terça-feira, 19 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Teatro de Angra em destaque

Teatro de Angra em destaque

Matéria publicada em 28 de outubro de 2015, 07:15 horas

 


Grupos do interior são contemplados no edital da Secretaria de Cultura do Estado; três projetos de Angra dos Reis foram beneficiados

wp-coluna-em-cena-joao-vitor-monteiro-novaes

Artistas da cidade de Angra dos Reis foram contemplados no Edital de Microprojetos Favela Criativa, da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), que era destinado a jovens com idade entre 15 e 29 anos e irão receber cerca de R$ 12.000,00 para a realização dos seus projetos.
Dos 375 projetos oriundos de várias regiões do estado, a Secretaria premiará 102 propostas, que passaram por várias etapas de avaliações, que foram realizadas nos dois últimos meses e foi formada por uma comissão com pessoas de várias áreas. Em uma das fases do processo de avaliação teve uma etapa de defesas presenciais, onde todos os proponentes tiveram a chance de se encontrar com os avaliadores para defender suas propostas e enfatizar a importância do seu trabalho.
Através dessa seleção foi possível notar o empenho do Governo do Estado em descentralizar os investimentos culturais. É nítida a eficiência das Caravanas Culturais promovidas pela SEC que visa estimular os produtores do interior a se inscreverem. Como resultado disso vemos na porcentagem de projetos que visam suas ações fora da capital.
A seleção demonstra significativa distribuição entre as diversas áreas culturais, atingindo desde a cultura popular, o audiovisual, teatro, circo, dança, gastronomia, tecnologias e comunicação comunitária, entre outras categorias.
Entre os 112 projetos contemplados, destaca-se três projetos de Angra dos Reis, sendo dois de teatro e um de audiovisual, são eles: “Chão De Estrelas Circulação”; “A Cabaça Da Existência – Circulação Minha Raiz É Negra!” e “Cineargumento”. Confira um pouco sobre cada projeto.

Chão de Estrelas Circulação

foto 1

Fotos: Divulgação

O grupo “Chão de Estrelas” completará no próximo mês um ano de atividades e se destacou entre os selecionados. O grupo que faz sua residência na Vila do Frade e é formado por artistas que surgiram das oficinas de teatro da extinta Trupe do Descoco. Tem em sua formação Guilherme Geyer, Eduarda Almeida, Érika Bancrofti, Lizia Maia, Camila Braz e Richard Marx, sendo este último responsável pela direção e textos encenados.
O projeto aprovado no Edital de Microprojetos visa circular com o espetáculo “Fios de Ouro” e oferecer oficinas de jogos teatrais em comunidades afastadas do centro. Além de um bate-papo ao fim das apresentações. Nesse bate-papo o grupo irá expor a ideia de como surgiu a peça e o grupo.
– Nosso objetivo é mostrar para os jovens que eles podem ter força dentro de sua comunidade, que eles têm voz e podem construir um caminho melhor. Queremos ressaltar que existem outros caminhos, o nosso foi o da arte, o do teatro – diz um dos integrantes.
O grupo possui dois espetáculos em repertório e já realizou algumas viagens pelo Brasil. Ficar em 10° lugar foi motivo para muita comemoração entre os integrantes que com o projeto poderão circular com o espetáculo “Fios de Ouro” por dez comunidades da cidade de Angra dos Reis, no período de fevereiro até abril de 2016.
– É meu primeiro projeto escrito, estou imensamente feliz e acho que vai ser algo ímpar para o grupo na sua formação. Um edital ligado a Secretaria de Cultura do Estado dará um gás e ânimo para todos. Estávamos iniciando um processo de ideias para uma nova montagem que voltará com mais vida após essa circulação – destacou o diretor Richard.

A Cabaça da Existência – Circulação Minha Raiz é Negra!

foto 2

O grupo teatral Arteiiros, também de Angra, voltará para a sala de ensaio e ampliará a cena curta “Cabaça da Existência” e a transformará em um espetáculo. Após ter feito uma belíssima apresentação no Festival de Cenas Curtas, organizado pelo Grupo Galpão/MG, grupo referência para o teatro brasileiro, a companhia formada por Leticia Mendes, Ramon Souza, Junior Bastos, Vitoria Lopes, Bety Leite e Geovana Bortolazo, irá circular por comunidades e bairros periféricos do município trazendo para o centro da questão um pouco do universo afro-brasileiro.

CineArgumento

foto 3

Conduzido por Vitor Rocha, o projeto CineArgumento já funciona há alguns anos com a temática de filme e debate, onde, após a exibição de um filme que aborde temas atuais e/ou polêmicos, acontece um debate sobre o contexto e os reflexos do material exposto. A ideia é desenvolver nos jovens o senso crítico, ponderando as opiniões diversas e fazendo surgir a capacidade de uma boa oratória permeada de pensamento critico.
O último encontro do projeto foi há três semanas no Colégio Estadual Roberto Montenegro, em Praia Brava, além das edições que já rolaram no Colégio Estadual Arthur Vargas (CEAV) e em outras escolas onde através da parceira com professores foi possível realizar o evento.
O organizador do projeto comemora a aprovação.
– Com o recurso do edital Favela Criativa nós queremos ir além de debater filmes que dialoguem com a realidade dos jovens, queremos que os jovens façam seus próprios filmes. Para isso, além dos debates de sempre, o projeto vai disponibilizar oficina de teatro com Felipe Santana e de audiovisual com Anderson Reinberg. Estamos visando com isso estimular os jovens a produzir seus próprios curtas-metragens para apresentarem no Festival de Curtas do Teatro Municipal de Angra dos Reis – diz.

 

JOÃO VITOR MONTEIRO NOVAES  | joao.vitor@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document