sábado, 25 de maio de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Ong leva a cultura nordestina ao teatro

Ong leva a cultura nordestina ao teatro

Matéria publicada em 15 de agosto de 2018, 07:00 horas

 


Espetáculo busca quebrar um novo recorde de espectadores

As apresentações acontecem a partir da próxima quarta-feira (22); o ingresso é um quilo de alimento não perecível ou um litro de leite

A ONG IVA, fundada em 2008 no Bairro Belém em Angra dos Reis, entra em cartaz na próxima quarta-feira (22), no Teatro Municipal Dr° Câmara Torres, localizado no Centro Cultural Theóphilo Massad – CCTM, com o espetáculo “Orgulho Nordestino”. A peça que já esteve em cartaz no teatro e levou um grande público no ano de 2017, busca quebrar um novo recorde de espectadores.
O espetáculo é uma viagem pela cultura popular nordestina na noite de São João, com direito a muita dança, fogueira e baião. A dramaturgia que é toda feita em literatura de cordel promete mexer com as emoções, lembranças, cheiros e sabores. Nove atores e doze dançarinos juninos (quadrilheiros) conduzem o público a uma viagem ao interior de nordeste brasileiro, por que não dizer ao interior deste Brasil?
Um dos objetivos da ONG IVA é a junção de vários segmentos: educação, cultura, direitos humanos e geração de renda. Sempre buscando a integração com a comunidade. Hoje no seu currículo já conta com centenas de apresentações culturais, palestras e projetos de geração de renda.
Espetáculo com maior público em 2017, em Angra dos Reis, busca esse ano bater novo recorde e para isso irão apresentar em três dias, com quatro sessões por dia, sempre às 10h, 14h, 16h e 19h30, totalizando doze apresentações. Sessões essas que já estão com mais de 80% das entradas vendidas. O valor do ingresso é um quilo que alimento ou um litro de leite.
O diretor da ONG e do espetáculo, Arundo Terceiro, reforça essa ideia da importância do social.
– É nisso que acredito. Mudança social com cultura, educação e ações reais. Com as escolas municipais aderindo em massa – diz.

Ficha técnica
Com: Amada Neves, André Oliveira, Fabiana Mairinck, Jader Carlos, João Victor, Laís Cruz, Márcia Mística, Mayane Rocha e Wanderson Valente
Direção: Arundo Terceiro
Produção: ONG IVA
Mais informações no site: www.ongiva.org

Um breve histórico da ONG nós dois últimos anos:

2017
· Espetáculo “Orgulho Nordestino: Junino” – Teatro Municipal Angra dos Reis – público: 1.230 pessoas;

· Exposição PINTANDO O SETE – casa larangeiras – centro – Angra dos Reis – RJ

· Projeto Cabeça Ampla, pintando o sete – Apoio: programa Luz Solidária – ENEL;

· Exposição de Encerramento do Projeto “Tempiapo Jopive” – Apoio: programa Luz Solidária – ENEL (casa Larangeiras) e Museu do Índio – RJ – Público: aproximadamente 2.500 pessoas;

2016
· Exposição do projeto Tempiapo Jupive” – Apoio: programa Luz Solidária – ENEL; Ilha Grande – Angra dos Reis – RJ; público estimando 900 pessoas;

· Visitas guiadas aos patrimônios culturais de Angra dos Reis – RJ para escolas públicas e particulares – Público: aproximadamente 900 alunos e educadores

· Palestras sobre cultura, sociedade e mudança social: Escolas Municipais – publico estimando: 400 pessoas;

· Coordenação do projeto “Tempiapo Jupive” – Apoio: programa Luz Solidária – ENEL;

· Projeto “Casa de Retalho, Panela de Fuxico” – Apoio: programa Luz Solidária – ENEL;

2015 – 2013
· Circuito do Espetáculo “Oxente!?”;

· Oficina e montagem de seis espetáculos para 60 pessoas;

· Comendas: coordenadoria da Juventude, Câmara Municipal, Rotary Club por mérito e ações culturais;

· Apresentações na rede municipal de ensino;

2012 – 2008
· Realização do seminário 120 anos de abolição;

· Realização do seminário sobre Cidades e Periferias;

· Participação por 3 anos consecutivos do projeto Consciência Ampla – ENEL em Angra dos Reis – RJ;

· Participação nas duas edições do festival de forró na Ilha Grande – Angra dos Reis – RJ;

· Participação na Festa de Nossa Senhora do Rosário em Minas Gerais;

· Formação da Escola de frevo de Angra dos Reis;

· Formação de coral infantil;

· Formação de folia de reis e Formação do grupo experimental da cultura popular.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document