domingo, 21 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / O atentado e a intolerância brasileira

O atentado e a intolerância brasileira

Matéria publicada em 18 de setembro de 2018, 08:45 horas

 


Facada em Bolsonaro é um fenômeno novo na política do Brasil

Bolsonaro: Atentado deixou dúvidas – Foto: Reprodução Vídeo

A tentativa de assassinato do candidato do PSL a presidência da República, Jair Bolsonaro, foi um fato inédito na política brasileira. Até aqui estávamos acostumados a ver esse tipo de coisa lá em cima, entre os nossos irmãos do Norte. Que já tiveram dois presidentes assassinados e um sem número de candidatos baleados.
Aqui no Brasil, apesar das paixões e dos radicalismos da política, ninguém optava por eliminar fisicamente um adversário em tempos de democracia, isso era uma marca da ditadura. É um sinal dos tempos de intolerância que vivemos.
O acontecimento lamentável, que cria um precedente perigoso, deixou muitas perguntas sem resposta. Como é que um desempregado, como o senhor Adélio Bispo de Oliveira era portador de cartão de crédito internacional (Como revelou a revista Veja). E era possuidor de quatro telefones celulares e um notebook. De onde veio o dinheiro para essas facilidades todas?
A polícia federal esta investigando e até aqui as evidencias vão contra a tese da defesa, e do governo, de que tudo foi obra de um louco solitário.
Também houve falha da segurança, claro, mas Bolsonaro facilitou a ação do agressor com seu costume de andar pelas ruas carregado nos ombros pela multidão. Algo de acordo com sua postura de salvador da pátria.
É curioso que Lula e Bolsonaro, que representam pontos opostos do espectro político têm posturas semelhantes. Lula, antes de ser preso, também gostava de ser carregado em triunfo por seus militantes. Que não tenha acontecido nada parecido com ele mostra que sua segurança era melhor.
Lula e seus seguidores acenam com a redenção através do ‘Bolsa Família’ e outros programas sociais. Bolsonaro promete acabar com o caos na segurança brasileira com tropas nas ruas e soldados atirando para matar. Duas posições que conquistam a simpatia de uma grande parte da população, que sofre com o desemprego e com o banditismo que tomou conta do Brasil.
Alguns dias depois do atentado, bandidos explodiram uma prisão de segurança máxima em João Pessoa e libertaram mais de noventa bandidos. Ou seja, no Brasil de hoje não há segurança nem na prisão de segurança máxima. E fatos como esse geraram o “fenômeno Bolsonaro”. O culto ao político que pretende bater de frente com as organizações criminosas e trazer de volta aquele Brasil do samba e do carnaval que parece perdido para sempre.
Agora, com o atentado, o candidato do PSL passou da categoria de salvador da pátria para a de mártir. E sua popularidade só aumentou, com as intenções de voto subindo de 20% para quase trinta. Enquanto isso os outros candidatos, no lugar de apresentarem propostas sensatas, ficam “viajando na maionese” como diz o povo. Outro dia um deles disse na televisão que, se for eleito, vai incentivar o turismo, vender a “marca Brasil” para gerar empregos. E isso numa semana em que bandidos trocaram tiros no centro histórico de Paraty, teve tiroteio e ônibus incendiado em Cabo Frio, mais tiroteios em Agra dos Reis e sem falar no Rio de Janeiro, que já foi uma de nossas maiores atrações turísticas, onde tem tiroteio todo o dia.
Até aqui a solução para o turista era fugir para o nordeste, que fica bem longe do Rio de Janeiro. Não dá mais, as organizações criminosas já invadiram esses estados com seus atentados, ônibus queimados e prédios públicos metralhados. Falar em incentivar o turismo num quadro desses é pura ficção. Que turista vai querer vir para o Brasil ser assaltado ou entrar para as estatísticas das vítimas das balas perdidas?
O quadro atual é o resultado da leniência dos governos de esquerda com o crime organizado. Lula mandou desarmar a população e se esqueceu de desarmar os bandidos. Criminosos entram e saem das cadeias com a maior facilidade. Se beneficiando de indultos e de juízes “bonzinhos”. E o resultado é este caos que estamos vivendo.
O que é ótimo para a extrema direita.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

12 comentários

  1. Direta ja votaram no Colo tiraram o Colo .Tancredo Neves morreu. Lula foi preso. Dilma Rousseff expulsa. Temer só não sai pôquer ta no final. A ONDE que BRASILEIO sabe votar o melhor desta turma toda fOI BRIZOLA
    QUE NÃO CONSEGUIU SE ELEGER PORQUÊ NÃO SE MISTUROU COM NINGUÉM

  2. Essa foi boa… “Lula mandou desarmar a população e armou os bandidos”!!!!!! Ora Calife, você pensa isso mesmo???? Uma pessoa que escreve bons livros… Releia o que escreveu e corrija, por gentileza.

  3. Quem recebeu Um milhão de dólares do ditador da Líbia Muamar Kadafi, que mantinha um harém no seu bunker e mandava matar algum empregado que fizesse algum gesto estranho ou derramasse café no chão?
    Segundo o ex-ministro de Lula, Antônio Palloci, que segundo Lula era o homem mais honesto e competente do seu governo, quem recebeu esse dinheiro foi o Lula!
    Nas leis partidárias do Brasil se um partido recebe dinheiro de um regime ditatorial esse partido deve ser extinto!
    Como diria o jornalista Boris Casoy: “Isso é uma vergonha!”…

  4. CONCORDO COM VC,PAULÃO, QUE GESTO MAIS INFELIZ. SÓ ESPERO QUE ELE SE LEMRE QUE VIOLENCIA GERA VIOLENCIA. E O PIOR QUE TEM MUITA GENTE ACHANDO QUE SE ARMAR A POPULAÇÃO VAI RESOLVER OS DEMAIS
    PROBELMAS DO PAÍS.
    SAÚDE, EDUCAÇÃO, DESEMPREGO NÃO SE RESOLVE COM ARMA NA MÃO, SEM CONTAR QUE TEM MUITO POLICIAL
    DESPREPARADO PARA OCUPAR ESSA FUNÇÃO.
    QUE DEUS NOS AJUDE E AJUDE O POVO BRASILEIRO A PENSAR UM POUCO ANTES DE VOTAR E COLOCAR UMA PESSOA QUE ESTIMULA A VIOLENCIA COMO SOLUÇAO PRA TUDO. CUIDADO COM ESSE “MARTIR” ESFAQUEADO.

  5. A violência não está apenas nos petistas, mas, por incrível que pareça, nos padres, bispos e religiosos da Teologia da Libertação, que apoiam o comunismo e o “Lula livre”!
    Basta lembrar o que fizeram esse pessoal da teologia da libertação: lembrar das guerrilhas que esses religiosos participaram, como guardaram armas no Convento de Perdizes em São Paulo (Frei Betto); guardaram dinheiro; mandaram cartas de bispos lá para Fidel Castro; ficaram de conchavo com os comunistas do MR8; da ALN do Marighella …; eu sei como esse pessoal roubou e sequestrou a nossa fé; e enganando todo mundo, transformou o católico em massa de manobra para eleger o CORRUPTO, BÊBADO E MULHERENGO QUE É O LULA!!!!
    Como diria o ex-Senador Mão Santa: “A gente faz apenas uma vez na vida: nascer, morrer e votar no PT!”…

    Obs.: Agora o tempo de vocês comunistas está contado, pois estamos gravando tudo o que vocês fazem, a paz de vocês acabou, pois vocês tentaram destruir o Corpo Santo de Jesus!

  6. O primeiro acontecimento lamentável, que pode ter criado precedente foi a execução da vereadora do Rio e que também matou o motorista. Atentado contra representantes do povo, não importa qual o cargo, são demonstração de barbárie e todos os envolvidos devem ser punidos. No caso do candidato a presidente, pelo menos prenderam o esfaqueador, que não matou, solitário ou não. Já o duplo assassinato, da vereadora e do motorista, nada foi esclarecido. Nem o provável homicídio dos suspeitos (“queima de arquivo”), pistoleiro e comparsas.

    • Temos vários exemplos, tanto no presente como o assassinato do prefeito de Rio das Ostras e o de Santo André, e o atentado ao prefeito de Paraty, como no passado, como a morte do Candidato a presidência João Pessoa, que culminou no “golpe” do Estado Novo com a posse de Getúlio Vargas.
      Então o brasileiro não é tão bonzinho assim…

      O brasileiro tem é memória curta.

      Um povo que não conhece seu passado está condenado a repeti-lo.

    • Felipe 74, só 2 correções: João Pessoa foi candidato a vice do Getúlio e seu assassinato foi usado como um dos motivos para a Revolução de 1930. O Estado Novo começou 7 anos depois.

  7. Calife, “Que não tenha acontecido nada parecido com ele (Lula) mostra que sua segurança era melhor. Não se trata disso. É porque os que fizeram com o Bolsonaro , não iriam fazer com o Lula.

  8. A trégua nos ataques políticos ao ex-capitão, o “mártir” esfaqueado, acabou no momento em que posou no hospital com o tradicional gesto com as mãos imitando armas atirando.
    Na verdade os generais, de pijama ou não, Mourão à frente, querem o ex-capitão eleito para transformá-lo em uma “Rainha da Inglaterra”, com algum militar de alta patente no comando, de eminência parda ou “primeiro ministro”, deixando o tal Paulo Guedes chefiando a área da Economia.
    Para distrair o Bolsonaro, ele vai poder dar palpite na segurança pública, pois do resto nada entende, mesmo depois de 2 anos como vereador e 28 anos como deputado.

    • Com certeza você prefere Lula se embriagando no palácio presidencial em Brasília. Esse cretino, pai dos apedeutas, foi quem mais semeou a violência e o sectarismo nesse país!

Untitled Document