segunda-feira, 6 de abril de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / O homem que salvou o Batman do esquecimento

O homem que salvou o Batman do esquecimento

Matéria publicada em 20 de junho de 2017, 06:00 horas

 


Adam West, o eterno Batman, morreu de leucemia aos 88 anos; ator sempre foi grato ao personagem e gravou uma mensagem para os fãs há alguns anos

wp-coluna-espaco-aberto-jorge-calife

No dia 9 de junho passado os fãs dos quadrinhos e seriados de TV foram informados da morte do ator Adam West, que interpretou o Batman no famoso seriado dos anos 60. West ficou marcado para sempre pelo papel e ultimamente emprestava sua voz para um personagem do seriado Family Guy. Ao contrário de outros atores, marcados por personagens famosos, West sempre foi grato ao Batman e gravou uma mensagem especial para os fãs quando a série foi lançada em DVD, há alguns anos.
Nem todo mundo gostava do Batman cômico e sem neuroses do Adam West. Mas na verdade foi ele quem salvou o homem morcego do esquecimento. Nos anos 60 o personagem criado por Bob Kane estava no ostracismo, superado pelos heróis mais modernos criados pela Marvel. A DC Comics queria cancelar as revistas do Batman porque estavam vendendo pouco. Em plena era espacial as aventuras do Batman pareciam anacrônicas diante das façanhas do Lanterna Verde, do Surfista prateado e outros heróis siderais.

Adam West, o eterno Batman

Foi quando o produtor William Dozier teve a ideia de fazer uma série de TV em estilo besteirol, zoando com a ideia dos super-heróis. E o personagem, é claro, seria o Batman. A rede de TV ABC bancou a ideia e gastou uma fortuna na construção de uma Batcaverna. Erguida em cima do antigo cenário da ilha do King Kong. Para o papel do herói foi chamado um ator quase desconhecido, Adam West.
West tinha feito uma pequena participação no filme “Robinson Crusoé em Marte”, onde interpretou o astronauta Dan McReady, que morre quando sua nave colide com o planeta vermelho. Atlético e com uma expressão ingênua ele parecia ideal para fazer dupla com Burt Ward, o Robin. Mas o projeto quase morreu no início. Antes da estreia a rede de televisão exibiu o filme para uma plateia de teste e a audiência detestou. A ABC só não cancelou tudo ali mesmo porque já tinha investido uma fortuna no cenário da Batcaverna.
Contrariando todas as expectativas o seriado foi um sucesso instantâneo. Na semana seguinte a exibição do filme piloto na TV, as boates de Nova York tocavam o Batusi, a música que West e a estrela Jill St.John dançam no filme. Diante dos seriados bem comportados da TV daquela época o Batman era uma inovação.
Quando Batman e Robin lutavam contra os vilões os ruídos apareciam escritos em balões em cima das cenas, como nas histórias em quadrinhos. Era como ver um quadro do artista pop Roy Lichtenstein em movimento. Os esconderijos dos vilões eram super-coloridos, com pisos e paredes inclinadas para sugerir uma atmosfera de delírio. Atores famosos de Hollywood como Cesar Romero (O Coringa) e Burgess Meredith (O Pinguim) eram chamados para interpretar os vilões. Estar na série do Batman dava prestígio e gente famosa de Hollywood, como Frank Sinatra e Nathalie Wood pediam para aparecer no seriado.
Foi nessa época que Adam West esnobou a oportunidade de sua vida. Ele foi convidado para substituir Sean Connery na série do James Bond e recusou. Achava que o personagem tinha que ser interpretado por um ator inglês. Apesar de todo o sucesso a Bat-série durou apenas três anos e foi cancelada pela ABC em 1968. E West nunca mais conseguiu outro papel importante.

Despedida digna

Sua despedida em Los Angeles foi digna de um grande astro. O Batsinal foi projetado por refletores no antigo prédio da prefeitura e atores da serie como Burt Ward (O Robin) e Lee Meriwether (A Mulher Gato) participaram de uma vigília com os fãs.
O Batmovel original, (um Lincoln Futura modificado) ficou estacionado diante do prédio, como se esperasse o homem morcego terminar uma reunião com o comissário Gordon. Ficou a série, preservada em DVD, e nela Batman e seu intérprete viverão para sempre.

Pop: Adam West e a batluta

Pop: Adam West e a batluta


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar

    Obrigado por inventariar esta trajetória deste estimado ator, que deu vida a um dos heróis mais lembrados de nossa infância!

  2. Avatar

    A série pode ter sido importante por ter tirado o Batman do esquecimento e um grande sucesso de público, mas foi um desastre para a reputação do herói dos quadrinhos. Acredito que os fãs só conseguiram levar o personagem a sério novamente depois do lançamento da mini-série “Batman: Cavaleiro das Trevas”, do Frank Miller, na década de 80. Curiosamente, a DC Comics lançou numa série em quadrinhos baseada na série da década de 60, lançada no Brasil em encadernados pela Panini.

Untitled Document