segunda-feira, 29 de novembro de 2021 - 21:43 h

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Os cães abandonados de La Palma

Os cães abandonados de La Palma

Matéria publicada em 23 de novembro de 2021, 15:45 horas

 


Cachorros ficaram presos em meio aos rios de lava do vulcão Cumbre Viejo

Há três meses que o mundo acompanha a erupção do vulcão Cumbre Viejo, na ilha espanhola de La Palma, no arquipélago das Canárias. Os rios de lava começaram a escorrer da cratera em setembro e já destruíram mais de 2600 prédios, forçando a retirada de 7 mil pessoas que moravam ou trabalhavam na área atingida. Eles já cobrem uma área de mil hectares e chegaram ao oceano, formando uma nova península. Mas graças à evacuação rápida dos moradores só uma pessoa morreu até agora. Um homem que subiu no telhado de uma casa para retirar a cinza vulcânica acumulada e a casa desabou com ele.

Em meio ao drama humano, o mundo acompanhou a situação de três cachorros, que foram deixados para trás. Eles pertenciam a um idoso, que costumava usa-los como cães de caça. O homem foi retirado de casa as pressas, pelas equipes de resgate, e não pode levar os animais com ele. A casa foi destruída mas os três cachorros conseguiram se refugiar dentro de uma antiga cisterna. E ficaram lá, cercados pelos rios de lava durante semanas. No final de outubro eles foram localizados pelos drones, que filmam a erupção. Estavam magros depois de semanas sem se alimentarem e dormindo em cima das cinzas que cobrem o local. E parecia não haver nenhum meio de resgata-los.

A empresa que opera com os drones começou a jogar comida para os animais através dos engenhos aéreos. Um plano arriscado de resgate, usando os drones foi elaborado. Ele envolvia atrair os bichos para cima de uma rede, usando comida, e depois erguer a rede, com os animais dentro, usando quatro drones de controle remoto para leva-los num voo perigoso sobre as torrentes de lava. Mas para isso seria preciso esperar que os animais se acostumassem com os engenhos voadores. O que levaria tempo, e tempo era algo de que eles não dispunham. A erupção continuava a se intensificar, com novos fluxos de lava descendo pela encosta da montanha e cobrindo as áreas antes poupadas.

No início do mês a situação teve uma reviravolta inesperada. Quando os drones sobrevoaram a área, na sua patrulha matinal, não encontraram mais nenhum sinal dos animais. Na cisterna que lhes servira de abrigo havia marcas de pegadas humanas sobre as cinzas e uma bandeira com uma inscrição que dizia: “Força La Palma, os cachorros estão bem, assinado, Esquadrão Classe A.” O “Esquadrão Classe A” era o nome de um seriado de televisão que foi muito popular durante a década de 1980 e virou filme de cinema em 2010 com o ator Lian Neeson.

Um grupo anônimo de pessoas, que adotou o nome dos heróis da tv, tinha conseguido passar pelos rios de lava e resgatara os animais. Estima-se que eles tenham usado sensores térmicos para mapear os locais onde a crosta solida da lava permitia a passagem. Mesmo assim foi muito arriscado. Os três cachorros foram entregues a um veterinário da ilha, mas não se sabe se serão devolvidos ao antigo dono.

Os membros do “esquadrão classe A” não querem se identificar porque sabem que violaram a lei ao entrarem na zona de exclusão em torno do vulcão. Eles podem ser processados e até presos se suas identidades forem conhecidas. E o resgate veio bem a tempo, porque nos últimos dias a erupção aumentou de intensidade, com terremotos e novas torrentes de lava. Os animais não teriam sobrevivido se continuassem naquela cisterna.

O que mostra que às vezes o homem é o melhor amigo do cachorro.

 

Salvos: Imagem do drone mostra os animais antes do resgate


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Graças a Deus, ainda acontecem fatos lindos e dignos de admiração em nosso planeta!

  2. Parece que ainda há um pouco de esperança na humanidade…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document