quarta-feira, 22 de maio de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / O carnaval, os Correios e as fantasias perdidas

O carnaval, os Correios e as fantasias perdidas

Matéria publicada em 8 de março de 2019, 08:47 horas

 


Atrasos nas entregas fazem lojas estrangeiras boicotarem o Brasil

Carnaval: Teve fantasia não chegou a tempo – Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O problema foi tema de uma matéria num canal de notícias da TV. Alguns foliões moderninhos resolveram encomendar suas fantasias pela internet. O carnaval chegou e nada das fantasias. É um problema comum aqui no Brasil, o atraso frequente na entrega da correspondência. O pessoal que ficou sem fantasia apostou numa modernidade, a das compras pela internet, esquecendo-se de que, no Brasil, a modernidade passa longe.
Os leitores frequentes desta coluna conhecem bem os meus problemas com o paquiderme estatal dos Correios. Em 2017 foram os cartões de crédito do banco. Meu cartão venceu e o banco enviou um novo, com prazo de entrega de no máximo 20 dias. Não chegou, eu reclamei e eles enviaram outro. Passaram-se dois meses e nada dos cartões. O banco precisou emitir um cartão de débito provisório para que eu pudesse movimentar minha conta. Finalmente, depois de três meses o carteiro finalmente apareceu com os cartões sumidos.
Em 2018 comprei um pequeno pacote de tintas para artesanato, em uma loja virtual de São Paulo com prazo de entrega estimado em 12 dias, passou um mês e as tintas não chegaram. Falei com a loja que reclamou com os Correios. Eles pediram cinco dias para resolver o problema e finalmente entregaram o pacote com um mês de atraso.
Este ano comprei um livro em uma livraria americana. O prazo estipulado de entrega era entre 13 de fevereiro e 1 de março. Até hoje não chegou. Devido a problemas como este, muitas lojas virtuais estrangeiras se recusam a aceitar encomendas para o Brasil. Você digita lá o seu endereço e vem o aviso: “Não enviamos para o Brasil”. O problema se tornou tão frequente que os Correios inventaram uma “solução”. Criaram um endereço nos Estados Unidos para onde os clientes cadastrados possam enviar suas encomendas. Não seria mais fácil cuidar para que as encomendas chegassem no prazo previsto, revertendo essa imagem ruim que o comércio virtual tem de nós?
Mas no Brasil é assim mesmo. Eles nunca atacam a raiz do problema. Sempre criam um paliativo, uma solução provisória para contornar a incompetência crônica. Há alguns anos o Consulado dos Estados Unidos se envolveu em uma disputa judicial com os Correios porque queria enviar os passaportes por uma empresa particular. O Consulado recorreu a essa medida extrema porque os passaportes enviados via Correios demoravam tanto a ser entregues que as vezes a pessoa perdia a data da viagem aos Estados Unidos.
Com as contas de água e luz acontecia coisa semelhante. No ano passado teve uma matéria aqui no Diário do Vale em que os moradores de Barra Mansa se queixavam de que as contas de luz e água só chegavam depois do vencimento. Em Pinheiral, onde moro, isso acontecia muito até que as empresas resolveram o problema cortando o mal pela raiz. Eliminando os Correios da equação e passando a entregar as contas com seus próprios funcionários. Nunca mais atrasou.
Os Correios sempre alegam falta de funcionários e sobrecarga. Se não tem capacidade é só permitir que outras empresas façam o serviço. A diferença é impressionante. No início de 2016 a Amazon.com contratou uma empresa particular para fazer as entregas de suas encomendas. Eu pedia um livro na segunda feira, na sexta-feira o funcionário da empresa estava no meu portão entregando o livro solicitado. Cinco dias, desde o despacho lá nos Estados Unidos até a entrega na minha casa. E olhe que eu moro em uma cidade pequena do interior.
Mas como tudo o que é bom dura pouco, a Amazon voltou a usar os Correios e o resultado são 40, 60 e até 90 dias para receber um simples livro.
E como no Brasil nada muda, o jeito é se programar. E não comprar nada pela internet que necessite de uma entrega rápida.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Avatar

    Gugu Liberrato podia ter internet cortada assim nos livraria desta mala sem alça.

  2. Avatar

    O profeta do caos saiu da tumba,seu múmia estava hibernando?

  3. Avatar

    Eu recebia a conta da empresa da internet sempre dois ou três dias depois de vencida, logo, deixei de pagar por boleto e passei a pagar via celular!
    Vergonha Correios! Correios só serviu para enriquecer os amigos do Lula!

  4. Avatar

    Com relação aos correios de VR realmente tá impraticável os serviços! Moro no aterrado na rua atrás da agência de correios e não sei pq não recebo correspondência mensalmente e nem encomendas dentro do prazo estipulado por eles mesmos…
    É uma vergonha!!!

  5. Avatar
    Profeta da Verdade

    O sonho desse sujeito é trabalhar nos Correios

    • Avatar

      Não precisa. Ele tem outro talento bem mais raro de se encontrar no mercado, que é o de escrever…

Untitled Document