o jornalista Boris Casoy: “Isso √© uma vergonha!”

  4. Manter a estrutura operacional de uma rede de tv n√£o √© algo barato. Numa campanha presidencial, que envolve o pa√≠s todo, s√£o centenas, talvez milhares de emissoras de r√°dio e tv, as quais durante uma parte do dia deixam de arrecadar com seus compromissos comerciais…

    Pode sim haver majora√ß√£o e favorecimento, afinal falamos de Brasil, mas de qualquer forma o valor a ser desembolsado n√£o seria baixo devido a quantidade de emissoras envolvidas. R√°dio e televis√£o n√£o trabalham de gra√ßa, s√£o empresas na maioria dos casos privadas e que t√™m que manter seus equipamentos, pagar seus funcion√°rios, suas taxas e impostos…

  5. NAO VAMOS AS URNAS

    E A CHATICE SO VAI PORAR COM ESSA TRMA BOLSOMINION X ORFAOSDOLULA X CIROLOIDES

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document