quarta-feira, 19 de junho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / JPL apresenta os destinos para o turismo espacial

JPL apresenta os destinos para o turismo espacial

Matéria publicada em 23 de fevereiro de 2016, 07:20 horas

 


Cartazes propõem balonismo em Júpiter e passeio em lua de Saturno; sonho do turismo espacial já inspirou um curta-metragem

wp-coluna-espaco-aberto-jorge-calife
Como bem lembrou o Mark Watney, aquele astronauta interpretado pelo Matt Damon em “Perdido em Marte”, o JPL nasceu de um acidente. Um grupo de estudantes do Instituto de Tecnologia da Califórnia botou fogo no alojamento tentando fabricar combustível para foguetes. No lugar de expulsar os fogueteiros a escola arranjou um lugar seguro para continuarem suas experiências. Um terreno abandonado nos limites da cidade de Pasadena. Foi o início do famoso Laboratório de Propulsão a Jato de Pasadena, que revolucionou a exploração do sistema solar.

Hoje o JPL é um dos centros de pesquisa mais importantes da Nasa, a agência espacial americana. É o JPL que projeta e controla as missões robóticas a outros planetas. Entre os sucessos do laboratório está o Pathfinder, aquele robozinho que explorou o planeta Marte nos anos 90, as sondas Voyager que penetraram no espaço interestelar e a sonda Cassini, que mapeou as luas de Saturno. No ano passado o JPL esteve nas manchetes com a sonda New Horizons, que fotografou pela primeira vez o planeta Plutão e sua lua Caronte.

Apesar de toda essa história de sucesso o laboratório de Pasadena ainda tem aquele espírito de reduto de nerds que caracterizou suas origens. Eles adoram brincar com a ciência e criar meios pitorescos de divulgar suas descobertas. No mês passado a página do JPL apresentou uma série de pôsteres do sistema solar para serem baixados pelos usuários. São imitações daqueles cartazes que as agências de turismo costumam usar para divulgar os destinos mais interessantes para seus clientes. Passe por qualquer agência de turismo e você vai ver cartazes assim divulgando as atrações de Las Vegas, de Bali ou dos Andes chilenos.

Exóticos

Só que os pôsteres do JPL anunciam lugares bem mais exóticos e distantes. Os destinos para os turistas do futuro, que um dia, quem sabe, poderão passear pelos lugares que as sondas do JPL estão explorando agora. Um dos pôsteres mais bonitos propõe o balonismo na atmosfera do planeta gigante Júpiter. Onde o turista poderá se maravilhar com as auroras mais espetaculares que existem.

Outro propõe uma parada no asteroide Ceres, mapeado pela sonda Dawn. Um casal de astronautas aparece enchendo seus cantis em um poço de água. Enquanto um cartaz adverte “a última fonte de água até Júpiter”. Além de beber água em Ceres e ver as auroras de Júpiter o turista do futuro poderá mergulhar no oceano que existe embaixo da calota polar de Europa, uma das luas jovianas. Os cientistas suspeitam que possa existir vida neste mar oculto. E os turistas imaginários do JPL nadam em meio aos tentáculos de uma medusa europeana gigante.

O sonho do turismo espacial já inspirou um curta-metragem, “Wanderers” do videomaker sueco Erik Wernquist. Disponível no YouTube, “Wanderers” mostra turistas surfando nos anéis de Saturno e saltando de penhascos na lua Miranda de Urano.

Por enquanto é só um sonho. Com os foguetes atuais levaria um ano para chegar em Marte e quatro anos para alcançar as atrações dos gigantes gasosos. Os planetas Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Onde se encontram as paisagens mais espetaculares do sistema solar. A tecnologia ainda terá que avançar muito para permitir esse tipo de viagem. Teremos que passar da propulsão química, dos foguetes, para a propulsão fotônica dos romances de ficção científica.

Em uma palestra recente, promovida pela Nasa, o físico Phillip Lubin da Universidade de Santa Bárbara, também na Califórnia, sugeriu que uma nave fotônica poderia ir da Terra a Marte em três dias. Seria um veleiro laser, com uma enorme vela em forma de disco, refletindo a luz de um poderoso raio laser. A potência do laser seria algo na ordem de um trilhão de watts. E como disse Júlio Verne, há mais de um século, “aquilo que um homem imagina, outros podem realizar”.

 

Futuro: O turismo espacial na visão do JPL

Futuro: O turismo espacial na visão do JPL

JORGE LUIZ CALIFE | jorge.calife@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    A PRIMEIRA VAGA É DO PREFEITO DE PINHEIRAL.

Untitled Document