sábado, 21 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Os melhores e os piores empregos do mundo

Os melhores e os piores empregos do mundo

Matéria publicada em 19 de fevereiro de 2019, 06:01 horas

 


Falar mal do emprego é o passatempo predileto de todo mundo. Bom, pelo menos de todo mundo que tem um emprego, porque o passatempo predileto do restante é falar mal do desemprego.
E não importa qual é seu emprego ou nível de status. Reclamar não presta, mas é uma delícia. Igual àqueles atores que passam a vida se matando para ficarem famosos, e quando ficam, vestem uma peruca, chapéu de aba larga e óculos de sol para não serem reconhecidos. Ou o executivo que sempre sonhou levar a vida entre aeroportos do mundo e depois reclama que ninguém merece uma vida entre aeroportos do mundo.
A gente reclama de barriga cheia. Como Simon Allison, cujo trabalho remunerado é provar comida o dia todo. Mas antes que você prepare seu currículo para pleitear uma vaguinha de provador de comida, é bom esclarecer que o trabalho dele é testar o sabor de rações para gatos e cachorros. Urgh! E o pior é que ele diz que ama seu trabalho. Tem gosto para tudo.
E que tal o trabalho de mergulhador? Bacana, mas talvez nem tanto. Porque um dos empregos menos desejados do mundo é o de limpador de esgoto. Terrível. Se isso não lhe cheira nada bem, é porque você não sabe que algumas empresas de cosméticos contratam “técnicos” para averiguar o odor exalado de axilas, como parte do controle de qualidade para o desenvolvimento de novos desodorantes.
Isso pra não dizer que muito no passado, em regiões desérticas da Ásia e da África existiam profissionais encarregados de caçar as cobras que acabavam entrando na casa das pessoas, e que acabaram se transformando em artistas de rua, os chamados encantadores de serpentes.
Com empregos como esse, faz bastante sentido o uso da expressão Happy Hour, ou seja, àquela hora no final da sexta feira em que você finalmente se liberta do trabalho e pode tomar uma cervejinha. Mas, e se o seu trabalho for uma espécie de happy hour remunerado?
Esse é o trabalho dos degustadores de cerveja, profissionais que são pagos pelas cervejarias para avaliar a qualidade do produto. Só não sei como voltam para casa após 8 horas de um serviço estressante como esse. O único emprego no mundo em que quanto mais bêbado você fica no trabalho, mais hora extra você ganha.
– O Nélson era tão workaholic, mas tão workaholic, mas tão workaholic, que morreu de cirrose, coitado…
Na mesma linha, Louise Thomas é consultora de chocolates e ganha a vida prestando consultoria nesse setor. Sua descrição de cargo oculta seu verdadeiro ofício: experimentar chocolates e assessorar seus clientes sobre qual produto escolher. E você pode também ser um testador oficial de sorvetes. Mas a garganta não aguentar 30 anos testando sorvetes, será possível pleitear uma aposentadoria por invalidez?
Mas se você é do tipo caseiro, tem ainda uma profissão que muitos dariam a vida para conseguir: “assistidor profissional de Netflix”, ou seja, uma profissão que muitos de nós já exercemos, só que não recebemos nada por isso. A função desse profissional é assistir maratonas de séries e de filmes e ajudar o algoritmo da empresa a ranqueá-los melhor, de acordo com as nuances emocionais de cada produto e os diversos perfis de clientes. O único problema é que a pipoca é por sua conta.
E se você quer mesmo é distância de qualquer forma de trabalho ou de cumprir horários, saiba que existe até mesmo a profissão de testador de camas de luxo, cujo ofício é testar a qualidade e o conforto de camas em hotéis ultra luxuosos espalhados pelo mundo. Sua função basicamente é dormir. O único problema e que para exercer essa profissão é preciso ter habilidades de detetive. Sim, porque eu já pesquisei em todos os lugares imagináveis, mas ainda não descobri para onde enviar meu currículo.
Portanto meu amigo, antes de escolher o emprego dos sonhos e antes de reclamar do seu atual emprego, pense um pouco mais. É claro que há empregos (muito) melhores do que o seu, mas é sempre possível ser um bocado pior também.
E seja qual for o seu emprego, escolha algo que tenha significado para você, tenha a atitude correta, busque sempre o seu melhor e ajude outras pessoas, que a satisfação com o trabalho acaba chegando. Se não der para fazer o que ama, tente pelo menos amar o que faz, ou lembrar que o desemprego pode ser ainda pior. E se nenhuma dessas opções for possível, sempre haverá o happy hour para esquecer tudo e celebrar o final de semana que está começando.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document