sábado, 7 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Sobre o futuro agora

Sobre o futuro agora

Matéria publicada em 19 de janeiro de 2019, 10:25 horas

 


Em tempos líquidos, em que as síndromes rondam nossas crianças, e a pressão profissional nos sufoca. Cabe ressaltar acerca da importância do desenvolvimento de novas habilidades para a construção de uma vida harmônica neste século. O século XXI já chegou, há 19 anos.
Uma das habilidades fundamentais é o que podemos chamar de Solução de problemas complexos. Isso consiste na habilidade mais importante que precisamos desenvolver para sermos bem sucedidos na Quarta Revolução Industrial, de acordo com o Fórum Econômico Mundial. Até 2020, essa revolução transformará a maneira como vivemos e trabalhamos, com avanços em inteligência artificial, robótica, machine learning, carros autônomos e biotecnologia. De acordo com o relatório ‘Jobs lost, jobs gained’ da consultoria McKinsey, essas transformações tecnológicas têm o potencial de fazer desaparecer 15,7 milhões de empregos até 2030 apenas no Brasil, e criar milhões de outros que hoje não existem.
Essa capacidade é um pacote multidimensional de competências com alto nível de abstração, assim como a inteligência humana. É a coleção de processos e ações fundamentais para resolver problemas mal definidos, o que não pode ser alcançado com atividades triviais de rotina. Combinações criativas entre conhecimento e um amplo conjunto de estratégias são necessárias — e as soluções são, geralmente, imperfeitas. Esse processo combina aspectos cognitivos, emocionais e motivacionais em situações nas quais há muita coisa em jogo. O mundo atualmente enfrenta diversos problemas extremamente complexos, como a mudança climática, o crescimento populacional acelerado, a ameaça de guerras, o mau uso e distribuição de recursos naturais. Além desses grandes exemplos, muitos outros fazem parte do nosso dia a dia: encontrar a pessoa certa para dividir a vida e escolher uma carreira que não só nos traga dinheiro, mas também nos deixe felizes, são apenas dois tipos de problemas complexos que enfrentamos. Mas enfim, como desenvolver essa habilidade tão importante e preparar nossas carreiras para a revolução tecnológica à nossa frente?
Uma excelente forma de desenvolvermos a capacidade de solucionar problemas complexos é nos tornarmos lifelong learners, cultivando o hábito de estudar continuamente ao longo de nossas vidas. Fazer um MBA, pós-graduação, mestrado, doutorado ou um curso de seis meses e equilibrar as demandas de estudo com nossas carreiras, famílias e tudo que fazemos em nossa rotina diária é um problema bem complexo. Estudar não só nos capacita tecnicamente, mas também nos ajuda a desenvolver essa habilidade tão importante.
É importante percebermos o quanto estamos nos desenvolvendo, saber, ainda, quais são os nossos propósitos, ou seja, o que nos move. Sempre que penso em desenvolvimento para mim e para quem está a minha volta, eu tenho em mente o desenvolvimento contínuo. A cada ano devemos estar, efetiva e verdadeiramente, melhores do que o ano anterior. Sempre. Isso deve ser aplicado em todas as áreas as quais acreditamos ser significativas para nós. A saúde, as finanças, os relacionamentos, o desenvolvimento profissional, as novas perspectivas, entre outras tantas. Preparar nossos jovens, nossos filhos, amigos, funcionários e, principalmente, a nós mesmos é o grande desafio que se faz presente agora. Já.
A pergunta que sempre faço em relação ao que aprendo e a o que ensino é: isso é relevante? Para qual situação? Para quando? Havendo relevância, vale ensinar, vale aprender. Pois ensinar e aprender para a vida á bem complexo, mas não tanto quanto viver.

Boa leitura!
TMJ!
Raphael Haussman. É professor, Coach, consultor e apaixonado por educação e desenvolvimento humano e, ainda, pai da Raphaela e do Theo.

 

 

Nosso dicionário:
Solução de problemas complexos – Habilidade importante que precisamos desenvolver para sermos bem sucedidos na Quarta Revolução Industrial.
Machine learning – O aprendizado automático ou a aprendizagem automática ou também aprendizado de máquina ou aprendizagem de máquina é um subcampo da ciência da computação que evoluiu do estudo de reconhecimento de padrões e da teoria do aprendizado computacional em inteligência artificial.
Biotecnologia – É a tecnologia baseada na biologia.
Multidimensional – Com capacidade de abranger, tratar dos múltiplos aspectos de (algo).
Cognitivos – É uma função psicológica atuante na aquisição do conhecimento e se dá através de alguns processos, como a percepção, a atenção, associação, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento e linguagem.
Motivacionais – É um impulso que faz com que as pessoas ajam para atingir seus objetivos. A motivação envolve fenômenos emocionais, biológicos e sociais e é um processo responsável por iniciar, direcionar e manter comportamentos relacionados com o cumprimento de objetivos.
Lifelong learners – A educação continuada representa o conceito de que “nunca é cedo ou tarde demais para se aprender”, uma filosofia que tem sido adaptada por uma vasta gama de organizações diferentes.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Avatar

    Eta classe desunida esta, guguicha não suporta o Jean wyllys.

  2. Avatar

    Tem um que não administra e muito menos gererencia o próprio rabo ,outro que deixou de tomar os seus remédios controlados faz tempo,na verdade pelo festival de fanfarronice a e besteirol que defecam,Guto,pombo ,vai vendo e um tal de Anderson é a mesma pessoa recalcada ,amarga e angustiada.

    • Avatar

      Paulo Elias tbm.

    • Avatar

      Dr Dolitle, Geninha sobre o tema “sobre o futuro agora” do autor Raphael Haussman podemos afirmar que ele será melhor, pois hoje soube que Jean Wyllys vai deixar o Brasil, eu não sei se ele vai para Cuba ou Venezuela…
      Vale uma dica: vocês dois podem ir com ele! Podem até ajudá-lo a escolher o país de destino… Cuba ou Venezuela?!
      Geninha, lembre que na Venezuela você vai perder essa barriguinha de chope e vai virar tanquinho!!! Imagine a Geninha com barriga de tanquinho, hein!!!

    • Avatar

      Saia do armário sua louca, apesar de já estar na terceira idade. Vovó, ainda DÁ tempo kkkkkkkkk. Como dizia o saudoso Cladovil Hernandez : o classe desunida.
      Vá defender seus bandidinhos de estimação, o Flavinho Rio das Pedras e o Queiroz Dancinha e a familicia Bozzo….

  3. Avatar

    O problema será fazer alguém ler este artigo quase acadêmico, considerando que a maioria dos eleitores não têm paciência nem para ler as manchetes dos jornais. Nas redes sociais vemos muitos falando coisas já ditas na mesma postagem ou perguntando algo já respondido. Um exemplo é postagem de restaurante indicando o cardápio, o preço, a entrega, a hora de atendimento e o telefone de contato. Normalmente tem gente perguntado se entrega em casa e o preço.

    Se os eleitores normais não leem, imagine o poder público que acha que é o dono da cidade e os servidores públicos que acham que têm o rei na barriga e não precisam dar satisfação para ninguém por não poderem ser demitidos? Eles estão lá preocupados com a educação do povo para desenvolver a sociedade? Eles estão preocupados se no Brasil até 2030 haverá transformação dos empregos? Ano que vem já temos novas eleições. A preocupação deles é como pegar os votos dos analfabetos funcionais. 2030 é muito longe.

    Ah, eles não estão preocupados porque NÃO CONHECEM a Administração Pública e NAÕ ENTENDEM de Gestão Pública.

  4. Avatar

    É importante saber aprender durante toda a vida, como diz o autor dessa coluna, contudo o mais importante é saber escolher bons governantes para o país e bons legisladores, pois de que adianta ter vários educadores e mestres dizendo da importância do estudo contínuo quando, por exemplo, o ex-presidente Lula dizia que preferia “fazer uma hora de esteira do que ler uma página de um livro!”…
    É só verificar o efeito deletério dessa frase do presidente Lula nos últimos doze anos na educação pública, pois vimos como o Brasil caiu na ranking internacional de educação, ficando sempre nos últimos lugares no PISA, por exemplo!

Untitled Document