quinta-feira, 6 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Pinheiral, a saúde e a crise no Brasil

Pinheiral, a saúde e a crise no Brasil

Matéria publicada em 3 de julho de 2015, 07:00 horas

 


Não é preciso de conferências para descobrir o óbvio, é simples faltam médicos, principalmente especialistas, para atender a população

wp-coluna-espaco-aberto-jorge-calife

Equipamento: Sem médico não tem solução  (Foto: Fotos Públicas )

Equipamento: Sem médico não tem solução (Foto: Fotos Públicas )

Eu estava saindo da farmácia, lá em Pinheiral, onde fui comprar um barbeador, quando o carro da prefeitura passou anunciando a Conferência Municipal de Saúde do município. O tema era algo como “saúde de qualidade, um direito do cidadão” ou coisa parecida. Um morador olhou para mim e deu um sorriso de incredulidade comentando: “Saúde de qualidade? Em Pinheiral?”. Preferi não dizer nada e fui para casa pensando. Realmente eles precisam fazer muitas conferências para descobrir como vão manter os serviços essenciais depois que dona Dilma, a redentora, cortou 11,7 bilhões do orçamento da saúde. Se já faltavam médicos e remédios lá em Pinheiral agora então vai piorar.
A tal “saúde de qualidade” de que fala o governo é outra frase de efeito como a “pátria educadora” da dona Dilma (Que por sinal cortou 9 bilhões do orçamento do Ministério da Educação). Mas vamos aos fatos. Em Pinheiral não é preciso perder tempo com conferências para determinar qual o problema com o serviço de saúde no município. É simples, faltam médicos, principalmente especialistas, para atender a população. Os prefeitos de Pinheiral acham que vão melhorar o atendimento construindo prédios, postos de saúde. Mas não adianta ter postos de saúde e até um hospital se não tem médicos nem equipamentos. Em uma situação dessas ficar construído prédio é jogar fora o dinheiro já tão escasso.
O que aconteceu com meu sobrinho, em março passado é bem representativo do que estou dizendo. Adolescente, ele fraturou a clavícula em uma aula de taekwondo. Foi para o Pronto Socorro de Pinheiral sentindo dores, como qualquer pessoa que tem um osso fraturado. No Pronto Socorro não tinha ortopedista e o médico de plantão mandou o rapaz para o Hospital São João Batista, em Volta Redonda. No São João Batista se recusaram a atendê-lo dizendo que “Pinheiral tem ortopedista sim, volte lá que eles têm que se virar”. E lá veio o paciente de volta para Pinheiral onde finalmente enfaixaram o ombro dele.
Uma semana depois eu estava lá, no Pronto Socorro de Pinheiral, quando chegou um senhor de idade, na cadeira de rodas. Tinha sofrido uma queda e fraturado a bacia. E novamente mandaram o pobre coitado para o São João Batista de Volta Redonda. O homem estava com a fratura há três dias, mas o médico de plantão o instruiu para que ele mentisse, para o pessoal do São João Batista. Do contrário não seria atendido.
Na época eu estava com suspeita de dengue. Colheram sangue para fazer três exames e perderam o terceiro exame. Perder exames é comum por lá. Em novembro perderam uma radiografia do meu pé esquerdo e tiveram que fazer outra. Saúde de qualidade nessas condições é meio complicado. E para resolver o problema não é preciso gastar dinheiro construindo novos postos de saúde ou um Pronto Socorro todo novo não. É só contratar uma boa equipe de médicos como a que existia há 15 anos.
A saúde em Pinheiral sofreu uma melhora no final do século passado, que atingiu o auge aí por volta do ano 2000. Quando era secretária de saúde a doutora Mirian Cruz. Depois foi se degradando nos últimos governos. Naquela época, aí por volta de 1999, 2000, você consultava o médico do Pronto Socorro e ele dava um papelzinho para marcar consulta com o especialista no ambulatório ao lado. Era só ir lá e mostrar a carteirinha do SUS e o papel para marcar a consulta. Não tinha que apresentar xerox de carteira de identidade, CPF e atestado de residência como atualmente. Bastava o pedido e a carteira do SUS para marcar consulta com ortopedista, cardiologista, gastroenterologista e etc. Infelizmente, de uns dez anos para cá foi ficando tudo difícil e burocratizado até a situação atual.
Sempre que eu escrevo essas crônicas, falando dos problemas de Pinheiral o pessoal da prefeitura exige direito de resposta e manda um texto aqui para redação, tentando explicar o inexplicável. Eu só quero fazer um pedido, quando mandarem o texto desta semana, mandem junto a radiografia do meu pé e o meu exame de sangue que perderam lá no P.S. em março.

Jorge Luiz Calife | jorge.calife@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

13 comentários

  1. Avatar

    Pinheiral está acabando, ou melhor acabado.
    Somente os parasitas que estão sugando e aproveitando do atual governo estão gostando da atual situação de Pinheiral.
    Vamos dar um exemplo o Bairro Varjão.
    Buracos de ponta a ponta, esgoto vazando próximo a quadra de esportes, passarela oferecendo riscos ao transeuntes, segurança e etc…
    Um Bairro que já foi muito bom de se viver, agora reduzido a isto.
    Devemos dar parabéns ao prefeito por defecar em nossa cidade.
    Pinheiral não tem saúde, educação passou longe, empregos hehehehe se não for na prefeitura ferrou.
    É revoltante, pois os políticos se esqueceram que os mesmos foram eleitos para trabalhar para o povo, e não o contrario.
    Fazer oque né ja que a maioria votou no petralha e seu bando, pois querem bolsa família churrasquinho e pó na época de campanha, toda cidade padece.
    Pinheiral a cidade que apodrece!!!!!!!

  2. Avatar

    É Muito triste ler esta coluna…o cara usa um jornal onde trabalha para apenas assuntos pessoais….ridículo..ele não acrescenta em nada..nao tem critica construtiva…ideia de melhora alguma….se afastou não pode ter afasto…se tem hospital….pra que hospital…a casa desse cara deveria…ser interditada pela vigilância sanitária…e imunda…cheia de lixos…parece um lixão…que temos aki em pirai…Para com isso fale algo…O Jornal deveria ter critico para cada cidade, somente Pinheiral tem esse Colunista…triste….

  3. Avatar

    fico pensando com um jornal desse porte deixa uma pessoa escrever tanta bobagem assim!!!!
    vc primeiro tem que saber o que é uma conferencia!!! pelo jeito vc não sabe!!
    muito triste com tanta bobagem

  4. Avatar

    Adoro suas crônicas e com essa não poderia ser diferente.

  5. Avatar

    Você está certíssimo! Jamais ouvi alguém falar de forma tão simples e objetiva sobre o problema da saúde pública em Pinheiral. Cara, você vai no X da questão. Não adianta construir postos de saúde se não há médicos especialistas suficientes para atender a população; e existe, sim, negligência por parte de alguns funcionários no atendimento ao público, embora (graças a Deus!) ainda não seja algo generalizado. A sua análise foi muito lúcida – parabéns!

  6. Avatar

    Realmente a saúde no Brasil com um todo não está perfeita, nem quero aqui tapar o sol com a peneira, mas dai ao senhor como uma figura pública respeitável e muito inteligente achar que as Conferências de Saúde são uma perda de tempo para mim causa desconforto, pois já participei de conferências desde a época da Drª Miriam Coelho e fui conselheiro municipal por mais de seis anos, a gente debate, propõe, delibera e para nada? As Conferências são uma determinação legal: Lei n° 8.080, de 19 de setembro de 1990, na qual a população se reúne e diz como deve ser a saúde , clara nem tudo se pode fazer, mas ao menos os governantes tem uma proposta e ai fazem sua gestão da área e o povo pode cobrar. Estarei lá hoje e amanhã debatendo os rumos de nossa saúde e não será em vão , gostaria muito de vê-lo lá propondo mudanças e fiscalizando.

    • Avatar
      ceciliamariadacruzmanhanini

      com cordo plenamente com vc MARCIO
      vc precisa participar pra depois falar ,porq o problema da saúde é geral

  7. Avatar

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk O Calife só receberá direito de resposta de Pinheiral se vier com a radiografia do pé e do exame de sangue perdido? kkkkkkkkkkkkkk Pô, Calife, Vc cortou pela raiz as justificativas dos incomeptentes, hein!

    Vc não falou, mas imagino que o seu sobrinho só permitiu lhe enfaixar o ombro mediante uma radiografia, né?!

    Essa coluna é a mais divertida do Diário do Vale quando o Calife fala de sua cidade, não dos céus. Mas ficará melhor se falar de VR e BM tbm. Creio que há centenas de assuntos para uma bela crônica ao mesmo estilo das de Pinheiral.

    Parabéns Calife! Eu tem amo!

  8. Avatar

    Ótima crônica, e ainda melhor o epílogo. Esse é um dos motivos pelo qual o São João Batista anda tão sobrecarregado, tendo demanda além da prevista pelos repasses do SUS… Eu penso que uma cidade do porte de Pinheiral, geograficamente muito próxima de VR, não precisa de hospital. Um pronto socorro 24h seria o suficiente, com os pacientes mais graves sendo mandados para o SJB mediante convênio entre as prefeituras… O valor que se gasta com a manutenção de um hospital é muito alto, mesmo quando não se tem médicos, enfermeiros e pessoal de apoio, afinal os equipamentos são caros e exigem manutenção constante, além dos insumos que, diferente dos de um gabinete ou escritório, são muitas vezes descartáveis e/ou perecíveis…

    • Avatar

      Com certeza, Al Fatah. E de que adianta ter um hospital, que demanda tantos gastos na simples manutenção, se não existe um quadro permanente de médicos, enfermeiros e pessoal de apoio? Sua intervenção foi muito precisa.

  9. Avatar

    É Calife o governo que temos hoje em Pinheiral é o retrato do abandono em todas as áreas: limpeza das ruas, falta de material nas escolas, falta de médicos, remédios na saúde, falta de respeito com aqueles que realmente moram aqui.É muita propaganda e pouco serviço.Só espero que o povo ano que vem veja a verdade.

Untitled Document