sábado, 21 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / O poder das palavras

O poder das palavras

Matéria publicada em 30 de março de 2019, 09:19 horas

 


Como nosso vocabulário pode interferir no nosso dia a dia

A palavra tem poder? Foi por meio da palavra que Deus criou o mundo e tudo o que nele existe. Ele disse “Faça-se a luz!” e assim, a luz foi feita e separou-se das trevas. A palavra cria, transforma, mas também destrói. A palavra tem poder. Se observarmos, em todas as culturas do mundo, a palavra ocupa um lugar de destaque. Se observarmos atentamente, em nossa vida, a palavra ocupa lugar de destaque, será mesmo?
Um lançamento editorial de 1999, “Mensagens da Água – Para uma Vida Saudável”, escrito pelo fotógrafo e escritor japonês Masaru Emoto, mudou o paradigma sobre a emoção humana e demonstrou, através de fotos, a influência do meio, dos sentimentos e das palavras sobre as moléculas de água. Emoto impactou o mundo ao apresentar fotos microscópicas que comprovam as alterações estruturais de uma partícula de água quando armazenada em um recipiente rotulado com palavras como “amor” ou “gratidão” e os resultados diferentes quando as palavras são “ódio” ou “inveja”. Quando o cristal de água é submetido a palavras e sentimentos negativos, sua forma cristalina fica totalmente distorcida, o oposto de quando é exposto a palavras positivas. As moléculas de água também mudam quando são submetidas a diversos estilos musicais, orações e meditação.
Ele ensina que a água reflete a emoção das pessoas como um espelho. “Sentimentos como raiva, ansiedade, medo e ressentimento distorcem, de forma feia, a molécula de água e registram nossa energia de maneira negativa. 70% do nosso corpo e 93% do nosso cérebro são formados de água. Assim, os bons pensamentos nos afetarão fortemente, e os pensamentos felizes vão fortalecer nosso sistema imunológico”.
Não era isso que nossas avós nos diziam? Para dizer boas palavras? Engraçado saber que a ciência e as novas descobertas descobrem o que os mais velhos já sabiam, não é mesmo? E quanto às palavras que proferimos sobre nossos alunos, sobre nossos filhos, sobre nosso trabalho, sobre nossa saúde? Estamos preferindo boas palavras?
Voltando ao livro, em outras palavras, ou melhor, em outros termos, assim como ocorre com a água, ocorre conosco. Falamos tantas coisas sem pensar, e depois até ficamos bravos porque essas coisas acabam acontecendo e nem nos damos conta que fomos nós quem as “pedimos”. Especialmente em momentos de raiva, podemos dizer algo que nos arrependeremos mais tarde. Em alguns lugares é fácil dizer palavras de amor, especialmente quando se deseja impressionar, o desafio é encher-se de palavras de amor e levá-las para os lugares que você vive a maior parte do seu tempo, como no trabalho ou em família. Todos os dias você tem o poder de destruir e de construir as pessoas.
Que tipo de palavras que você tem usado em casa? As que você proferiu na última semana para sua família serviram para edificar ou destruir? O que não é dito também é importante. Às vezes, calamos quando deveríamos falar e falamos quando deveríamos calar. Há palavras que sempre são bem-vindas como “por favor”, “obrigado” e “me desculpe”. Mas mesmo essas podem ter a aridez da formalidade. Mais grave, contudo, são as palavras que funcionam como flechas, atingindo de maneira rápida e mortal aqueles que convivem conosco.
Posso te fazer um convite agora? Que tal escrever em uma folha de papel quais são as palavras que melhor representam a sua personalidade? E as palavras que melhor representam seu estado de vida atual? Sua família, seus alunos, seus funcionários, seus pais e filhos. Que tal escrevermos isso neste momento, antes mesmo de terminar a leitura? Que tal identificarmos quais são as palavras que nos acompanham? Garanto, garanto mesmo, que elas dizem muito sobre nossa vida e nossos relacionamentos.
Quando os pais falam aos filhos, precisam ter muito cuidado. Não apenas porque podem esmagar a autoestima deles, mas também porque estão ensinando um padrão de comunicação do qual eles mesmos serão alvo no futuro. Tudo o que desacredita, desabona e desqualifica a pessoa tem um poder devastador. Expressões como “você não tem jeito”, “você não faz nada certo”, “você é burro”, “nada dá certo para você” e “por que não age como seu irmão?” são claramente danosas e nunca deveriam ser usadas.
Por outro lado, frases como “seja o melhor”, “foi bom, mas você poderia…”, “não fez nada mais que sua obrigação”, entre outras, podem também dar a sensação de um ideal que nunca é atingido e de uma incapacidade em “agradar”. Sempre que a crítica acontece, gera uma sensação de inadequação. Quando ela é constante, a pessoa simplesmente acredita que há algo errado com ela. Temos pressa para criticar e demoramos para elogiar. É preciso fazer um balanço das palavras usadas ao longo do dia: quantas vezes você apontou os erros alheios e quantas vezes deixou de reconhecer algo feito pelo outro?
Portanto, aprendamos a mudar nosso vocabulário e, com isso, poderemos reprogramar nossa mente para uma vida com mais qualidade e emoções mais positivas. Se eu falo “não posso”, realmente não posso. Mas, se digo “eu posso”, também vale, porque quem determina sou eu. As palavras não são levadas pelo vento, elas ficam enganchadas na nossa mente e no nosso coração e assim vão dirigindo a nossa vida, pelo caminho que condiz com o que falamos. Se o nosso vocabulário é pobre e pessimista, assim será a nossa vida. Queremos abundância, queremos paz, queremos ser felizes, entretanto, com a nossa boca, podemos declarar tudo ao contrário.
Nosso futuro depende das nossas palavras, nosso presente depende de nossas palavras, nossas relações dependem de nossas palavras. Nós dependemos de nossas palavras. Vamos mudar nossa vida, cuidando das palavras que dizemos e da nossa forma de falar?
Que mundo queremos construir? Que palavras escreverão nossa história? Vamos falar?

Boa leitura, TMJ!
Raphael Haussman. É professor, Coach, consultor e apaixonado por educação e desenvolvimento humano e, ainda, pai da Raphaela e do Theo.

Nosso dicionário:
Palavra – unidade da língua, conjunto de letras ou sons de uma língua.
Mensagens da Água – Para uma Vida Saudável – livro sobre um trabalho de investigação analisando a água coletada em diversos países e procedências, através da técnica de ressonância magnética.
Masaru Emoto – foi um fotógrafo e escritor japonês que viveu entre 1943 e 2014.
Sistema imunológico – é o sistema responsável pela proteção do organismo contra doenças.
Qualidade – grau negativo ou positivo de excelência, grau de utilidade esperado ou adquirido de qualquer coisa.
Emoções mais positivas – sensações agradáveis, sentimentos bons.
Abundância – grande porção ou quantidade, quantidade excessiva.
Paz – relação entre pessoas que não estão em conflito; acordo, concórdia, ausência de problemas.
Declarar – tornar público, expor, revelar, afirmar.
Futuro – tempo que se segue ao presente, tempo que há de vir.
Construir – criar, fabricar, produzir.
História – conjunto de conhecimentos relativos ao passado e sua evolução.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    Tudo isso acredito que seja verdade, só não entendi o comentário do colega misturando política no assunto, se em si o assunto não faz nenhuma alusão nem a Lula nem a Bolsonaro, e o conteúdo é pra todos, independente da religião, classe, partido, etc. Parece que o conteúdo é pra qualquer um.Li e reli a matéria e não achei nenhuma menção a politica. Hj em dia qualquer imbecil se acha capacitado pra falar sobre qualquer assunto, e vê perseguição política em tudo. Há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana…”. Concordo com vc. Vc é um grandessissimo estúpido.

    • Avatar

      Políticos usam palavras para influenciar pessoas, logo eles deviam ter cuidado com o uso das mesmas!
      Como meu compromisso é com a verdade, dizer aquilo que eu escuto, aquilo que eu vejo, eu não posso deixar de ficar indignado com a fala dos petistas, principalmente nos últimos quatro anos!
      Não é só o PT que usa palavras destruidoras, mas também muitos outros esquerdistas!
      A prisão de Lula aconteceu há mais de um ano, mas antes da prisão dele Gleisi Hoffmann disse: Para prender Lula “vai ter que matar gente”, ou seja, que palavras odiosas essa líder do PT revelou, não é?!
      Na mesma época, João Pedro Stédile, chefe do MST, disse: se prenderem Lula “o Brasil pega fogo…”. O ex-Senador Lindbergh Farias disse: “Vai ter uma reação popular muito grande….nesse processo fraudado, é incendiar o Brasil…”. O Movimento Esquerda Livre Brasil disse: “Se Lula for preso nós vamos incendiar o Brasil. De creche a asilo muita chama vai queimar. Muitas vidas vão derreter…”. O presidente do PT de São Paulo disse : “Estão querendo botar fogo no país. Depois não venham dizer que somos culpados…”. O Blogueiro Eduardo Guimarães do 247 disse: “Tentativa de prender Lula tocará fogo no país. Se eles quiserem pagar para ver, vão ver. E vão se arrepender…” E até o Marco Aurélio de Mello, ministro do STF, disse: “Prisão de Lula incendiaria o país!”.
      O problema é que o brasileiro, como você M P Martins, tem memória curta e se esquece da quantidade de falas na mesma direção.. ” se prenderem Lula o Brasil pega fogo… “; “se prenderem Lula vamos incendiar o país!’…
      O que dizer desses políticos e dirigentes de esquerda que usam palavras de extrema violência para incentivar a violência na sociedade?!
      Como diria o jornalista Boris Casoy: “Isso é uma vergonha!”…

  2. Avatar

    Enquanto no governo petista de 2002 até 2016 fomos invadidos por palavras desagradáveis e cheias de ódio como “eles contra nós”, que fazia a divisão entre ricos e pobres; negros e brancos; mulheres e homens; etc… colocando metade da população contra a outra metade, isso foi muito ruim para o Brasil, levando a um enfraquecimento do patriotismo e a falta de confiança do povo em si mesmo!
    Devemos confiar no Evangelho, que é a Palavra de Deus, pois essa Palavra nos fortalece e nos alimenta, nos anima e nos eleva para o alto! Como diria o Papa Bento XVI: “No vocabulário atual da teoria da linguagem se poderia dizer: o Evangelho não é um discurso puramente informativo, mas “performativo”; não simplesmente comunicação, mas ação, força eficaz que entra no mundo para curar e para transformar.”
    O que dizer do governo petista, que não dava nenhuma importância para a Palavra de Deus e só dava atenção para a palavra da jararaca?!
    Como diria Albert Einstein: “Há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana…”.

Untitled Document