segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / I Festival Estudantil de Teatro de Angra dos Reis

I Festival Estudantil de Teatro de Angra dos Reis

Matéria publicada em 5 de dezembro de 2018, 08:19 horas

 


Os estudantes apresentaram cenas de obras estudadas ao longo do ano letivo na disciplina de Arte e transformaram essas obras em cenas curtas de até 15 minutos – Foto: Divulgação

Na última quinta-feira, dia 29 de Novembro, cerca de 50 estudantes dos Colégios Estaduais Brigadeiro Nóbrega, da Ilha Grande, e Honório Lima, centro de Angra dos Reis, subiram ao palco do Teatro Municipal da cidade para participarem do I Festival Estudantil de Teatro.
Os estudantes apresentaram cenas de obras estudadas ao longo do ano letivo na disciplina de Arte e transformaram essas obras em cenas curtas de até 15 minutos. O evento contou com as seguintes cenas “O pagador de promessas”, de Dias Gomes; “Vestido de Noiva”, de Nelson Rodrigues; “Roda Viva”, de Chico Buarque; e “Hamlet”, de William Shakespeare.
Os alunos do Brigadeiro Nóbrega apresentaram a obra “O pagador de Promessas de Alfredo” de Freitas Dias Gomes, mais conhecido pelo sobrenome Dias Gomes, que nasceu em Salvador e foi um romancista, dramaturgo, autor de telenovelas e membro da Academia Brasileira de Letras. Criada em 1960, a peça foi o maior sucesso do dramaturgo brasileiro, originalmente escrito para o teatro, à peça de Dias Gomes foi encenada pela primeira vez em 1960. O roteiro é dividido em três atos e conta a trágica trajetória de Zé-do-burro. A história atravessou fronteiras e foi adaptada para o cinema. O sucesso foi tamanho que a adaptação cinematográfica recebeu a Palma de Ouro no festival de Cannes em 1962.
Na equipe estavam Gabriel Venâncio, Kauan Santos, Stephane Souza, Gustavo Brandão, Jordan Valentin, João Rocha, Talys, Juan Batista e Luiz Gustavo.
Para Gabriel Venâncio que subiu pela primeira vez no palco revela que o sacrifício valeu a pena.
– Gastamos nosso tempo ensaiando, e ficou maravilhoso. Erramos, travamos em algumas partes, mas ficou sensacional, todos estão de parabéns! Quero agradecer a todos vocês, e claro, agradecer ao professor João que nos possibilitou essa experiência, foi uma experiência incrível, não vou esquecer disso. Muito obrigado professor, e todos que cooperaram – disse.
Stephane Souza, 16 anos, que interpretou a mulher de Zé do Burro, diz que ficou muito feliz de apresentar no Teatro e sendo moradora da Ilha Grande essa emoção ganhou novos contornos e ressalta agradecendo.
– Muito obrigada por me ensaiar ‘o que é arte’, porque antes eu não sabia achava que só era desenho, e na verdade não é. E me falar como realmente tinha que fazer o papel da Rosa, confesso que no início foi muito difícil e que quase desisti por causa da vergonha, mas no final deu tudo certo, mesmo errado e trocando algumas falas, ficou maravilhoso – afirmou.

As turmas do Colégio Estadual Honório Lima apresentaram as demais cenas. No elenco de “Vestido de Noiva” obra de Nelson Rodrigues, escritor, jornalista e dramaturgo brasileiro que revolucionou o teatro, com as peças, “Vestido de Noiva”, “Boca de Ouro”, “A Falecida”, “Toda Nudez Será Castigada”, entre outras. Teve a carreira marcada pela crítica, ao explorar a vida cotidiana do subúrbio carioca, com crimes, incestos e diálogos carregados de tragédia e humor. “Vestido de Noiva” teve sua primeira encenação em 1943, sob a direção de Ziembinski, marcando a renovação do teatro brasileiro ao se voltar para a realidade de cunho psicológico. A peça causou polêmica na época e ainda hoje é considerada forte em sua linguagem e no tratamento do tema, transplantando para o palco a profunda angústia do autor, que contamina os atores e os espectadores.
No elenco dessa cena estavam Max Júnior Ferreira, Israel Sena, Isabelle Nóbrega, Emily Miranda, Kennedy Soares, Laila Gomes, Henrique generoso e Ketlelen Letícia.
Na peça de Hamlet, uma das mais importantes tragédias de William Shakespeare, dramaturgo inglês do século XVI, vemos a história do Príncipe Hamlet que tem como objetivo vingar a morte do seu pai, que foi executado pelo próprio irmão, Cláudio. Depois de envenená-lo, Cláudio casou-se com a rainha e se tornou rei daquele país.
Apenas dois atores cena deram conta de todos os personagens da peça, isso com a ajuda de duas pessoas na parte técnica, em cena Mariana Souza e Luciano Guimarães e na técnica Lívia Reis e Amanda Jordão.
A última cena apresentada foi a obra “Roda Viva”, de Francisco Buarque de Hollanda, mais conhecido como Chico Buarque, que é um músico, dramaturgo e escritor brasileiro, conhecido por ser um dos maiores nomes da música popular brasileira (MPB). “Roda Viva” foi escrita no final de 1967 e estreou no Rio de Janeiro no início de 1968, sob a direção de José Celso Martinez Corrêa. Foi a primeira incursão de Chico Buarque na área da dramaturgia. A peça foi censurada no período da ditadura. No elenco Bianca Oliveira, Jeane Silva, Emily Miranda e Geovanna Vythall.
Para Jeane a experiência foi única e reveladora – Acho que nunca fiquei tão nervosa. Só queria agradecer pela a oportunidade de apresentar a peça no teatro, foi a minha primeira vez em uma peça, foi tudo novo pra mim E eu amei essa experiência. É uma sensação incrível e única.
Aproveito o espaço da coluna para agradecer todos os alunos atores que subiram no palco e possibilitaram esse momento único. As diretoras dos dois colégios Kelly Pereira que disponibilizou o barco para levar os alunos da Ilha para a cidade, e as diretoras Ludyana Soares e Edilene Gabriel. A todos os estudantes que contribuíram no dia do evento, em especial a Luiza Rabello que foi a cerimonialista da noite e responsável pela dinâmica de apresentação.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document