domingo, 17 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Toda mulher gosta de rosa

Toda mulher gosta de rosa

Matéria publicada em 25 de outubro de 2019, 14:44 horas

 


“Toda mulher gosta de rosas e rosas e rosas. Muitas vezes são vermelhas, mas sempre são rosas”. A letra, escrita e cantada por Ana Carolina, dá o tom exato do que se pode dar a uma mulher, tornando-a feliz: rosas.
Esse é o mesmo tom que a música empresta ao mês que faz um alerta para a saúde da mulher: “Outubro Rosa”. Um mês inteiro dedicado à campanha de conscientização e que tem como principal objetivo alertar as mulheres acerca da importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e, mais recentemente, sobre o câncer de colo de útero.
O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo acaba por gerar células anormais, que se multiplicam, formando um tumor. Por isso é aconselhável a realização do autoexame para todas as mulheres maiores de 20 anos de idade. Ele é feito sete dias após o início da menstruação. Após a menopausa, deve-se escolher um dia por mês para fazê-lo. A partir dos 40 anos de idade, as mulheres devem realizar anualmente a mamografia. Importante lembrar que em todas as faixas etárias podem aparecer nódulos benignos, que também precisam de tratamento.
Esse movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, batizado de “Outubro Rosa”, foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. Essa data é celebrada de maneira intensa todos os anos, com o objetivo de compartilhar o máximo de informações e promover um olhar mais apurado pela mulher sobre a doença. Com isso, torna-se possível que a mulher tenha maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, contribuindo assim para a redução da mortalidade.
O INCA (Instituto Nacional do Câncer), que participa desse movimento desde 2010, promove eventos técnicos, debates e apresentações sobre o tema, assim como produz, com enorme propriedade, já que conhece profundamente o tema, materiais e outros recursos educativos para disseminar informações sobre fatores protetores e detecção precoce do câncer de mama.

Saúde da mulher: Cuidados e prevenção devem ocorrer durante todo o ano

Cuidados

Importante frisar que cuidados e prevenção devem ocorrer durante todo o ano, e não apenas no mês de outubro com a chegada da campanha. O Rio de Janeiro é o estado brasileiro com a maior taxa estimada de incidência de câncer de mama – cerca de 68,78% – bem como é a unidade da Federação com maior mortalidade – 18,8% -, segundo o INCA. Esse número preocupante é o resultado de vários fatores como o envelhecimento da população, a inatividade física e, ainda, a obesidade. Das mulheres com indicação etária para exames de mamografia – entre 50 e 69 anos -, 60% fizeram o procedimento em 2013.
Com uma taxa de 62,9 casos por 100 mil mulheres, o Brasil figurou, em 2018, entre os países, na segunda faixa mais alta de incidência de câncer de mama. Quanto à taxa de mortalidade causada pela doença, o Brasil está situado na segunda faixa mais baixa, ou seja, 13 mortes por 100 mil mulheres, ao lado de países desenvolvidos, como EUA, Canadá e Austrália, e incrivelmente melhor que a França e o Reino Unido.
O fato de a taxa de incidência ser relativamente alta e a de mortalidade ser baixa, mostra que o nosso sistema de saúde, apesar de enfrentar inúmeros problemas, ainda é capaz de ter força para salvar muitas vidas. Mas o que não falta são desafios; um deles é conseguirmos promover a redução das desigualdades entre regiões e classes sociais. A reversão à saúde está ligada principalmente ao acesso ao diagnóstico e ao tratamento adequado, sobretudo no tempo oportuno. O objetivo é conseguir diagnosticar o câncer o mais precocemente possível, ainda nos estágios iniciais, quando o tratamento se mostra mais efetivo e com enormes chances de sucesso.
O câncer de mama, mais frequente entre as mulheres brasileiras, chega a atingir cerca de 60 mil casos por ano – e 28% desses casos podem ser evitados se forem tomadas medidas saudáveis, como: manter o peso corporal, ser fisicamente ativa (fazer periodicamente exercícios e caminhadas), evitar bebidas alcoólicas, e amamentar de sexto mês de forma exclusiva e, se possível, até os dois anos de idade.
Portanto, não se esqueçam do que diz o lema da campanha deste ano: “Cada corpo tem uma história. O cuidado com as mamas faz parte dela”. Procurem um médico ou liguem para o Disque Saúde, pelo número 136. Cuidem-se e se amem!

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document