domingo, 24 de março de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Lidando com almas

Lidando com almas

Matéria publicada em 16 de fevereiro de 2019, 08:31 horas

 


Coluna de hoje vai tratar sobre a Gestão de Pessoas

Saber lidar e gerenciar pessoas sempre foi importante e se mostra como uma competência de extrema importância para este século, tão cheio de transformações. A gestão de pessoas pode ser definida como um conjunto de habilidades, técnicas e métodos que têm como objetivo administrar e potencializar a eficiência do capital humano dentro das empresas. Uma boa gestão de pessoas, atualmente, é essencial para o sucesso de qualquer empreendimento. Dentro das empresas, das salas de aulas e até mesmo em nossas famílias.

Ao longo dos anos a relação entre líder e liderados evoluiu muito e passou por diversas modificações. A concepção de um líder puramente autoritário, que não oferece espaço para sugestões da equipe, vem sumindo gradativamente. Essa realidade pode ser explicada pelo desenvolvimento e esclarecimento das funções de líder e seus colaboradores.

Muito se ouve falar das práticas de gestão de pessoas. A verdade é que o capital humano de uma organização é muito importante. Entretanto, ainda mais importante é saber conduzir as pessoas de forma que elas apresentem um desempenho excelente.

As técnicas de gestão de pessoas foram, então, desenvolvidas por especialistas a fim de evitar a perda de talentos e de produtividade. A ideia central é administrar bem o capital humano, facilitando o alcance de objetivos. E em nossas relações interpessoais? Será que sabemos lidar e gerenciar as nossas relações humanas?

 

O que é gestão de pessoas?

A gestão de pessoas envolve técnicas de motivação, treinamento e desenvolvimento, visando melhorar a administração e eficiência dos colaboradores dentro de uma empresa. Administrando os comportamentos internos, uma boa gestão de pessoas é capaz de melhorar a qualidade de vida e produtividade dos funcionários. Isso tudo se aplica também às nossas famílias, por que não?

Através de uma série de teorias, principalmente baseadas na Psicologia Organizacional, foram definidas uma série de práticas que possibilitam melhor administração de recursos humanos. Assim nasceu a gestão de pessoas, que tem base no envolvimento, capacitação e desenvolvimento dos colaboradores de uma empresa.

A gestão de pessoas usa técnicas que envolvem a motivação, oferecem possibilidade de desenvolvimento e participação nos processos de tomadas de decisão, entre outras ações. Promovendo o bem-estar e o desenvolvimento profissional, uma boa gestão de pessoas é capaz de aumentar a eficiência e reduzir a rotatividade de funcionários. Os benefícios para as organizações e seus colaboradores são muitos. Para ter uma empresa de sucesso, é preciso focar na gestão de pessoas.

 

Por que a gestão de pessoas é importante?

O capital humano é um dos recursos mais importantes da empresa. Sem os colaboradores, não pode existir prestação de serviços e nem produção. Empreendimentos que não tomam iniciativas para cuidar da qualidade de vida de seus funcionários sofrem com a alta rotatividade e baixa motivação. Existem muitas dificuldades para manter a harmonia nas relações interpessoais em diversos ambientes, e não poderia ser diferente no espaço corporativo. A pressão, a competitividade, as diferenças religiosas, sociais e étnicas podem promover estresse e conflitos entre colaboradores. Esse tipo de atrito prejudica a obtenção de resultados. Além disso, pouquíssimas pessoas estão dispostas a continuar trabalhando em um ambiente tóxico e sem harmonia.

Outro problema apontado nas empresas é a falta de organização e de objetivos claros na hora de conduzir os funcionários ao alcance de metas. Muitos negócios também cometem o erro de não valorizar sua equipe. Um trabalhador que sente que sua opinião não é ouvida ou que não tem possibilidades de crescimento certamente procurará outro emprego.

Diante desses problemas, como manter a equipe motivada e focada nos propósitos da empresa? Mais que isso, como fazer com que eles compartilhem dos mesmos propósitos, a fim de obter as melhores performances? Para solucionar estes e outros problemas, muitos especialistas acreditam na gestão de pessoas como forma de desenvolver o capital humano das empresas.

Existem alguns processos que tornam mais eficaz a administração dos recursos humanos, que podem motivar, desenvolver, monitorar e manter o capital intelectual:

Ter a capacidade de motivar e de entender o outro é fundamental para aparar as arestas que podem causar danos aos relacionamentos e às conquistas dos nossos objetivos.

 

 

Agregar pessoas

É possível evitar muitos problemas durante a contratação do profissional. Ainda no processo seletivo é viável identificar características que agregam ou não valor à empresa.

Também é importantíssimo identificar o perfil correto para cada vaga. Por exemplo, considere uma vaga que exige relacionamento com os clientes, trabalho em equipe e extroversão. Um colaborador tímido que prefere trabalhar sozinho pode ter as melhores qualificações técnicas do mercado, mas não vai se adaptar às exigências da vaga. Existe um bom lugar para cada tipo de trabalhador, e é importante identificá-los na empresa antes de contratar.

 

Desenvolvimento da equipe

Investir em treinamentos e desenvolvimento dos colaboradores é bom para todos. A empresa poderá contar com mão de obra cada vez mais qualificada e especialista. O trabalhador, por sua vez, tem a oportunidade de desenvolvimento pessoal e sente-se valorizado pela organização.

Treinamentos de coaching, por exemplo, permitem que o profissional alinhe o desejo de se desenvolver com os objetivos da empresa, para atingir a excelência em suas atividades.

Perceber que nós, enquanto líderes, podemos agregar e delegar atividades que sejam condizentes com as vocações de cada membro do nosso grupo permite que os nossos ambientes sejam sadios e promovam desenvolvimento humano pleno e contínuo, de nossos funcionários, de nossos alunos, de nossos filhos e de nós mesmos. Respeitar a essência de cada indivíduo é respeitar sua alma, é gerenciar pessoas.

 

Boa leitura, TMJ!

Raphael Haussman. É professor, Coach, consultor e apaixonado por educação e desenvolvimento humano e, ainda, pai da Raphaela e do Theo.

 

 

Nosso dicionário:

Lidar – Forma de tratar, se relacionar e reagir a uma situação ou pessoa.

Gerenciar – Designa o desempenho de tarefas de gestão dos assuntos de um grupo.

Líder – Pessoa cujas ações e palavras exercem influência sobre o pensamento e comportamento de outras.

Gestão de pessoas – O conceito de gestão de pessoas ou administração de recursos humanos é uma associação de habilidades e métodos, políticas, técnicas e práticas definidas, com o objetivo de administrar os comportamentos internos e potencializar o capital humano nas organizações.

Capital humano – É o conjunto de conhecimento, habilidades e atitudes que favorecem a realização de trabalho de modo a produzir valor econômico. São os atributos adquiridos por um trabalhador por meio da educação, perícia e experiência.

Motivação – É um impulso que faz com que as pessoas ajam para atingir seus objetivos.

Treinamento – Processo que torna alguém capaz de desenvolver algo, através de orientação ou instrução.

Desenvolvimento – É toda ação ou efeito relacionado com o processo de crescimento, evolução de um objeto, pessoa ou situação em uma determinada condição.

Psicologia Organizacional – A Psicologia Organizacional, inicialmente denominada como Psicologia Industrial, estuda os fenômenos psicológicos presentes nas organizações. Mais especificamente, atua sobre os problemas organizacionais ligados à gestão de recursos humanos (ou gestão de pessoas).

Envolvimento – Participação ativa em determinado projeto.

Capacitação – Preparação, ensino, conhecimento dados a alguém para que essa pessoa desenvolva alguma atividade especializada.

Coaching – Em inglês, quando usada como verbo, a palavra coach significa treinar ou ensinar. Além disso, um coach ou coacher é um profissional que exerce o coaching, uma ferramenta de desenvolvimento pessoal e profissional.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

8 comentários

  1. Avatar

    Excelente artigo…eu como gestora acredito q devemos também trabalhar a mente do empregador, praticar a empatia é um bom exercício pra entender a necessidade de cada um, um trabalhador motivado produz mais em todos os setores da vida, seja profissional ou pessoal.

  2. Avatar

    No Brasil tem muito mimimi…

    Se falo com empregado de boa , ele finge que não foi com ele ou dá de esquecido.

    Se fala mais seco , fica com raiva.

    Se deixa bilhete, para não ter a desculpa que esqueceu, fica magoado.

    Aí depois é mandado embora e fica revoltado.

    Sou da teoria faço o meu e vc faz o seu!

    Pra que ter que lembrar?

    É chato pra quem manda e pra quem é mandado.

    Algo pontual, tudo bem, mas sempre…

    Mas é Brasil, país dos ” espertos” e da procrastinação.

  3. Avatar

    Falou a alma penada!!!!!!!!

  4. Avatar

    Essa foto lembra um desenho de Maurits Cornelis Escher.

  5. Avatar

    O trabalho de lidar com almas está muito mais avançado nos EUA que no Brasil, isso se reflete no índice de produtividade do trabalhador americano que é muito superior ao do brasileiro!

    • Avatar

      Misturou cebola c iogurte. Não perde uma chance de falar merd…….

    • Avatar

      Agora com a super safra de Laranjas da fazenda do PSL, capitaneada pelo fazendeiro mor, Sr. Bozzo, e seus fiéis capatazes o Brasil será autosuficiente em vitamina C., tendo como administrador o Queiroz, o negociador o Bebiano, segurança com o Flavinho Rio das Pedras e o falastrão mor o Mourão. O circo está formado kkkkkkkkkk

Untitled Document