segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Ciência – Por Jorge Calife / Vênus: Um mundo destruído pelo aquecimento global.

Vênus: Um mundo destruído pelo aquecimento global.

Matéria publicada em 6 de dezembro de 2018, 08:20 horas

 


Efeito estufa elevou temperatura para 470 graus centígrados

Alerta: Vênus e suas nuvens de ácido sulfúrico.

Vênus é o astro mais brilhante que podemos ver no céu, depois do Sol e da Lua claro. Em determinadas épocas ele brilha como um diamante cintilante logo depois do por do Sol. Depois inverte sua posição e aparece do lado oposto. Anunciando o nascer do Sol nas primeiras horas da manhã. Seu brilho levou os antigos gregos e romanos a batizarem aquela estrela brilhante com o nome da deusa do amor e da beleza.
De tamanho e composição semelhantes ao nosso planeta, Vênus tinha tudo para ser uma irmã gêmea da Terra. Era assim que os escritores imaginavam sua superfície, em meados do século passado. Um mundo com oceanos tropicais e continentes cobertos de florestas pré-históricas.
Um episódio da antiga serie de TV “Aventuras submarinas” mostra o mergulhador Mike Nelson treinando um grupo de mulheres astronautas para uma missão em Vênus.
O treinamento é embaixo da água, já que diz o herói, “Vênus é um mundo de vapor, névoa e água”. Mal sabia ele, em 1960, que as moças de maiô que ele estava treinando no fundo do mar seriam esmagadas e torradas se fossem mesmo para Vênus. Em 1962, a sonda Mariner 2 passou por Vênus e mediu uma temperatura superior aos 300 graus centígrados. Alguma coisa saiu errada com o planeta da deusa do amor. As medições feitas por outras naves mostram uma atmosfera densa, composta de nuvens de dióxido de carbono que produziram um aquecimento global descontrolado. A pressão na superfície de Vênus esmagou as cápsulas espaciais que tentaram pousar lá. E o que não foi esmagado foi torrado por temperaturas de 470 graus centigrados.
Vênus pode ter sido habitável há milhões de anos, hoje parece o interior de um forno. Outro planeta semelhante à Terra é Marte, que no passado teve oceanos e rios e uma atmosfera respirável. Mas como aconteceu com Vênus a atmosfera mudou, o ar se tornou irrespirável e o planeta virou um deserto gelado. Do trio de planetas gêmeos, Vênus, Terra e Marte, só a Terra permanece habitável, com temperaturas amenas, água e vida. Mas essas condições podem mudar, mais cedo do que imaginamos.
O destino do nosso planeta é se tornar inabitável, como Vênus e Marte. Se não acelerarmos o processo a Terra vai continuar a ser um lugar perfeito para seres humanos durante bilhões de anos. Só quando o Sol atingir uma idade avançada, e começar a se expandir é que a Terra perderá a sua biosfera. Mas isso só vai acontecer daqui a bilhões de anos, quando o Sol se tornar uma estrela gigante vermelha, evaporando os oceanos e a nossa atmosfera.
Ou pode acontecer mais cedo, se os seres humanos continuarem a queimar petróleo e gás natural. A criarem legiões de bois e vacas que emitem gás metano e a destruírem nossas florestas tropicais. A humanidade está fazendo uma experiência perigosa com a atmosfera da Terra, porque não sabemos onde fica exatamente o ponto sem retorno. O ponto que Vênus ultrapassou quando se tornou uma sucursal do inferno.
Mas o aquecimento global e as mudanças climáticas não são mais uma teoria, vivenciamos seus efeitos todos os dias. As tempestades tornaram-se mais violentas, como previam os climatologias. Os tornados, que antes só víamos nos filmes americanos, passaram a visitar os estados do sul do Brasil. Já foram vistos até no litoral do Rio de Janeiro e da baixada fluminense.
Chuvas catastróficas, como as que arrasaram a região serrana do Rio em 2011, e secas violentas, como a de 2014, se alternam. Enquanto escrevo essas linhas o governo brasileiro anunciou que nosso país não vai mais sediar a conferencia mundial do clima que a ONU vai organizar em 2019. A decisão partiu do presidente eleito, que quer imitar o americano Donald Trump. Enquanto isso Vênus brilha no céu, sinalizando: “Eu sou você amanhã”.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Anderson dos Santos Costa

    Vênus deveria ser mais estudado, pois é também muito parecido com a Terra na geologia. Será que ele também possui vulcões ativos e tectônica de placas como os continentes terrestres?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document