domingo, 21 de julho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Ciência – Por Jorge Calife / OSIRIS-REx ruma para o asteroide do fim do mundo

OSIRIS-REx ruma para o asteroide do fim do mundo

Matéria publicada em 15 de setembro de 2016, 07:00 horas

 


wp-cabeca-ciencia

Com um lançamento perfeito do foguete Atlas 5 a sonda espacial OSIRIS-REx iniciou sua missão de sete anos para coletar um pedaço do asteroide Bennu. Com 500 metros de largura, o Bennu recebeu o apelido de “asteroide do fim do mundo” devido a uma chance remota de ele colidir com o nosso planeta daqui 160 anos. Se tudo correr bem a OSIRIS-REx vai tocar o asteroide em agosto de 2018, daqui dois anos. Um braço robô então fará a coleta de algumas gramas da substância do asteroide.

A amostra será colocada em uma cápsula para ser lançada de paraquedas quando a OSIRIS-REx sobrevoar a Terra em setembro de 2023. Além dos instrumentos científicos a sonda de 800 milhões de dólares leva um chip contendo obras de artistas de todo o mundo. Incluindo uma ilustração de William Monachesi, de Volta Redonda. O chip será deixado na superfície do asteroide.

A OSIRIS-REx será a quarta sonda espacial a trazer material do espaço para a Terra. Em 2004 a sonda Genesis coletou partículas do vento solar além da Lua. Em 2006 a sonda Stardust trouxe para a Terra uma amostra de poeira do cometa Wild 2 e em 2010 a nave japonesa Hayabusa coletou partículas do asteroide Itokawa.

O estudo do Bennu é importante por dois motivos. Ele é um asteroide muito antigo, que contém material que sobrou da formação dos planetas e do Sol. E orbita o Sol em uma órbita quase paralela a da Terra. O problema é que esta órbita muda com o tempo devido ao chamado “efeito Yarkovsky”. Aquecido pelo Sol o asteroide irradia calor e essa irradiação empurra a grande rocha para fora de sua órbita.

Desde que foi descoberto o Bennu já teve sua órbita alterada em 160 quilômetros por esta “propulsão solar”. Os instrumentos da OSIRIS-REx vão medir esse efeito com precisão para que os cientistas possam avaliar os riscos do asteroide bater na Terra no século XXII. O Bennu não é o único asteroide que se aproxima perigosamente do nosso planeta. Todo ano são descobertos outros desses “asteroides rasantes”. A agência espacial americana Nasa tem um projeto para capturar esses asteroides perigosos e afastá-los do nosso planeta. Para isso será usado um rebocador espacial de propulsão iônica, capaz de embrulhar o asteroide em um enorme invólucro de plástico e rebocá-lo. Esse rebocador espacial só ficará pronto na próxima década.

Missão

Até lá é importante estudar a composição, rigidez e resistência das rochas espaciais. A missão OSIRIS-REx é a terceira do projeto Novas Fronteiras. Que inclui a Juno, que está orbitando Júpiter e a New Horizons, que visitou o planeta Plutão no ano passado.

Para colocar a OSIRIS-REx a caminho de seu objetivo foi usado um foguete Atlas-5, que queima uma mistura de oxigênio líquido e querosene refinado chamado RP-1 no primeiro estágio e hidrogênio líquido no segundo estágio. Embora seja um foguete americano ele usa motores de fabricação russa, do tipo RD-180 no primeiro estágio.

Para chegar ao asteroide a OSIRIS-REx vai usar a técnica de impulso gravitacional, passando pela Terra no ano que vem para ganhar velocidade no nosso campo gravitacional. Quando chegar em Bennu a sonda usará um propulsor de hidrazina para se aproximar do asteroide lentamente. Evitando contaminar a superfície de Bennu com a venenosa hidrazina. Jatos de nitrogênio serão disparados para levantar a poeira da superfície do asteroide e um braço mecânico de três metros e meio de comprimento tentará coletar 60 gramas de material.

De volta a Terra a cápsula vai pousar no deserto de Utah, no oeste norte-americano, onde será resgatado por um helicóptero. As amostras serão levadas para um laboratório esterilizado e uma parte será doada para a Agência Espacial do Canadá, que colaborou com o projeto.

Cumprida sua missão a OSIRIS-REx será colocada em uma órbita de estacionamento, aguardando futuras missões.

 

Partida: O Atlas 5 mandou a sonda para o espaço (Foto: Divulgação)

Partida: O Atlas 5 mandou a sonda para o espaço (Foto: Divulgação)

 

JORGE LUIZ CALIFE | jorge.calife@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar
    Filhote de cruz credo

    Ai que homem doido, meu Deus….

Untitled Document